13 comentários:
De Joe Bernard a 13 de Março de 2012
O tal que na hora da morte se virou para os filhos e disse: Meus filhos, não se esqueçam que até das uvas se faz vinho...
(Que má língua...)
De Joe Bernard a 13 de Março de 2012
Ou seria o Camilo Alves???
De Bic Laranja a 14 de Março de 2012
Um deles.
Cumpts.
De Funes, el memorioso a 13 de Março de 2012
Não era aqui que Fernando Pessoa costumava vir esquecer que seria sempre o da mansarda?
De Bic Laranja a 14 de Março de 2012
É possível qu fosse aqui. Talvez viesse no carro operário.
Cumpts.
De José Leite a 14 de Março de 2012
A propósito de Fernando Pessoa frequentador da Abel pereira da Fonseca, Lda.

«Era comum Fernando Pessoa, enquanto se encontrava a trabalhar, levantar-se, pegar no chapéu, ajeitar os óculos e ir até ao “Abel”. Esta simples acção de Pessoa, que se tornou um hábito, intrigou um colega de trabalho do poeta, Luiz Pedro Moitinho de Almeida (segundo Fernando Pessoa - empregado de escritório, do João Rui de Sousa).
Esse mesmo colega apercebeu-se, algum tempo depois, que as idas ao “Abel” eram, nada mais, nada menos, que uma ida ao depósito mais próximo da casa Abel Pereira da Fonseca para tomar um cálice de aguardente.»
texto in: Companhia Agrícola do Sanguinhal.

Cumprimentos
De Bic Laranja a 14 de Março de 2012
Quem diz um cálice de aguardente...
Cumpts. :)
De Bic Laranja a 14 de Março de 2012
Dou agora com seu interessante verbete de 25/10/2011 E recomendo-o.
Cumpts.
De Luísa a 14 de Março de 2012
Não tem nada a ver com a foto (que é bem interessante), mas... será que já viu esta notícia?
http://expresso.sapo.pt/juiz-proibe-acordo-ortografico=f711441
De Bic Laranja a 14 de Março de 2012
Vi sim senhora. O «coiso» é uma porcaria tão completa que se ajeita a rejeições por tudo e por nada. Porcaria maior só o governo que parece nem ver.
Cumpts.
De Zephyrus a 15 de Março de 2012
A beleza dos antigos armazéns e fábricas é incomparável ao lado das aberrações que agora proliferam em «zonas industriais» e áreas comerciais suburbanas.
De Bic Laranja a 17 de Março de 2012
É verdade!
Cumpts.
De Manuel Tomaz a 26 de Abril de 2012
Era na rua dos Sapateiros, quase a chegar ao Rossio, num dos Estabelecimentos do Abel Pereira da Fonseca que o Fernando Pessoa ia tomar a sua aguardente. É que ele trabalhava no escritório, na Rua Nova do Almada, perto deste estabelecimento.

Comentar