5 comentários:
De [s.n.] a 29 de Junho de 2012
Qual é o problema com este substantivo feminino "afixação"? Não estou a ver...

Será porque o anúncio está pouco claro, isto é, não especifica exactamente o que é proibido afixar?

É certo que antigamente estes letreiros de proibição de afixação de publicidade eram mais explícitos e mais bonitos... Era costume ler-se em discretas placas esmaltadas azuis e brancas (muitas das quais ainda se podem ver por aí): "É proibido afixar anúncios nesta propriedade/edifício/portão/entrada", etc.

???
Maria
De [s.n.] a 10 de Julho de 2012
Hummm..., já lá cheguei! Ao que o título em epígrafe quer "realmente" significar:))
Mas, permitir-me-á a intromissão, no tapume que reproduziu não deveria talvez estar escrito: 'Afixação proibida até ao final do mês (ou até ao meu retorno)'? Ou: 'Afixação proibida; respostas com reservas'? Era mais consentâneo com a realidade e evitava confusões de interpretação:))) Embora fosse demasiado explícito para quem gosta de metáforas e títulos labirínticos...
Maria

Obs.: Já cá fazem falta as críticas acerbas, a maioria carregada de fina ironia, do mais variado teor:)
De Bic Laranja a 16 de Julho de 2012
Paradoxo. Proibir afixação afixando a proibição.
A sua interpretação também é valida, porém.
Cumpts.
De [s.n.] a 17 de Julho de 2012
Tem toda a razão. Não me tinha ocorrido essa hipótese:) Mas também é verdade que não sou nada perspicaz... nem sequer um bocadinho:))
Maria

p.s.: E então, para quando esse regresso tão aguardado pelos seus fiéis leitores?!?
De tron a 7 de Julho de 2012
A caminho do Centro Comercial das Amoreiras num tapume semelhante a este tem um autocolante muito igual a este e é ver toda a espécie de rabisco e afixação no dito tapume...e a propósito o presidente da C.M. do Intendente reoslveu ofretar concertos de música aos papalvos, a mim é que não me apanha, cumprimentos meu caro vizinho

Comentar