7 comentários:
De [s.n.] a 28 de Agosto de 2010
Muito obrigada pela sua resposta.

Que pena a fotografia não ter data. Mas pelo pormenor dos homens quase todos usarem chapéu e os mais novos e mesmo alguns adultos usarem bonés, salvo algumas excepções, calculo que tenha sido tirada pelos fins dos anos quarenta, quando muito nos princípios de cinquenta. Isto porque na década de cinquenta, mais do que nos anos sessenta (eu era muito miúda mas lembro-me perfeitamente), era raro ver-se um homem na rua sem chapéu e os mais humildes, sobretudo os vindos da província mas também bastantes lisboetas, incluíndo rapazes e jovens, usavam sempre boné. Nos anos sessenta este hábito já se havia quase perdido. Não obstante, muitos homens principalmente os mais idosos (designadamente o próprio Dr. Salazar, como não) nunca deixaram de o usar. Tratava-se de uma questão de educação primeiro e depois de respeito para com os demais. Lembro-me por exemplo do meu avô materno e de todos os seus irmãos, meus tios-avôs, nunca terem largado o chapéu. Curiosamente dos meus tios paternos só um usou chapéu toda a vida. Já começava a passar de moda. Quanto aos meus tios irmãos de minha mãe, muito mais novos que os paternos, também com a excepção de um, nunca chegaram a usar chapéu. Eis porque situo a fotografia pelos primeiros anos da década de cinquenta, ou talvez mesmo pelos fins da de quarenta.

Mais uma vez os meus parabéns pela extraordinária fotografia, desta vez com uma definição óptima - a fazer calar, pela evidência nas expressões dos participantes na manifestação, este bando de caluniadores do antigo regime. Expressões nas quais se pode observar em pormenor o ar de satisfação e alegria de quem está a ser testemunha de um momento único nas suas vidas: ouvir de própria voz o Presidente do Conselho. Momento esse que certamente jamais terão esquecido.
Maria
De Bic Laranja a 28 de Agosto de 2010
É como diz, dos anos 40 ou inícios de 50. E exactamente: sem chapéu, então, só gente moça. Os mais velhos mantinham todos o ancestral código de indumentária. Outros tempos.
Grato pelo apreço, mas, mais uma vez, o mérito da fotografia é do fotógrafo.
Cumpts. :)
De tron a 28 de Agosto de 2010
meu amigo a única diferença entre sócrates e salazar é que a repressão no antigo regime era mais a vista e agora é feita duma forma perversa e escondida, em especial na imprensa, no funcionalismo público e em outros meios que queiram controlar e daí esta "admiração" por salazar.
além disso estão a aparecer provas de mais corrupção envolvendo o nome de josé sócrates
De Bic Laranja a 29 de Agosto de 2010
Eis então outra diferença: não estarem a aparecer provas de corrupção envolvendo o nome de Salazar.
Cumpts. :)
De tron a 29 de Agosto de 2010
ora nem mais meu amigo, Salazar era um filho da mãe sério e Sócrates é o maior corrupto da repúblca desde Alves dos Reis
De Viriato a 15 de Setembro de 2012
A foto é dos anos 40 (44 ou 45), durante a II guerra mundial, cerca de 1 milhão de pessoas nas ruas de Lisboa, foi a maior manifestação de sempre, de apoio a Salazar.

Neste video, aparecem imagensda mesma:
http://www.youtube.com/watch?v=utA-BrRWPSw

De Bic Laranja a 16 de Setembro de 2012
Grato!
Cumpts.

Comentar