4 comentários:
De MCV a 23 de Agosto de 2010
Ele há aqui muito pano para mangas nestes comentários estivais.
Mas, agradecendo a sua atenção, fico-me pelo inicial, ainda que concorde em género e número com o que aqui diz. (Poder-se-á dizer "género e número"?)
E lá no inicial, só acrescento que é um ultraje aos direitos e à igualdade dos ditos, uma mulher não poder ser pai.
A modernidade exige uma revogação da norma!
Abraço
De Bic Laranja a 23 de Agosto de 2010
Sou eu que lhe agradeço a clarificação da acérrima categoria, sempre tão actual.
As mulheres serem 'pai' e vice-versa, parece-me que essa está já na calha para a legislatura que se segue (v. http://jugular.blogs.sapo.pt/1977520.html).
Género e número como aqui?
Cumpts.
De MCV a 24 de Agosto de 2010
Não vejo que qualquer lei (a não ser a da Natureza) resolva para já essa ânsia. No futuro, não creio que eu ainda tal veja. Mas é provável que se lá chegue.
Quanto à mudança de sexo, ou à escolha de um sexo, no caso em que há orgãos femininos e masculinos, supunha eu que isso já estava contemplado no Direito.
Pelos vistos, não.
O género e o número eram esses mesmo!
Abraço
De Bic Laranja a 24 de Agosto de 2010
Supunha bem. Mas esta agora parece-me que é para ser sem acertos de talhante. Uma ânsia e umas roupitas e vai de abreviar. Para ser mais simplex.
Cumpts.

Comentar