23 comentários:
De Luciana a 20 de Julho de 2012
O nosso querido Professor, que tantas saudades nos deixa...
Tenho muita, muita pena que tenha partido.
Paz à sua alma!

Abraço e bem-haja por recordá-lo.


http://coisapouca-07.blogspot.pt/2009/02/os-mestres-sobrevivem-em-nos.html
De Bic Laranja a 20 de Julho de 2012
Sim. É uma perda dolorosa.
Obrigado pelo seu comentário, Luciana!
De tron a 20 de Julho de 2012
Sim de facto uma perda para a cultura não só nacional como mundial, menos um membro da restricta classe da meritocracia
De Bic Laranja a 21 de Julho de 2012
Triste fado o nosso. Só nos vão restando medíocres.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 20 de Julho de 2012
É uma perda dolorosa várias vezes: além das razões já aduzidas, acrescento eu outras: por ser uma pessoa pertencente a uma espécie em vias de extinção, de “antes quebrar que torcer”, por ser um português de antanho, por se tratar de alguém pertencente a uma elite a quem essa gentinha reles que campeia na manjedoura política da nossa praça não consegue insultar… é obra!
Deus, certamente que já o colocou entre os nossos Maiores, já que ele bem o mereceu. O Céu ficou mais rico e nós mais pobres, mas, não esqueçamos a frase de Camões:
- Aqueles que por obras valerosas, se vão da lei da morte libertando.
É o caso!
P.S. Parabéns pelo elogio de verbete; notável e merecido.

De Bic Laranja a 21 de Julho de 2012
O legado é enorme felizmente. O audiovisual preserva da lei da morte melhor do que nada; a sua obra está aí para ver e ouvir de viva voz. Sem nunca cansar, pelo menos no meu caso.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 23 de Julho de 2012
Cansar, caro Bic ? Se calhar é o contrário: quanto mais se ouve, mais apetece ouvir, pois não será isso verdade? Mas, como muito justamente diz, esses documentos são, ou podem ser, quase infinitamente perenes, pelo que, fazendo mais uma vez apela à História,
“- Morrer, sim, mas devagar.”Cumpts
De Inspector Jaap a 23 de Julho de 2012
Caro Bic: notável coincidência!

Sob palavra de honra que afirmo que não tinha lido a sua resposta à Maria.
Cumpts
De [s.n.] a 21 de Julho de 2012
Ver desaparecer uma personalidade desta dimensão cultural e patriótica enche-nos a alma de tristeza, nós, seus admiradores incondicionais.
Estive a rever há pouco, todas as reposições de alguns programas seus passados na RTP, bem como algumas das suas mais antigas e também recentes entrevistas. Uma maravilha. Quanto mais se vêem mais se apreciam.
Gostei sobremaneira de ouvir o que disse sobre Salazar e o que pensava dele como governante, do regime, sobre Marcelo Caetano e o 25/4 (culpa exclusiva deste, sem dúvida a pura verdade vindo de quem estava bem por dentro do sistema) e sobre o sinuoso (para não ir mais longe) Veiga Simão e as suas culpas no cartório relativamente aos tumultos estudantís da altura...

A personalidade cativante deste Grande Senhor e extraordinário contador de histórias e da História, era tão magnetizante (não encontro melhor designação) que muito pouca gente terá 'escapado' aos seus belíssimos programas. Até os emigrantes espalhados pelo mundo o viam com um interesse e uma gratidão enormes. Muitos deles originários das províncias, aldeias e povoados que o Professor percorreu, trazendo à luz do dia histórias e personagens esquecidas desses mesmos lugares e naturalmente de extrema importância para os seus naturais.

Nos múltiplos ensinamentos por ele transmitidos, não se podem esquecer os programas feitos nos vários países dos cinco continentes por ele percorridos e a magia como nos descrevia histórias e acontecimentos dignos de menção desses mesmos lugares. Não esquecendo como nos descreveu, como só ele sabia, factos verídicos passados na antiguidade grega e também romana, mas também desmontando lendas, etc.

A este Grande Português, enorme pensador, brilhante historiador, de uma cultura ímpar e de uma comunicabilidade espantosa, muito deve Portugal. Os portugueses que o são de corpo e alma, jamais esquecerão este verdadeiro Patriota, que fez mais por levar a nossa cultura além fronteiras do que toda a politicagem ignorante e traidora que para aí se pavoneia desde há décadas e que nada fez por Portugal além de o despedaçar em bocadinhos.

Portugal perdeu um Vulto da nossa Cultura. E os telespectadores igualmente. Porque durante décadas os programas do Professor eram os únicos com valia suficiente para serem vistos e revistos pelo seu valor histórico, cultural e patriótico.

Que Deus tenha o Professor José Hermano Saraiva em eterno descanso.
Maria
De Bic Laranja a 21 de Julho de 2012
Magnetizante é bem o termo. Quanto mais se vê mais se aprecia, sim. Até porque... O Professor funde-se na História que o animava. Tristemente é Portugal também morrendo aos poucos. -- D. Sebastião diz que disse «morrer sim mas devagar»; mas morre-se.
Cumpts.
De Agostinho Paiva Sobreira a 21 de Julho de 2012
[s.n] Assino por baixo o seu belíssimo comentário ao professor. A minha modesta palavra não chega para enaltecer a obra deste grande historiador, o seu saber, a sua maneira de comunicar. Paz à sua alma!
De Bic Laranja a 21 de Julho de 2012
Nem a minha, em boa verdade. A eloquência e a obra do Professor Saraiva apouca-me tudo o que possa tentar dizer ou escrever, mas não o preito nem a infinda gratidão pelo seu enorme legado.
Obrigado pelo seu comentário!
De [s.n.] a 23 de Julho de 2012
Creio que o seu elogio, comentador Agostinho Paiva Sobreira, é a mim dirigido. A mim, Maria, sendo este o meu primeiro e verdadeiro nome (não uso pseudónimos e assino sempre o que escrevo) embora apareça no início dos meus comentários a designação "s.n.", é certo, mas que no meu caso não corresponde à verdade. Claro que lhe agradeço penhorada. Todos os comentários aqui deixados, salvo muito raras excepções, são de elogiar. Mas por muito bem que os comentadores/leitores possam escrever e fazem-no, eu excluída, quem é verdadeiramente brilhante em tudo quanto aqui deixa plasmado sob a forma de texto, opinião, crítica ou esclarecimentos abalizados sobre a língua portuguesa, é o distinto autor deste espaço blogosférico único.
Maria
De Inspector Jaap a 23 de Julho de 2012
Subscrevo entusiasticamente, cara Maria, tudo o que disse acima.
Cumpts
De José Leite a 22 de Julho de 2012
Repito o que escrevi algures:

Diz o ditado português «Ninguém é insubstituível !» mas que existem pessoas muito difíceis de substituir, se não praticamente insubstituíveis, é uma realidade cada vez mais certa.

Estaremos cá para ver

Cumprimentos

José Leite
De Bic Laranja a 22 de Julho de 2012
Não há-de aparecer ninguém. Não acredito que apareça. Morreu também a História na televisão portuguesa.
Cumpts.
De [s.n.] a 23 de Julho de 2012
Não seja tão pessimista! A esperança é a última a morrer... Talvez estejamos enganados e apareça alguém, não igual a J.H.S., porque tal é impossível, mas que se assemelhe pelo menos em erudição, carisma e sobretudo no conhecimento profundo da História de Portugal e do mundo.
Maria
De Inspector Jaap a 23 de Julho de 2012
Minha Amiga: em teoria até posso concordar consigo, mas, a ser verdade, teremos sempre que nos preparar para uma (longa) travessia do deserto, e, como dizia J.M. Keynes, “ In the long run we are all dead”.
Penso que era mais a isso que o caro Bic se referia.
Cumpts
De [s.n.] a 23 de Julho de 2012
Sim Inspector Jaap, é capaz de ter razão neste particular. E é muita pena. Até o Miguel Portas (com quem polìticamente não tinha a menor afinidade, como se calcula) que algures no tempo andou pelos próximo, médio e extremo Orientes a fazer programas sobre a História e singularidades d'alguns desses lugares, bastantes interessantes de resto e que se assemelhavam aos do Prof. H. Saraiva, com as devidas diferenças no estilo e na forma, claro, esse também nos deixou. E como diz e bem, citando Keynes, "nós" os desta geração, mais umas décadas e estaremos todos mortos. E as mentes brilhantes que tivemos a honra e o prazer de ver e ouvir nas televisões, não voltarão tão cedo. E as que vierem e certamente que as haverá, não serão contratadas pelas presentes televisões. Colaborarão, sim, mas noutras que advirão já livres de seitas e compadrios. Tardarão aquelas e estas, mas que aparecerão não tenhamos disso a mais pequena dúvida.

Cumprimentos para si também.
Maria
De Inspector Jaap a 23 de Julho de 2012
:)
Obrigado pelo apreço!
Cumpts
De Joe Bernard a 29 de Julho de 2012
Lamento não ter escrito nada mas penso ter sido dos primeiros a lamentar (no FB) a morte do meu querido ex-reitor e mestre do ensinamento sobre Portugal e o seu legado histórico, infelizmente tanto ao abandono.
De Bic Laranja a 2 de Agosto de 2012
E eu olhe, com a tristeza a embargar-me a escrita consegui este poucochinho. Mas não há eloquência que redima a perda. Obrigado pelo seu comentário.
De Joe Bernard a 29 de Julho de 2012
Lamento não ter escrito nada mas penso ter sido dos primeiros a lamentar (no FB) a morte do meu querido ex-reitor e mestre do ensinamento sobre Portugal e o seu legado histórico, infelizmente tanto ao abandono.

Comentar