Terça-feira, 28 de Fevereiro de 2012

Duma certa linguagem...

 Em três comentários que deixei no blogo do Cachimbo de Magritte dois levavam o vernáculo «paneleiragem». O verbete era sobre paneleiragem, portanto... Mas eles lá no Cachimbo dizem «gay». Os meus dois comentários que metiam «paneleiragem» (salvo seja) ficaram por publicar. Provavelmente não interessariam muito e nem eu me lembra o que foi que neles disse (*); ficou-me só que escrevi neles o palavrão «paneleiragem» e cuido que por ele — pelo palavrão — não mos hajam publicados. Os do Cachimbo de Magritte não toleram linguagem desbragada e eu concordo: não é léxico autorizado.
 Um termo tão rude como «paneleiro», mas calão esquecido na voz corrente, é «fanchono». — Raul Brandão, lembro-me eu, usou-o nas «Memórias». António Ferreira diz que também (cf. verbete original), há séculos, na comédia «Bristo» dedicada ao infante D. João, pai de el-rei D. Sebastião. De caminho entre ambos não há-de ter falhado a Bocage, estou certo. — Ora a «paneleiro» não conheço pergaminhos de belas-letras que lhe valham. E «fanchono», por ignorado completamente ou por alcatruzado às belas-letras por autores de nomeada, é claro que teria passado no crivo do moderador do Cachimbo sem ninguém lhe sentir a depreciativa rudeza. Tal e qual — somado que é novidade lexical vinda lá de fora, elegância sempre encantadora —, poucos hodiernos detectam a torpeza do «gay». Em todo caso este género de linguajar obscurantista cedo recupera carga pejorativa; o blogo das «Perspectivas» usa amiúde o mestiçado «gayzismo» como extensão semântica da coisa: da paneleiragem, isto é. O significado não se desvia por lhe mudarmos o significante, só a percepção daquele pode às vezes ser mitigada. Mas inevitavelmente a realidade torna e não despega. Por mais que dobremos a língua, paneleiragem é... paneleiragem, desde os tempos bíblicos de Sodoma. Havia de ser agora que, com um arco-íris de significantes, a realidade se desviava de o ser? O que passávamos bem era sem ela assim, chibante, na Av. da Liberdade.

... E doutras narrativas que moldam

(Prima para ler.)

Malheiros, «Léxico autorizado» («Público», 28/2/2012)
(«Público», 28/2/2012.)


(*) Deve ter sido o que está à vista, perdoe-se-me a sinceridade: o que a paneleiragem quere é chegar aos meninos.

Escrito com Bic Laranja às 21:01
Verbete | comentar
21 comentários:
De Zephyrus a 29 de Fevereiro de 2012
Ditadura do «politicamente correcto».
De Bic Laranja a 29 de Fevereiro de 2012
Ditadura, não. Democracia, s.f.f.
Cumpts.
De [s.n.] a 29 de Fevereiro de 2012
Não sei o porquê de tantos pruridos com esse vocábulo. É bem melhor do que os outros quatro sinónimos. Estas novas modas de empregar estrangeirismos de todo o género e feito, a torto e a direito, que aterraram em Portugal com e na boca dos abrileiros cujo objectivo único era dar início ao desvirtuamento da língua portuguesa para, após o tempo julgado oportuno, darem à luz o aborto ortográfico dando origem à novilíngua que eles tanto adoram e praticam. Tudo o que seja destruir Portugal por todas as vias possíveis, incluíndo tradições e práticas quase milenares, pr'além do nosso segundo bem maior, a língua, aí eles estão sempre prontos para pôr as mãos à obra.

Aliás trata-se de um disparate de todo o tamanho empregar o vocábulo "gay" para designar um maricas ou paneleiro, porque até talvez aos anos 70 (anos do LSD em força e que provàvelmente lhe deu origem, embora erradamente), nos Estados Unidos a palavra "gay" significava "alegre", "jovial", "de bom humor". Tenho cá em casa um disco (L.P.) de um tenor norte-americano que gravou algumas canções populares nos anos 50 cuja letra de uma delas contém o vocábulo "gay" com o valor de "alegre" ou "de bom humor". Por conseguinte essa americanice não tem cabimento no nosso dialecto escrito ou falado, por duas razões: a primeira é que ela significa de facto "ALEGRE"/"JOVIAL" e não homossexual; a segunda, porque ela é desprovida de sentido numa língua com um vocabulário riquíssimo como é a nossa, em que há tradução para pràticamente todos os estrangeirismos.

Só há algumas raríssimas excepções, que as há em tudo e em todas as línguas, mas na sua enormíssima maioria, a par de um ou outro anglicismo e/ou francesismo há SEMPRE o respectivo aportuguesamento destes ou mesmo, se se quiser, a completa tradução em sua substituição.
Maria
De Bic Laranja a 29 de Fevereiro de 2012
Outra porcaria que cá não fazia falta eram as bichas.
É precisa uma paciência!
Cumpts.
De [s.n.] a 29 de Fevereiro de 2012
Completamente d'acordo.
Maria
De Inspector Jaap a 1 de Março de 2012
Maria, não se esforce que essa gentinha é toda dura de ouvido. E agora, ao que sei, importam tudo quanto seja "amaricano ”, e vai de espetar dos “dicionários”
Que raio de sorte a nossa!
Cumprimentos
De C. a 29 de Fevereiro de 2012
Uma coisa é o politicamente correcto, que é lamentável. Outra, diversa, é não se usar linguagem de carroceiro.
Bem fez o «Cachimbo» em não permitir essa falta de gosto. E se a linguagem chula parece ser, à primeira vista, politicamente incorrecta, acaba por ser uma aliada objectiva do correctismo, ao vir proclamar que tudo é permissível.
De Bic Laranja a 29 de Fevereiro de 2012
Também acho que os do Cachimbo fizeram bem. Mesmo se não achasse o blogo é deles... Não reclamo disso aqui, usei-o como introdução (salvo seja) ao que vem depois. O calão.
Pois o calão não é aliado de nada a não ser de mau modo e de canelada. A paneleirage' (vamos dizer assim que sempre é mai' brando) já cansa. Enfada. Farta. Enjoa. Reclama num carnaval de birras todo o santo ano por tudo e mais alguma coisa. - E não vejo já, no ponto a que a pocilga social chegou, do que se queixam. - Os heterossexuais têm tempo de antena por isso? - Não. A paneleirage' tem. Os solteiros e os casados reclamam da adopção? - Não se sabe, mas da paneleirage' sabe-se. Não há maneira de nos desampararem a loja com uma ínfima fracção de primatas caprichosos e de gosto extravagante; parece que é só o que há. Pois se o mau gosto é só o que há, rejeite-se-o afrontando-o do mesmo modo taful com que a paneleirage' afronta. Cada um desafronta-se como lhe calha. Viva a libertinagem! Não é o que querem?
De C. a 29 de Fevereiro de 2012
Assim como condenamos que o homossexualismo activista pretenda equiparar-se à heterossexualidade - casamentos e adopções são meros pretextos para tal - assim o uso de baixo calão não é comparável a uma linguagem cuidada.
Não tem graça, é descer ao lameiro. Acho que tem o dever de respeitar quem aqui vem e, sem aviso, se vê confrontado com linguagem desse jaez. Penso principalmente em senhoras.
É altura de começarmos a tentar fazer força para cima. Foram muitos anos de rufias, escusamos de lhes continuar a imitar os plebeísmos.
De Bic Laranja a 29 de Fevereiro de 2012
Não foi para ter graça. Foi para adjectivar seriamente e com propriedade o lameiro, como há-de ter compreendido. Lamento o melindre. Quem me conhece o blogo há-de saber sopesar este texto.
Cumpts.
De Bic Laranja a 29 de Fevereiro de 2012
Dou-lhe razão, porém, que é preciso elevar o nível. Sabe como meter isso na tola dos da agenda mediática?
Cumpts.
De C. a 1 de Março de 2012
Não sei. Mas se todos ajudarmos acaba-se por mudar o tom.
De Bic Laranja a 1 de Março de 2012
Vamos esperar que sim.
De Inspector Jaap a 1 de Março de 2012
Caro C.
Não tendo qualquer procuração do caro Bic , nem tal sendo necessário, permito-me concluir que não é leitor assíduo deste espaço de altíssima cultura e erudição pela parte que lhe, a ele, diz respeito, bem assim como um bom punhado de leitores fieis, entre os quais me não conto, por não estar a esse nível, e que, o que quero é aprender alguma coisa e partilhar o meu amor à Língua Portuguesa com todos vós, o meu caro amigo incluído.… Uma ocasional brejeirice não justifica tal acrimónia... sem lhe tirar a razão.
Cumprimentos
De 1143 a 29 de Fevereiro de 2012
Acabo de ler duas noticias curiosas no mínimo
só para lhe dar conhecimento
"Brasil: Autoridades pedem tradução de passaporte a português"
http://www.destakes.com/redir/c5351f44b47eccc2c4944ee113c86000

"Publicidade do Azeite Gallo acusada de racismo no Brasil"
http://www.destakes.com/redir/ec9958bbec315ff6dee0e4dc520c41a0

só porque mencionam que a garrafa é de vidro escuro
De Bic Laranja a 29 de Fevereiro de 2012
Segundo ouvi também os ciganos querem proibir o dicionário Houaiss que define «cigano» como de pouca confiança. também é racismo.
Muito gostam os estúpidos de judiar com a inteligência. Foi com gente assim que unificaram a grafia do idioma, não foi?
Cumpts.
De Inspector Jaap a 1 de Março de 2012
Notavelmente ácido e corrosivo… mas, para não variar, tristemente verdadeiro; só não vê quem não quer.
Cumpts
De Bic Laranja a 29 de Fevereiro de 2012
Notícia em português no Correio da Manhã.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 1 de Março de 2012
Caro 1143:
É o delirium tremens
Edepois, somos nós os racistas; nóis pega os peiche
Cumpts
De Orlando Braga a 1 de Março de 2012
É, de facto, um problema...

http://bit.ly/w2lcVN
De ASeverino a 4 de Abril de 2012
Atão e porque é que eu não posso casar com uma mula? inda nem percebi bem porquê?

Comentar

Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
21
23
25
26
27
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____