Segunda-feira, 31 de Janeiro de 2011

Cuanza

 Li no Jornal da Madeira que agora é Angola a exigir que Cuanza figure escrito Kwanza no Vocabulário Ortográfico Comum — o que o aborto gráfico diz que se ia publicar em 1993, que a Academia das Ciências não fez até hoje, mas que uma congénere academia de Angola deve estar para fazer não tarda!...
 O Português deriva do Latim, não do colonialismo, como tantos se convenceram. Ora nem o grego 'k' nem o barbaresco 'w' são do alfabeto latino (o português, afinal). São aceitos no idioma como integrantes de nomes bárbaros, nada mais (e parece-me que o aborto gráfico do ladino Malaca e restantes rastejantes de cá, apesar de tudo lá mantém a regra). Mas será 'Cuanza' nome estrangeiro? Significa que os cafres de Angola o diziam com 'k' e 'w' quando os portugueses os acordaram da pré-história?!... Enfim! Percebe-se o intento; ordenar o crioulo como Português quando do Português até o abecedário atrapalha. E assim cuida esta tribo dos N'golas sublimar os traumas coloniais pela bisonha felicidade de "civilizar" os que lhes levaram as letras. Nem se dão conta de quão infelizes são. 
 Dignos de dó a valer, porém, são uns que se prestam aí com ignominioso labor a algozes do idioma. Até os adivinho já por afanosos despachos e decretos ditando à Armada Portuguesa como há-de escrever Cuanza.

 

NRP Cuanza P1144, S. Gião da Barra de Lisboa (A. Monteiro?, s,.d.)
(Fotografia in NRP Álvares Cabral F336.) 

Escrito com Bic Laranja às 07:45
Verbete | comentar
18 comentários:
De Paulo Cunha Porto a 31 de Janeiro de 2011
Tem o Amigo Bic Kilogramas de razão. Mas o amor ao KAPA está entranhado, veja-se a Kilometragem de noticiários no caso Carlos Castro...

Se me visitar em casa nova

jovensdorestelo.blogspot.com

, prometo não abusar dos barbarismos.
Abraço

De Bic Laranja a 31 de Janeiro de 2011
Caríssimo. Mas que grato prazer!
Grande abraço.
De VSC a 1 de Fevereiro de 2011
Eu li Eça naquela edição do centenário que respeita a ortografia da 1ª edição e sempre por lá vi is gregos (como se dizia cá em casa), dablius e capas.
São bárbaras? E os visigodos não eram? E não fazem eles, com os suevos, parte do nosso passado?
De Bic Laranja a 1 de Fevereiro de 2011
Se é para tornar à orthographia etymologica do tempo do Eça sou a favor. Mas de toda a maneira diga-me se o 'w' do Cuanza é suevo ou visigodo.
Cumpts.
De VSC a 1 de Fevereiro de 2011
Não me referia tanto à palavra em si, que penso nunca ter visto em Eça, mas ao uso do "w".
no caso do "Kwanza" do tempo de Eça, seria a grafia inglesa.
De Bic Laranja a 1 de Fevereiro de 2011
Não pode ser à amaricana? Concedamos mais esta à modernidade.
Cumpts.

De Luísa a 31 de Janeiro de 2011
Oh! E eu que pensava que a língua de Camões tinha sido adquirida além-mar...
Sabe como se resolvia isto? Cada um por si... Portugal com a língua portuguesa, Angola com a angolaa, Brasil com a brasileira... Dizia-se que eram línguas com raiz no Português, que por sua vez tinha vindo do Latim. E estava tudo resolvido.
Assim, ficávamos com o nosso Cuanza e eles com os drinks, os esportes e todo o estresse provocado por uma cambada de analfabrutos...
De Bic Laranja a 1 de Fevereiro de 2011
"Adquirida além-mar" não percebo?
É mais ou menos como diz. Com reforço de que os portugueses não impõem o idioma a ninguém, apenas o falam. E quem no fale e escreva, português ou estrangeiro, que siga a gramática. Será isto tão absurdo?
Cumpts.
De Luísa a 1 de Fevereiro de 2011
Não, de todo, caro Bic!
Devia ser lei saber falar e escrever de forma correcta a Língua Materna. O problema é que a ileteracia (para mim é mesmo analfabetismo) cresce a olhos vistos. Acabei de receber uma mensagem do banco a dizer que uma certa aplicação financeira "trás" inúmeras vantagens. Se for como o português deles... prefiro guardar o dinheiro debaixo do colchão.
Mas, infelizmente, não é só em Portugal! Ainda há pouco ouvi uma princesa (sem duplo significado, é mesmo da nobreza, só não me lembro a que país pertence) questionar as razões de tamanho problema pela Europa. Dá vontade de dier "Oh! admirável mundo novo!!"

Quanto ao "além-mar"... foi piada fracota!! (não sou boa humorista!) Era sobre a pretensão das pessoas em reescreverem o português (o exemplo do Kwanza vs Cuanza) , como se o português tivesse nascido noutro país (além-mar) que não Portugal.
Saudações!
De Bic Laranja a 1 de Fevereiro de 2011
E agora lendo melhor já percebo. As reticências são marca de ironia, claro.
Cumpts. :)
De Luísa a 1 de Fevereiro de 2011
E eu respondi logo, antes de descer para este comentário!! :D
De VSC a 31 de Janeiro de 2011
Creio que a língua portuguesa não é um bem disponível sobre o qual o governo possa celebrar tratados com potências estrangeiras.
Mesmo internamente, as entidades a quem é reconhecido um papel na defesa da língua, apenas poderão declarar, em caso de dúvida, se a evolução de uma palavra se fez conforme o espírito da língua ou se um neologismo é admissível ou não.
O resto é um abuso de poder que, como tal, não poderá ter qualquer validade nem obrigar ninguém.
Do mesmo modo, o estado não pode adoptar grafias de países estrangeiros seja em diplomas oficiais seja no ensino.
De Bic Laranja a 1 de Fevereiro de 2011
Claro que não é bem disponível. Só tiranos ignorantes se arrogam a tomar o idioma como bem de compra e venda. Como o fazem com a soberania, de resto.
Cumpts.
De Gracioso a 1 de Fevereiro de 2011
"O Português deriva do Latim, não do colonialismo, como tantos se convenceram."
E essa nova ortografia deriva ela, do pretoguês ?
Nada a ver com o Cuanza nem com Angola, claro .
Cumpts
Gracioso
De Bic Laranja a 1 de Fevereiro de 2011
Deriva muito em rigor do brasileiro. E em geral de ignorantes. Se isto corrobora o seu adjectivo...
Cumpts.
De JPG a 2 de Fevereiro de 2011
Off-topic (e para apagar, se quiser): podia fazer o favor de enviar-nos um email, mesmo em branco? Obrigado.
De Carlos Eduardo Borges a 2 de Fevereiro de 2011
Esta triste estória do «acordo» foi pior emenda do que o soneto, (antes cada qual com a sua ortografia como acima é sugerido) mas não posso deixar de considerar muito engraçadas algumas expressões brasileiras como por exemplo aquelas - porventura aplicáveis ao dito «acordo» - do "disfruto" e da "discaração" ...
De Bic Laranja a 2 de Fevereiro de 2011
Realmente!
Cumpts.

Comentar

Setembro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
17
19
21
23
26
27
28
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____