Quarta-feira, 22 de Fevereiro de 2012

Dos idiotas úteis e dos outros

« [...] O verdadeiro objectivo do A.O. parece sempre ter sido um só: o mercado interno brasileiro de livros didácticos e paradidácticos. Portugal entrou no A.O. como mero argumento: a história da unificação da língua escrita (que o A.O. na verdade não promove) como passo para a inclusão do português como língua oficial da O.N.U., as proclamações pouco substanciais que resultaram das tantas reuniões jantantes da lusofonia – tudo isso era cortina de fumaça. O que importava mesmo, desde o princípio, era fazer uma reforma ortográfica no Brasil, para uso e abuso interno. Tanto que o A.O. foi aprovado e implementado a poder de lei no Brasil, unilateralmente. Desde a implementação, o governo brasileiro não compra um só exemplar de livro que não esteja de acordo com a nova ortografia: esse é o x da questão. O resto é discurso para inglês ver. Tanto que, neste momento, não vejo ninguém preocupado, aqui, com a adesão ou renúncia de Lisboa ao A.O. O objectivo já foi atingido [...] Os países africanos dão mostra de terem percebido o engodo. Eles, que poderiam ser um benefício adicional ao A.O., do ponto de vista brasileiro. Tomara que se mantenham firmes e não adiram. Agora falta cumprir-se Portugal.»

Paulo FranchettiO Brasil, Portugal e o Acordo Ortográfico», in Tantas Páginas, 22/2/2012 (a grafia foi revista; sublinhados meus).

  O Malaca largou o Vocabulário da Academia e foi a correr e a saltar fazê-lo na Porto Editora, para somar a mediocridades de tomo a que nos habituou.
  A Priberam abrasileirou o seu dicionário a convite da Amazon que o crava de tal maneira nos iPad que não há forma de removê-lo. Isto somado ao que factura por fora com incautos e certos imbecis...
  A Leya abocanhou o naco brasileiro e não quere já saber do resto, de modo que despede em Portugal e aposta no Brasil...
  Estes são (alguns) dos outros. 
  Idiotas úteis, sobressaíram nestes dias o chocho director do saco de plástico — «A minha adesão pessoal ao Acordo Ortográfico tem a ver simultaneamente com confiança e humildade» (Expresso, 20/2/2012) — mai-lo soalheiro ex-director do dito que se tristemente estriba no ilustre pai, que Deus tem, para se atascar no atoleiro ortográfico onde Portugal entrou como mero argumento. Mas o galã da fita refulgiu há dias, qual Dom Casmurro, depois de ter estado de olhos fechados durante quase toda a récita; muito atento venerador e obrigado a Machado de Assis e à sua pátria (sua do escritor brasileiro), quis alijar-se do frete que carregou às costas de Portugal vai para cima de vinte anos — «Cavaco Silva incumbiu-me de inaugurar o C.C.B. e de assinar o Acordo», (Sol, 13/2/2012). Não se apoquente ele agora que — como dizia o Zequinhanão há cá galãs!... No elenco apinham-se para cima de 230 bestas de carga com umas dúzias de cavalgaduras de nomeada, todos à desfilada e com camadões de vermes parasitários por cima e por debaixo do pêlo. E tudo isto perante um director de cena que de tão mau orador quão fujão mete dó. 
  Portugal cumpriu-se, pois!
  Onde pus eu o Shelltox?


Bomba Shelltox. Fotografia sem data.
Estúdio de Mário Novais: 1933-1983, in
Biblioteca de Arte da F.C.G..

Escrito com Bic Laranja às 20:50
Verbete | comentar
12 comentários:
De Carlos Portugal a 22 de Fevereiro de 2012
Excelente, Caro Bic!
Mas não lhes dava com o Shelltox, mas sim com o velho Sacortox, aquele do anúncio televisivo de então, em que o cliente acabava a cena dando com uma enorme marreta na cabeça do empregado de mesa, ao ritmo em que quase soletrava: Sa-cor-tox! Para cabeças duras, tem de ser, está bem de ver.

Quanto aos dicionários electrónicos, já despedi o Flip há anos, mas a execrável Microsoft impingiu-me uma «actualização» asinante do dicionário do Word num «update» do Windows... Mas não ganhou... Fui ao ficheiro e corrigi todos os erros crassos da ortografia abortiva para Português de Lei. Quem não queira editar o dito ficheireco, poderá, todas as vezes que o asneirómetro electrónico sugerir a «correcção» abortiva, adicionar a grafia correcta ao dito, para ver se o cultiva um pouco...

Cumprimentos.
De Bic Laranja a 26 de Fevereiro de 2012
Do anúncio não me lembra agora. Mas a cacetada seria apropriada.
A Microsoft (e o resto) há-de boiar ao sabor da circunstãncia. Tal como as formas da a subverter.
Cumpts.
De Luísa a 23 de Fevereiro de 2012
Sempre se disse que o pior cego é aquele que não quer ver! E andam para aí uns anjinhos ceguetas que dá vontade de os espancar: se não entendem a bem, sabe-se lá se não entendem a mal!?!?
Quanto a andarem a mudar dicionários... comigo já não ganham nem mais um euro. Tenho um de 2008 ou algo assim e muitas vezes até uso um da minha mãe que é da década de 1980... mais anterior ao acordo, só se fosse ao início do século XX. :D

Falando em humildade... sempre achei que quem se diz humilde, na realdiade, não o está a ser... Será que me engano muito?

Já o Word... o meu computador é suíço, dá sempre erro! Eu só tenho que fazer a revisão de texto depois, já que o meu querido não reconhece uma única palavra do que escrevo. Uma grande alegria para mim. :D:D:D
De Bic Laranja a 26 de Fevereiro de 2012
Não ganham connosco mas há amiguinhos a gerir bibliotecas, escolas, direcções-gerais e afins. Todos mui aperaltadinhos com o dinheiro dos contribuintes.
É um fartar vilanagem!
Cumpts.
De VSC a 23 de Fevereiro de 2012
O acordo é feito para as aspirações políticas do Brasil a um lugar permanente no conselho de segurança da Onu, a que eles dão uma extrema e para nós, europeus, quase incompreensível importância.
A ideia de mudar 4% dos vocábulos de 6 países foi para para reformar a ortografia do Brasil é tomarem-nos por tolos.
Então o Brasil, essa grande potência cultural...
De Bic Laranja a 26 de Fevereiro de 2012
Sim. Vale a primeira. Sendo que com ela decorre o lucro com os dicionários e livros escolares. Isto para o Brasil, que para Portugal serve o papel de capacho.
Cumpts.
De Paulo Ramos a 23 de Fevereiro de 2012
Viva, excelente texto que só mostra a subserviência de uns quantos analfabetos que governam esta República das Bananas. É uma vergonha que, da direita à esquerda (à parte honrosas excepções) os de_puta_dos da Nação tenham vendido por 20 moedas a ortografia de um País e, ainda pior, sem sequer terem lido o AO.
De Bic Laranja a 26 de Fevereiro de 2012
Alguns tolos venderam cuidando que faziam cousa boa. Outros displicentemente (por disciplina partidária e não por representação dos eleitores) sem saber nem querer saber do que faziam: os capachos do costume. Uns poucos, por ganância particular e prática reiterada de esbulho da coisa pública em prol da própria prol.
Todos uma corja inútil a ser corrida a pontapé.
Cumpts.
De José Leite a 26 de Fevereiro de 2012
Caro Bic Laranja

Esqueceu referir o dito publicitário na época ao «Sheltox» :

«Sheltox mata que se farta»!

Cumprimentos

José Leite
De Bic Laranja a 26 de Fevereiro de 2012
Tal como o mosquedo, estava implícito.
Cumpts. :)
De zefp a 28 de Fevereiro de 2012
Caro Bic
Em cavaqueira amistosa com um compadre recordava uma emissão televisiva do início dos noventa e que, em formato de debate, se discutia o então contemporâneo acordo.
Respigando fitas antigas, este companheiro de armas deu de caras com tal tesourinho.
Vai daí, publique-se que, tal como agora, nada de novo e tudo na mesma.
Se tiver um bocadinho, dê uma espreitadela que não se vai arrepender (ou vai...)http :/ vimeo.com /37597535
cumprimentos
De Bic Laranja a 28 de Fevereiro de 2012
Grato pela partilha. Vou ver a seguir. Logo lhe comento.
Cumpts.

Comentar

Junho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____