7 comentários:
De Bic Laranja a 31 de Maio de 2007
Ou o global apregoado em pseudo-língua-franca até à sua desintegração por falantes globais cuja ignorância lexical é prática ancestral. V. o Latim. Cumpts.
De carlos freitas a 31 de Maio de 2007
Modernices...
A questão principal nem se prende com a construção do artesanal...muitos e bons artesãos existem por aí com peças diferentes e arrojadas do ponto de vista estético..um outro artesanato...mas nem por isso o deixa de ser. A questão é a perda de identidade/s, numa globalização desenfreada a que todos devemos aderir porque modernos. Vide "Tempos Modernos" de C. Chaplin, chegareis ao ponto de artesanato com as palavras visualizadas. O global antes do global por mão de mestre.
De Bic Laranja a 30 de Maio de 2007
«As peças únicas são mais valorizadas»: à saída da oficna dum mestre nem sempre. Cumpts.
De T a 29 de Maio de 2007
Estou um bocadinho ensonada mas...cada vez as peças únicas são mais valorizadas. Para quem pode. Ou para quem tem.
Se o produto em grosso é mais barato, perde a originalidade do acto único. Por exemplo tenho uma serigrafia dum amigo meu. que até está bem cotado: é a 1 de 2. Disse ele: é como se fosse única. Mas não é.Há outra. Mas por acaso. estou-me a marimbar: é linda.
De Bic Laranja a 28 de Maio de 2007
Scarlata: e afunila tudo na globalização. // Obrigado Intemporal! // Cumpts. a ambas.
De Intemporal a 28 de Maio de 2007
Estão em vias de extinção os trabalhos artesanais, porque não há quem queira fazê-los ( gente mais jovem não querem aprender) e os antigos vão desaparecendo. Também porque nos tempo que correm, é preciso muito AMOR À ARTE, todos nós andamos a "correr" atrás do vil metal (euros)e com trabalhos "delicadamente feitos á mão" não são compensados monetáriamente com o devido valor. Parabéns pelo blog.
Deixo um abraço e a promessa de continuar a visitar.Intemporal
De Scarlata a 28 de Maio de 2007
Nivelam tudo por baixo... por ai, por aqui...

Comentar