19 comentários:
De [s.n.] a 19 de Fevereiro de 2012
Conheço esta ourivesaria, fui lá várias vezes. A decoração é/era um espanto. As elegantes vitrines a preencherem todas as paredes assim como as mesinhas-vitrine, todo o interior era adorável. As pinturas no tecto, outra maravilha. Ali está/va um espaço expositivo construído de raíz e especialmente decorado para a exibição de peças de alta joalharia num ambiente de rara beleza e conforto.

Este género de estabelecimentos muito antigos, quase sumptuosos, abertos ao público, também existem em muitas cidades da Europa, com a 'pequena' diferença de que estão protegidos por lei e naturalmente vedada a alteração da decoração interior e em muitos casos até a exterior e/ou a sua demolição. Mas cá, desde o 25/4 e estando o país refém de um gangue mafioso que tudo vende ou deixa destruir a troco de muito dinheiro, os piores crimes são permitidos e cometidos. Pois se até o próprio país com quase mil anos de existência foi destruído, porque não deixar fazer o mesmo ao seu valioso património arquitectónico, como já aconteceu a centenas, senão milhares, de verdadeiras obras de arte? Estas para esses abutres valem peva.

Aquilo que os vai safando, deixando-lhes campo livre para prosseguir com estes crimes de lesa-património e outros ainda piores, é o facto de os portugueses irem amochando tudo e mais alguma coisa sem manifestar a mínima revolta. E eles, como bandidos da pior espécie, vão-se aproveitando enquanto podem.

Até onde esta fajardice nos irá levar, só Deus sabe.
Maria

De Bic Laranja a 19 de Fevereiro de 2012
A plebe que exauriu a riqueza não quere ouro fino. Quere carros alemães.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 20 de Fevereiro de 2012
Ora aí está: notavelmente simples e esclarecedor, como, de resto , é hábito do caro Bic.
Cumpts
De Inspector Jaap a 20 de Fevereiro de 2012
Muito provavelmente, ao fundo, Maria, ao fundo... se não quiser perder a Esperança, encare a possibilidade minimalista de, um dia destes, aparecer de novo, como já falámos aqui atrasado, uma nova D. Luísa de Gusmão (desta vez não confundi!) a liderar uma verdadeira revolta popular que nos tire deste atoleiro maldito em que essa cáfila apátrida e putrefacta nos meteu.
Cumpts.
De [s.n.] a 20 de Fevereiro de 2012
Isso, isso. E quanto mais depressa melhor. Já basta o que basta (expressão do Prof. Marcelo Caetano na televisão, quase no fim do regime, farto das atoardas que os bandidos que nos desgovernam agora, lançavam permanentemente contra o regime e seus dirigentes (os traidores de cá e os que viviam num exílio dourado em Paris, sempre Paris...) contra ele próprio e certas medidas políticas por ele tomadas e tidas por necessárias, as quais, vistas a esta distância só pecaram por terem sido brandas demais e ele ter cedido a certas exigências feitas pela oposição às quais jamais deveria ter dado ouvidos.

M.C. teve carradas de razão em relação às mentiras vergonhosas e sistemáticas fabricadas pelos traidores à Pátria das antes de os portugueses na sua imensa maioria se darem conta da verdade contida nas suas sábias palavras e também na patriótica e premonitória frase de Salazar, várias vezes repetida, quando este se referiu aos conspiradores e inimigos do país: "se eles algum dia se apoderassem do poder em Portugal destruí-lo-iam, é esse o seu único e principal objectivo".
Maria

Comentar