18 comentários:
De brasileiro a 13 de Novembro de 2010
Sou brasileiro nato. No Brasil houve uma reforma ortográfica na década de 70. Em 2010,ainda há brasileiros que nasceram após a reforma e que ainda não assimilaram aquela reforma de 40 anos atrás.

A língua inglesa tem grafia e significados diferentes no Reino Unido, Estados Unidos, Austrália, etc. Nunca ouvi falar de um movimento para unificar a escrita do inglês ou para abortar as letras que não são pronunciadas.

Na verdade, todos os argumentos dos acordistas são falácias para distrair e ocupar a população com bobagens quando, na verdade, deveríamos estar promovendo a educação da população e elevando o nível do português escrito e falado. Ensinando o latim, lingua mãe, ensinando os clássicos brasileiros, portugueses e outros. Em tempos passados, o Brasil cultivou um português de excelente nível, mas agora está se deteriorando sem que a população o perceba, pois a cultura geral também está se deterioriando, assim como a capacidade de raciocínio da população.

Nosso Presidente, nossa futura PresidentA, políticos como o Tiririca, com mais de um milhão de votos, e o baixo nível de escrita em blogs e jornais atestam a nossa decadência linguística e cultural, agora sacramentada pelo aborto ortográfico... Estamos de luto pela cultura no Brasil e pela língua portuguesa!!!
De Bic Laranja a 18 de Novembro de 2010
Na verdade o português deteriora-se sem que nos demos conta: está[-]se deteriorando e deveríamos estar promovendo a educação é gerundismo aberrante que fere os ouvidos. Tem vossemecê muita razão sobre a falta que fazem o Latim e os clássicos, cujo reflexo trespassa a sociedade desde o ridículo palhaço de circo à mais alta magistrada da nação.
Ao pé desta agonia, o aborto gráfico não passa, de facto, duma capitulação de Portugal perante idiotas no que respeita ao seu idioma.
Cumpts.

Comentar