8 comentários:
De Luísa a 16 de Fevereiro de 2012
Ontem li "atum" nas legendas de um canal de televisão, quando o que pretendiam dizer: "as forças actuam".
Sempre que alguém fala de certos "aspectos" do acordo eu leio "espetos" (normalmente com porquinhos a rodar!!).
E com a do "teto"... simplesmente fico sem chão.

É que o meu cérebro tem a tendência a procurar a palavra que se assemelha graficamente. A do "atuam" foi... estive ali um bocado a pensar o que queriam dizer com o "atum". Depois é que me apercebi o que o meu cérebro tinha feito: comeu uma letra a uma palvra já mutilada!

Se um adulto fica desnorteado, imaginemos crianças/jovens em fase de aprendizagem... depois querem que eles tenham boas notas e sejam os melhores da Europa nas provas do PISA... tretas! (será que agora vão começas a ler/dizer "trétas"?!?!)
De Bic Laranja a 18 de Fevereiro de 2012
Claro que lê atum, espeto e mais disparates, sem dscurar de quando não lê nada por o significante não lhe representar nada; de tão estropiado fica irreconhecível: receção, semirreta, conceção são o quê?
Um leitor treinado não soletra (excepto o atrasado mental Malaca) e significantes estranhos são um entrave à leitura. As crianças em idade de aprender hão-de assimilar a lavagem ao cérebro porque são tábua rasa, mas o mesmo não se dá com um mais velhinho que já tenha aprendido as letras há pouco. Este fica à toa por lhe faltar o treino e o conhecimento suficiente da escrita para, mesmo ao fim dum pedaço, concluir - Ah! Afinal «têto» é «tecto» mal escrito. E no fim acabará a pronunciar fâtura e idiolêto por exemplo.
Cumpts.
De Zephyrus a 16 de Fevereiro de 2012
Estamos a criar cérebros dormentes. Ora imaginem os chineses que têm 50 mil caracteres. Coitadinhos. Deve ser um sofrimento...
De Bic Laranja a 18 de Fevereiro de 2012
Não precisamos ir tão longe. Os meninos ingleses espalham-se a toda a hora com dificuldades «psychics» por causa dos dígrafos latinos de origem grega. Sabemos isso pela absurda taxa de analfabetismo que há séculos assola a Inglaterra.
Cumpts.
De Daniel João Santos a 16 de Fevereiro de 2012
em compensação o meu acha que "tecto" está mal escrito.
De Bic Laranja a 18 de Fevereiro de 2012
Um cérebro capaz entende dessa maneira, sim.
Cumpts.
De paranoias-de-mae a 16 de Fevereiro de 2012
E não é só terem tirado "c" ao teto ou "p" ao batizado , é por exemplo os meses deixaram de ter letra maiúscula e terem letra minúscula Eu como não sabia ensinei mal o meu filho que está no 1º ano de escola...
De Bic Laranja a 17 de Fevereiro de 2012
Não ensinou mal. A escola é que anda errada. Depois, o filho é seu ou do ministério da educação?
Cumpts.

Comentar