De José Caldeira a 31 de Dezembro de 2010
Caro Bic Laranja:
A propriedade dos Limas Mayer chamava-se “Quinta da Cruz do Tabuado” e estendia-se num enorme triângulo entre as ruas do (Chafariz do) Andaluz e de São Sebastião da Pedreira e a antiga Travessa do Sacramento. Nela tinha sido instituído um vínculo no século XVII que se manteve na família Rebelo de Figueiredo até à extinção dos morgadios. Foi adquirida a partir de 1842 por António Mayer Júnior. A casa que se vê na fotografia foi construída por ele e habitada no Verão pela Família durante cerca de meio século. Ainda não figura na carta topográfica de Filipe Folque e já tinha desaparecido na do princípio do século vinte. A abertura da Avenida de Fontes deve ter apressado a demolição, pois o viaduto afrontava as vistas da casa.
A entrada principal da quinta ainda existe no n.º 50 da rua do Andaluz. É um portão de volta inteiro com as iniciais de António Mayer Júnior no cimo. Está hoje incluído no edifício azulejado, em que os azulejos do andar térreo são alternadamente azuis e brancos colocados em losango.
Grande parte destas informações colhidas em Filipe de Lima Mayer, “Livro de Família”, Lisboa? 1969.
Continuação de Boas Festas e um óptimo 2011.
José Caldeira
De Bic Laranja a 31 de Dezembro de 2010
Caro sr. Caldeira,
Muito grato pelo seu rigoroso esclarecimento.
Suspeitei que a quinta fosse a da Cruz do Tabuado mas não tinha certeza porque fazia a casa na Rua do Chafariz do Andaluz como a principal da quinta, admitindo que esta pudesse ser doutra propriedade. Não fazia também ideia quanto à quinta se prolongar até à paroquial de S. Sebastião da Pedreira, onde a Travessa do Sacramento conflui com a Rua de S. Sebastião. Cuidei que ficasse por alturas da Rua Viriato.
Tudo o que me diz é muito interessante e satisfaz muito a minha curiosidade por estas esquecidas quintas do termo de Lisboa.
Suponho, porém, que o solar está representado na carta nº 12 do Filipe Folque e também numa de Goullard com o mesmo número, de 1877. A casa tinha um corpo quadrangular com pátio interior (ou saguão) e jardim de buxo a N - precisamente onde confluem a Martens Ferrão com a Fontes; à data desta imagem já tinha sido engolido pelas avenidas.
Tanta informação que há por aí desgarrada e tanta história por conhecer...
Cumprimentos e feliz ano novo.
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.