19 comentários:
De [s.n.] a 23 de Maio de 2012
Não posso com este homem. Assim que aparece numa televisão mudo logo de canal ou tiro o som até passarem a outra notícia. E não que não o apreciasse como político..., mas isso já vai para muito tempo. Desde que comecei a ver que como Presidente colaborou, para não dizer calou cobardemente, com todas as aldrabices, corrupções e escandaleiras do governo anterior sem dar sequer um ai, comecei a ter-lhe um pó que nem o vejo. Que Presidente é este que ratifica leis que são a maior das vergonhas para um país civilizado e cristão, algumas das quais fazendo-o mas, hipocrisia das hipocrisias, a contra-gosto, muito mais dizendo-se católico praticante(?) e posicionando-se polìticamente no centro-direita?!? Tratar-se-á de uma farsa monstruosa que vem representando primorosamente desde que acedeu ao primeiro cargo político? O mais certo é que tenha sido.
Honra lhe seja, enfiou-nos, a todos os que nele acreditámos votando nele e no seu partido, o barrete até aos pés - com aquele seu ar muito íntegro (fora os vários amigos do peito que sendo, como todos sabemos e ele muito melhor, do mais corrupto e até criminoso - pelo menos um - que há, os protegeu vergonhosamente até mais não poder!) de quem não parte um prato. Chega-se à conclusão de que este Presidente não serve para nada, habita o palácio presidencial ùnicamente para enfeitar as salas. Tal e qual o fazem os jarrões china-azul ou companhia das índias. Mais nada.

Parafraseando um amigo de família em relação aos algarvios de um modo geral, porque os conhece bem, pelo menos aqueles muitos com quem teve negócios: "são mouros, são uns aldrabões do pior"... (e alto lá que graças a Deus não são todos, digo eu, tenho algumas amigas algarvias que são impecáveis - serão estas a excepção à regra? Hummm...
Maria
De Inspector Jaap a 23 de Maio de 2012
Nem eu, cara Maria! A frase de abertura do verbete diz tudo… afinal estamos a falar de alguém que, pelo menos aqui atrasado, nem sabia quanto cantos tinham (por concordância formal) “Os Lusíadas”; tem pelo menos a personagem uma enorme virtude: a de me ter aberto os olhos; sim, que eu também enfiei o barrete, mas curei-me; NUNCA mais volto a votar até à próxima revolução.
Cumpts
De [s.n.] a 23 de Maio de 2012
Exactamente Sr. Inspector Jaap.
Quando a oposição socialista começou a elogiá-lo com superlativos do melhor que há - logo que ele acedeu novamente à política e após um interregno (muito bem estudado) a seguir ao assassinato de Sá Carneiro (do qual, o que é mais grave ainda, possìvelmente terá tido conhecimento) quando ele saiu do governo e se resguardou o tempo tido por necessário para abraçar os opíparos cargos políticos que lhe haviam sido prometidos até ao fim dos seus dias - caso ele comesse e calasse - pela sacrossanta maçonaria (não esqueçamos que ele 'conferenciou' mais do que uma vez, como primeiro ministro e depois como Presidente, com os Skull&Bones (uma das maçonarias lá do sítio) Bush-pai e Bush-filho... o que já de si diz TUDO) como efectivamente lhe foram caíndo no colo uns atrás dos outros e cada um melhor do que o anterior... - exaltando as suas 'enormes' qualidades como economista(?), a sua 'extrema' seriedade e integridade políticas(?), etc., era caso para termos ficado logo aí de pé atrás tantos eram os louvoures vindos da parte de políticos hipócritas e mentirosos, como são todos os maçons sejam eles socialistas ou não. Mas como sempre a direita, a verdadeira direita, dada a sua intrínseca honestidade, acreditou e porventura continua ainda a acreditar, em todas as lérias que a esquerda socialista cínica e aldrabona lhe vem pregando ao longo de quase quatro décadas.

E é com 'economistas' desta estirpe, coadjuvados por governantes de perfil político mais do que duvidoso e moral infinitamente pior, que todos sem excepção trouxeram o nosso país até ao estado deplorável em que se encontra. Estamos perante a mais degradante miséria humana a que sábia e maquiavèlicamente fomos sendo cegamente conduzidos.

Pegando nas palavras de uma senhora irlandesa, entrevistada na rua há cerca de um ano, perante o estado vergonhoso a que a sua orgulhosa Irlanda havia chegado: "É inacreditável e de uma tremenda humilhação sermos obrigados a esmolar financeiramente do exterior, tudo por culpa dos políticos incompetentes e corruptos que nos têm governado. Semelhante vexame jamais acreditaríamos ser possível acontecer no nosso país".

Nem mais! Opinião que, palavra por palavra, poderia ser proferida por um qualquer português de lei sobre a mesma matéria.
Maria
De Inspector Jaap a 24 de Maio de 2012
Correndo o risco de me repetir, cara Maria, apenas uma exclamação: Chapeau ”

Calorosos cumprimentos
De [s.n.] a 26 de Maio de 2012
Como sempre, os meus redobrados agradecimentos pela sua benévola e não menos simpática aquiescência.
Maria
De Bic Laranja a 25 de Maio de 2012
É um vaidosão dum campónio.
Cumpts.
De [s.n.] a 27 de Maio de 2012
Perdi agora mesmo um comentário a propósito dos adjectivos que empregou para classificar a criatura.
Quando ao vaidosão e campónio, concordo em absoluto. E resumo em poucas palavras o que escrevi no parágrafo final: ele é um rústico e um presunçoso... e a mulher tanto ou mais do que ele.
Maria

Nota: Se o comentário entretanto não aparecer, o que é duvidoso, hei-de voltar a este assunto, pois ainda há muito para dizer.
De Bic Laranja a 28 de Maio de 2012
Não sei se a mulher é campónia. Mas calha que parece ir muito na saloiice de ser ela a patroa...
Pouco importa, porém.
Cumpts.
De [s.n.] a 28 de Maio de 2012
Exactamente. E tem todo o ar de ser quem lhe escreve os discursos e as respostas ultra-banais que ele dá aos jornalistas, sempre com ar de ter sido apanhado de surpresa, ainda por cima algo delfo(?), meio gago e disléxico(?).

Mas há mais a dizer sobre ela, como, entre outras coisas, o ar cuscuvilheiro da senhora que anda sempre três passos à frente(!) do marido e quando há perguntas de jornalistas ou d'alguém do povo, espeta logo a cabeça para ouvir o que lhe perguntam e responde sempre em lugar dele - o Presidente - a quem afinal foram colocadas as ditas... Tenho uma vaga impressão de que ela se julga a efectiva 'presidenta' da República... E a mania, de bradar aos céus, que a senhora tem de pôr a mãozinha nas costas das raínhas, princesas, duquesas e personalidades importantes, que nos visitam, como se estivesse a despedir-se da sua cabeleireira ou da sua mulher-a-dias? E o andar dela de pernas abertas (a lembrar o andar das americanas pirosas), de pés para os lados e cabeça levantada, dando-se ares de 'raínha', é de uma deselegância e falta de etiqueta como jamais se viu numa mulher de um Presidente. Eu nem quero pensar nos 'modos' e falta de classe da senhora, à mesa e fora dela, quando o casal presidencial recebe ilustres personalidades estrangeiras e oferece jantares de Estado nos palácios da Ajuda e de Queluz... A senhora que aprenda o Protocolo de Estado e até o Diplomático. Far-lhe-á um mar de bem.

O curso superior(?) que esta senhora é suposta possuir (e note-se que todos os estudos, superiores ou outros, além da instrução pròpriamente dita, também fornecem educação, etiqueta/boas maneiras e civismo) e o tempo que o marido passou na ultra-civilizada Inglaterra para obter uma licenciatura em York, não lhes serviu de nada - nem a um nem a outro. Há por ali uma ausência de civilidade que só visto.

Existe muita falta de chá naquele Palácio e é urgente que lhe seja fornecido em quantidades industriais. Logo após, conselha-se o casal residente a tomar diàriamente muitas chávenas desta excelente infusão, para colmatar de algum modo a falta que os dois dele tiveram em pequeninos.


Nota: Estou a ver numa das janelinhas do meu pc o símbolo do Sapo acompanhado do costumeiro "Oooops" que ele coloca quando o comentário fica suspenso algures na rede... Umas vezes acaba por chegar ao destino, outras não. Pelo sim pelo não, aqui fica o essencial do meu anterior escrito.
Maria

De [s.n.] a 6 de Junho de 2012
No meu comentário acima, leia-se "belfo" e não delfo, naturalmente.
E devo corrigir outro pormenor: escrevi que o Presidente é "... algo belfo", mas enganei-me. Ele é DE FACTO belfo, tartamudeia quando fala, isto é, gagueja e sofre de uma qualquer espécie de dislexia.
Maria

Comentar