23 comentários:
De Jacinto Apóstolo a 8 de Agosto de 2011
O Paço Alentejano deve ter fechado em meados dos anos 60.Era muito frequentado por aficcionados da tauromaquia e a filha do dono era uma senhora loira espampanante (adjectivo que na altura se aplicava a senhoras com atributos semelhantes à Jayne Mansfield e também a Buicks e Cadillacs...). Na foto (finais de 50) pode ver-se ainda a esplanada, bem como a esplanada da Munique.
O prédio da sapataria infantil, agora Bambi, ex-Pim Pam Pum, continua a ter a rosa-dos-ventos, só que já sem iluminação, agora limita-se a ter por cima uma luz vermelha de alerta à navegação aérea. Os dois prédios que fazem esquina para a Almirante Reis é que perderam há poucos anos as armas da cidade de Lisboa (a nau com dois corvos onde foi trazida para Lisboa a urna com os restos mortais de S. Vicente). Como os telhados desses dois prédios estiveram em reparação, talvez tenham retirado os cata-ventos temporariamente para manutenção e tencionem mais tarde vir a colocá-los no seu devido local.
Já agora, do passeio, ao pé da torre mais alta ou das esplanadas acima mencionadas, já é possível descortinar-se o Tejo, mas de facto a vista torna-se mais deslumbrante do alto do arranha-céus.
Esta situação faz-me lembrar o caso do edifício do Ministério do Trabalho na Praça de Londres. Antes das obras, que sofreu há poucos anos, tinha no corpo do topo do edifício uma platibanda de peças esculturais que eram da origem da construção e valorizavam enormemente o aspecto estético do prédio, bem como um pau de bandeira. Tudo foi retirado e agora o topo do edifício tem o aspecto desolador de uma parede lisa pintada de verde. Talvez estejam também guardadas em algum armazém da CML ou do próprio Ministério e a seu tempo (quando a crise passar) as tornem a colocar no seu devido local?
Cumprimentos
De Bic Laranja a 8 de Agosto de 2011
Tenhamos esperança. E muita fé.
Obrigado pelas achegas. São preciosas.
Cumpts.

Comentar