Segunda-feira, 21 de Fevereiro de 2011

Quem rege a escrita?

Orthographia da Lingoa Portugueza... 1856


 Há dias transcrevia-se aqui, em palavras da Priberam (um editor de dicionários), que "o texto do Acordo de 1990 não prevê soluções para muitos dos problemas que cria". Em havendo pingo de senso neste país, só por si isto seria razão para arrumar de vez com a aberração. Mas não, e o cúmulo é vermos um editor de dicionários à nora para se conseguir desenvencilhar do texto do Acordo dizendo e repetindo em desespero que o dito acordo "é lacunar, ambíguo ou incoerente".
 Em 29/1/2011 Helder Guégués, no blogo "Assim Mesmo" ("O prefixo «re-» no A.O.L.P.", post 4372), apontava ao corrector da Priberam um erro de hifenização nas palavras com o prefixo re- quando se lhe seguia palavra iniciada com a mesma letra. Dias depois ("Diz a Priberam", post 4387) justificava-se longamente Helena Figueira, do Departamento de Linguística da Priberam, com a letra do texto da Base XVI, 1º, alínea b) do Acordo Ortográfico de 90, que é inequívoco relativamente ao uso de hífen com um prefixo que termina na mesma vogal com que se inicia o elemento seguinte; dá uma única excepção: o prefixo co-. A interpretação que a Priberam faz do texto da Base XVI é a única possível. A leviandade com que foi redigido o Acordo de 90 parece que acabou por introduzir no Português formas tão extravagantes como re-eleger, re-embolso, re-encarnação, re-encontro, re-entrar
 Parece mas não foi.
 O Brasil, usando da prerrogativa que lhe assiste já do costume de não cumprir nenhum acordo ortográfico, cozinhou unilateralmente uma excepção à Base XVI no seu V.O.L.P. (o tal que foi solenemente oferecido ao Presidente da República Portuguesa e que este subservientemente se dispôs a receber). — E fundamentado o Brasil em quê para introduzir uma excepção não acordada ao Acordo? — Ora vede lá bem: “por coerência e tradição lexicográfica” (*). A mesma coerência que decepa consoantes etimológicas e conserva o ‘h’? Ou a que dita epiléticos sofrendo epilepsia e egípcios habitando o Egito?
 E a tradição lexicográfica é a que nega a Portugal o primado do idioma?!...
 Posto isto em que ficamos; com o Acordo ou com a Academia Brasileira das Letras?...
 O vocabulário do I.L.T.E.C. (o do governo do eng.º Sócrates) fez tábua rasa do texto da Base XVI acerca do prefixo re- e segue a cartilha brasileira. E “os recursos linguísticos da Priberam têm vindo a ser alterados desde 25 de Janeiro de 2011 para seguir a excepção instituída pelo V.O.L.P. da A.B.L.” — O ano lectivo, pois é…
Pois bem, mas se o texto do Acordo é para fazer gato-sapato, que regerá ele afinal?
Ora, nada! A Academia Brasileira das Letras e cada burro escrevem por si.


(*) Nota explicativa ao V.O.L.P. da Academia Brasileira das Letras, pp. LI a LIII.

Escrito com Bic Laranja às 23:14
Verbete | comentar
30 comentários:
De JPG a 24 de Fevereiro de 2011
«Não se preocupem que continuam a puder dizer contacto»
«Até os mais poderosos utilizam este espaço para comunicar e para serem consumidos como produtos políticos»

A julgar pelo "português" que usa, compreende-se a sua militância a favor AO90. Só não se compreende é o motivo que o leva a vir por exemplo aqui atirar com esse seu "linguajar" militante à cara de pessoas que até sabem escrever e tudo.
De Carlos Portugal a 24 de Fevereiro de 2011
Caro JPG:

Está-se a ver que o «Ativo» (sem «c») é um sistémico ao serviço dos socretinos e outros Kaddhafis, que o mandaram «estar de olho» nos blogues que não alinham pela barbárie...

É despachá-los para a Líbia, para o meio da população revoltada que emitiu uma «fatwa» contra o Kaddhafi e «sus muchachos»...

Cumprimentos.
De JPG a 24 de Fevereiro de 2011
Caro Carlos Portugal,

Eu cá, macacos me mordam, salvo seja, gostaria de entender o que pretendem ao certo estes acordistas da corda. Convencer quem do quê? Catolizar que indígenas em que novo ou velho Continente? Será que andam por aí a chatear as pessoas por puro ócio, por desgraçada estupidez ou será que é apenas para provocar mesmo?

Enfim, perguntas meramente retóricas - se bem que encanitantes - para as quais o melhor ainda será talvez usar a resposta universal de "nosso" PM: porreiro, pá!

Não quer dizer nada, mas pronto, mais vale ter uma resposta que não vale nada para perguntas que ainda menos do que ficar a gente matutando num assunto de valor equivalente.

Será de deixá-los ladrar, portanto.

Cumprimentos.
De Carlos Portugal a 24 de Fevereiro de 2011
Nem mais, Caro JPG...

Cumprimentos.
De Bic Laranja a 24 de Fevereiro de 2011
Um "abrantes", não é como se designam?
Cumpts. :)
De Bic Laranja a 24 de Fevereiro de 2011
Caramba! O que eu perco por desprezar certos "activos".
Grato pela achega. Cumpts.

Comentar

Julho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____