12 comentários:
De tron a 27 de Julho de 2012
caro amigo, na revista brasileira de origem alemã editada em Portugal que dá pelo nome de Super Interessante há pelo menos dois colunistas que das duas uma: ou não escrevem com o aborto ortográfico ou que escrevem quase como obrigados porque a coluna que escrevem é o seu ganha-pão.
Um deles é o autor (ou autora) da coluna de literatura que não regular (pelo menos no número do mês passado não veio publicada) e no caso de escrever sob protesto contra o AO, mas obrigado por imposição laboral temos o astrofísico Paulo Afonso que explica em vocabulário comum a matéria escura do Universo e suas implicações
De Bic Laranja a 29 de Julho de 2012
Ninguém tem de se sujeitar a nada. Por força de lei a ortografia portuguesa não pode deixar de ser a do Decreto n.º 35.228 de 8/12/1945, com as alterações do D.L. 32/73 de 6/2. Nenhum foi revogado. Isto é bom que se saiba.
Cumpts.
De tron a 30 de Julho de 2012
obrigado pela informação porque eu ainda desconheço a legislação sobre o aborto ortográfico
De Sc a 31 de Julho de 2012
Por força da Lei, do Direito - que é diferente de dispositivo normativo - e do bom senso.
De Bic Laranja a 1 de Agosto de 2012
Sim, sim. Isso tudo. Muito bem posto.
Obrigado.
De Inspector Jaap a 27 de Julho de 2012
Eu também li o artigo em causa, via blogo “Perspectivas”, que aproveito para saudar!
Subscrevendo todo o conteúdo do verbete, caro Bic , cumpre-me apenas dizer que, se bem que, quiçá necessário, continuamos a gastar cera com maus defuntos; tão maus que é bem dessa massa que se forjam as hordas dos vendilhões quando a coisa vira; esse mesmo celenterado que cospe o veneno da maneira que se viu, estaria na primeira linha em 1580 a vociferar impropérios conta D. Afonso Henriques, que não tinha nada que subtrair esta parcela de terreno a um país que tinha muito mais população, etc, etc… e que viva o castelhano, e tal...
Que nojo!
Cumpts
De Bic Laranja a 29 de Julho de 2012
De certo que é com gente dessa qualidade que nos vamos regendo. Mas importa trazer vivo o assunto. Mormente no Jornal de Oleiros que é uma boa terra distante dos areópagos da moda.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 29 de Julho de 2012
E muito justamente!
Cumpts
De [s.n.] a 31 de Julho de 2012
A festa do mau português continua impante. A mania que o pessoal tem, incluíndo políticos, quando vai falar às televisões de não conjugar o verbo principal das orações já ultrapassou há muito os limites do mìnimamente aceitável. Há pouquíssimas excepções - o Primeiro Ministro e o Dr. Bagão Félix são duas delas. Haverá pouquíssimas mais. Trata-se de um escândalo que tem de acabar. Será esta desgraça culpa do Malaca, de Bolonha ou do Ministério de (des)Educação?
Se os culpados deste desafôro tivessem uma gota de vergonha nos focinhos, desapareciam deste país em direcção a Marte.
Maria
De Sc a 31 de Julho de 2012
O argumentário do tal joão limita-se a reproduzir a ideia leninista do "acusa-os daquilo que tu fazes".
Já em 1823 os brasileiros queriam mudar o nome do idioma para "brasileiro".
A língua foi uma arma usada pelo nacionalismo daquele país que é fortemente anti-português.
O que nunca terão pensado - daí a violência do argumentário - foi que o estado português e os seus representantes ( de que se destaca cavaco bnp silva) tivessem tão pouca noção dos seus deveres para com o seu País e acedessem, de braço dado com a maçonaria, a este crime.
De Altamirano a 19 de Agosto de 2012
Ódio anti-brasileiro? Da parte dos portugueses? Devem estar a brincar. Infelizmente o que sucede é precisamente o contrário, uma abertura e condescendência para com o Brasil da nossa parte que não é nada saudável, ainda por cima quando eles possuem um visceral ódio anti-português que qualquer português com acesso à Internet pode constatar (mas isto é só uma amostra...).

De Bic Laranja a 19 de Agosto de 2012
Pois é. Mas dá impressão que só aos portugueses é vedado serem nacionalistas, por xenofobia. O nacionalismo dos outros nunca é tal.
Cumpts.

Comentar