Domingo, 3 de Junho de 2007

Da rua e do desvio

Desviada a rua, assentaram-se arraiais...
R.Campolide, Lisboa (A.J.Fernandes, 1967)
   Muro [do Casal do Sola], Rua de Campolide, 1967.
   Fotografia: Augusto de Jesus Fernandes, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..
 
Rua de Campolide, Lisboa © 2007
Lugar onde a Rua de Campolide foi desviada, Lisboa, 2007.

E chega de Rua de Campolide.

Escrito com Bic Laranja às 14:52
Verbete | comentar
10 comentários:
De Bic Laranja a 7 de Junho de 2007
Alguém o há-de ter feito, não se aflija. Ao depois aparecerá no arquivo. Cumpts.
De T a 7 de Junho de 2007
Para a semana tiro. Não custa nada. Tenho pena de não ter tirado a tantas outras que foram demolidas na Columbano. E à do Ventura Terra na AAA Aguiar...grrrrrr, que burra que fui.
De Bic Laranja a 7 de Junho de 2007
Se há coisas que se não explicam, esta casinha manter-se é uma delas; tem um painel de azulejos, creio. Mas temo que mal fique devoluta logo nasça ali algo contemporâneo. Se lhe apetecer e não for trabalho... Obrigado!
De T a 6 de Junho de 2007
Andamos a planear um ataque a esse arraial há que tempos..
Mas ó senhor Bic, há uma casinha sobrevivente ali no meio. Quer que se fotografe? Um desejo seu é uma ordem.
De Bic Laranja a 4 de Junho de 2007
Ah! Ah! D. Luar. Mas é tempo de arraiais... :) // Errezinha: foi sem querer; mas a cidade é pequena. // Cumpts.s a ambas.
De errezinha a 4 de Junho de 2007
mmm... O mr.Bic andou pertinho (de alguns) de nós ;-)
De luar a 4 de Junho de 2007
Por acaso passei por lá na 6ªf à noite e no local do "estaleiro das obras" está uma "feira" com carroceis, "bejecas" sardinhas, etc... A partir de certa hora deve ser um locar muito familiar.... Anigamente plantavamos couves em tudo quando era buraco, agora são outro tipo de "coubes"
De Bic Laranja a 3 de Junho de 2007
Mário: o que se há-de fazer... // Jansenista: grato pelo apreço! // Cumpts.
De O Jansenista a 3 de Junho de 2007
É curioso, não me ocorreria interrogar-me sobre essa parte final da Rua de Campolide. E no entanto, puxando pela memória consigo lembrar-me de algo diverso daquilo que lá está hoje - dos tempos em que frequentava muito a casa de um colega de escola, então morador na Columbano. Das traseiras de casa via-se essa parte final da Rua de Campolide, avançando directamente para Benfica - antes de aparecer a José Malhoa. Bravo, mais uma bela investigação olissipográfica!
De Mario a 3 de Junho de 2007
Durante quase 2 anos percorri essa estrada diáriamente em direcção às Amoreiras... Curioso ver como era antigamente. Aparentemente uma zona calma onde não se passava quase nada e repente surgem os prédios e hoteis mais altos da Cidade de Lisboa. É o progresso, o que é que se há-de fazer...

Comentar

Julho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____