Quarta-feira, 30 de Novembro de 2011

Garagem Imperial

 Há dias ouvi um jurista dizer que dantes os contratos se faziam para cumprir, hoje para serem renegociados. Isto a propósito de automóveis do governo.

Garagem Imperial, Rua Carlos Mardel (M.Novais, 1940-50)
Garagem Imperial, Arroios, [anos 40-50].
Estúdio de Mário de Novais, in Biblioteca de Arte da F.C.G..

Escrito com Bic Laranja às 08:50
Verbete | comentar
29 comentários:
De Carlos Portugal a 30 de Novembro de 2011
Creio que agora seja o parque de estacionamento do Pingo-Doce, Caro Bic... Colocaram-lhe um piso intermédio, ficando o «supermercado» por baixo e o estacionamento por cima, mas com a mesma cobertura...
Cumprimentos.
De Bic Laranja a 1 de Dezembro de 2011
Cuido que sim. Mas será o mesmo edifício?
Cumpts.
De Carlos Portugal a 2 de Dezembro de 2011
Penso que sim, Caro Bic.
Cumprimentos.
De Carlos Portugal a 30 de Novembro de 2011
Quanto à notícia desgovernativa em apreço, que mais haverá a dizer, meu Caro, senão que está de acordo com os crápulas que nos andam a roubar?...
Cumprimentos.
De Alves Pereira a 30 de Novembro de 2011
Seja bem-vindo de volta, Carlos Portugal!
Frase curta e incisiva que diz muito com muito poucas palavras; seria difícil dizer melhor. Cumpts
De Carlos Portugal a 2 de Dezembro de 2011
Muito obrigado, Caro Alves Pereira!
Cumprimentos.
De Bic Laranja a 1 de Dezembro de 2011
Sim. Bate certo com a realidade. - Tal como o fim do feriado no 1.º de Dezembro que agora laboriosamente propõem. De feito, já tinham acabado com Portugal...
Cumpts.
De Carlos Portugal a 2 de Dezembro de 2011
Infeliz realidade, Caro Bic... Esperemos que mude. Já tarda...
Cumprimentos.
De Alves Pereira a 30 de Novembro de 2011
Não sendo eu jurista, apraz-me perguntar:
então não há ele contratos ilegais à partida? Se essa gente(inha) tivesse coluna vertebral, que tal falar com essas empresas e propor uma renegociação (tão na moda) no estilo
"se persistirem nesse abuso, ainda que legítimo juridicamente, não haverá mais negócios com V. Sªas"
ou, em alternativa:
Ir buscar o dito zurrinho para que justificasse tal mordomia, e, no caso mais que provável de este o não conseguir, fazê-lo pagar o dito aluguer a expensas próprias... (credo, cruzes, canhoto que me vai dar uma coisinha má)
Iam ver como tudo começava, de repente, a funcionar.
Cumpts
De Bic Laranja a 1 de Dezembro de 2011
Contratos fora da lei são nulos. Mas a lei é só para os que roubam no supermercado.
O Zorro, bem... É da maçonaria que lhe poderá acontecer?
Cumpts.
De Carlos Portugal a 2 de Dezembro de 2011
Pois... o «Grande» Oriente Lusitano, ou GOL, republicano e laico, como eles dizem, que tudo subverte...
Cumprimentos.
De George Sand a 30 de Novembro de 2011
Fotografia espectacular!
De Bic Laranja a 1 de Dezembro de 2011
Tambem acho. Honra ao fotógrafo.
Cumpts.
De BST a 1 de Dezembro de 2011
Há uma coisa chamada alteração das circunstâncias...
Código Civil,
Artigo 437.º - Condições de admissibilidade
1. Se as circunstâncias em que as partes fundaram a decisão de contratar tiverem sofrido uma alteração anormal, tem a parte lesada direito à resolução do contrato, ou à modificação dele segundo juízos de equidade, desde que a exigência das obrigações por ela assumidas afecte gravemente os princípios da boa fé e não esteja coberta pelos riscos próprios do contrato.
2. Requerida a resolução, a parte contrária pode opor-se ao pedido, declarando aceitar a modificação do contrato nos termos do número anterior.

De Alves Pereira a 1 de Dezembro de 2011
Muito grato lhe fico pela explicação, simples e eficiente de que eu suspeitava... estamos mesmo metidos com uma corja.
Cumpts
De Bic Laranja a 1 de Dezembro de 2011
Bate certo, não é verdade?
Cumpts.
De Bic Laranja a 1 de Dezembro de 2011
Uma lei sensata. Como tantas outras, como se a aplica?
Cumpts.
De BST a 2 de Dezembro de 2011
Creio que a mera invocação deste preceito, em negociações particulares teria mudado as coisas.
De Bic Laranja a 2 de Dezembro de 2011
Nem assim se aplica. Saberá o governo de leis?
Cumpts.
De João Paulo a 4 de Dezembro de 2011
Foto espectacular, com automóveis que serão hoje uma bela raridade. Os membros do governo podiam andar num Citröen "arrastadeira", era um bom investimento e ficava pitoresco, mas já não há peças!
De Bic Laranja a 4 de Dezembro de 2011
Seria caprichoso e caro. Tal como fazer um museu dos coches novo na esquina diante do picadeiro de Belém por uma dinheirama e não restaurar as carruagens degradadas.
Cumpts.
De Attenti al Gatti a 4 de Dezembro de 2011
Pois, imperial, imperial, por alí, só conhecí as da Portugália e o falecido cinema do mesmo nome na R. Francisco Sanches. Garagem Imperial, em Arroios, desconheço completamente. O Carlos Portugal Fala no Pingo Doce lá do sítio, mas na fico na mesma. Por alí, só faço compras no Mercado do Chile. Para matar saudades. Pergunto: onde se situava a garagem que deu origem a foto tão interessante?
A.v.o.
De montenegro a 4 de Dezembro de 2011
O Mota já andava a apanhar chuva na sua "trotinete" e vai daí... sai um Audi - pode-se anular o leasing - eu próprio fiz a anulação do meu contrato - e não tenho o poder negocial que tem um governo.

O rapaz estava cansado de andar de mota

600 boys encontraram emprego na tacharia, em 5 meses
De Bic Laranja a 5 de Dezembro de 2011
Sinal de pouco tino: começar por se expor daquela maneira sem perceber logo no que havia de dar logo que se montasse em quatro rodas; até um de metade dos 17.000 contos lhe rebentaria nas ventas.
Cumpts.
De Attenti al Gatti a 4 de Dezembro de 2011
Afinal estava lá a pista, Cedí ao facilitismo do perguntar. A ser no actual Pingo Doce da Rua Carlos Mardel, foi anteriormente a garagem da falecida, suponho, Sorel, representante em Portugal da General Motors, onde se incluía a Opel, por exemplo.
Na foto reconheço a inconfundível "arrastadeira", alguns Fiat, Austin e mais nada.
A.v.o.
De Carlos Portugal a 5 de Dezembro de 2011
Caro Attenti Al Gatti:
Não posso afirmar se seria a da Sorel, mas que há lá vários Opel Olympia e alguns Chryslers, isso há...
Cumprimentos.
De Attenti al Gatti a 8 de Dezembro de 2011
Caro Carlos Portugal
Se não me falha a memória, foi como oficina da Sorel que esse edifício, pelos vistos construído de raíz para tal fim, encerrou o seu ciclo como garagem, dezenas de anos depois da data da foto.
Quanto aos veículos, reconheço muito poucos, aqueles que na minha infância já eram considerados "calhambeques", talvez por influência da canção homónima de Roberto Carlos. Os outros são-me completamente estranhos. Este tipo de fotos causa-me sempre um aperto no coração. É que eu, juntamente com outros putos lá do bairro, ajundei a vandalizar, inconscientemente, um Studbaker vermelho e um outro carro americano, preto, talvez um Ford. Lembro-me, confragidamente, da crina do enchimento dos assentos e do barulho dos tampões das rodas a rebolarem pelo chão. Para não falar do resto. E assim se foi o que agora valería muito dinheiro.
De Carlos Portugal a 5 de Dezembro de 2011
Caro Attenti al Gatti:
Parece que terá sido mesmo a da Carlos Mardel, e a diversidade de modelos e marcas dever-se-à ao serviço de recolha de automóveis:
http://restosdecoleccao.blogspot.com/2009/08/garagem-imperial.html
Uma das fotos, em que se vê a varanda de onde foi tirada esta vista, corresponde perfeitamente à posição da saída para os elevadores do actual parque de estacionamento do Pingo Doce, assim como as clarabóias, ainda existentes. E a estreiteza da fachada, hoje alterada, assim como o prédio ao lado e a disposição transversal do pavilhão da garagem também coincidem...
Cumprimentos.
De Bic Laranja a 5 de Dezembro de 2011
Naquelas terras tenho notícia duma Metalúrgica Portugal há c. de 100 anos, quando se começaram a urbanizar aquelas paragens. Não sei se mais ali se mais para as garagens da Rua Actor António Cardoso.
Pelos anos 60 na garagem havia umas bombas da Sacor.
Cumpts.

Comentar

Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
21
23
25
26
27
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____