Sexta-feira, 27 de Julho de 2012

Inacreditável

 Por um qualquer milagre este casarão (moradia, segundo o arquivista) está de pé. Está à venda há um par de anos. Como foi classificado e não se pode demolir ninguém o compra.
 Pode o benévolo leitor vê-lo na Av. da República ante o Campo Pequeno. Mas para deliciar-se com os horizontes daquele lugar -- o forte do Monsanto dum lado e o arvoredo da Azinhaga das Freiras (Rua da Beneficência) lá para os altos da Torrinha -- prima a imagem se faz favor.


Av. Ressano Garcia, 77, Lisboa, 1907.
Paulo Guedes, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

Escrito com Bic Laranja às 21:43
Verbete | comentar
17 comentários:
De [s.n.] a 28 de Julho de 2012
Uma perfeita maravilha! Isto é um sonho de casa (moradia) feito realidade. Vejo-a e revejo-a e nunca me canso:)
Maria

De Bic Laranja a 29 de Julho de 2012
Estava ladeada de dois formidáveis prédios de rendimento que faziam esquecer os horizontes que lhe havia por detrás (isto antes da edificação na Cinco de Outubro). O do gaveto com a Av. Júlio Diniz (n.º 85) já se foi. O do outro lado, o n. 89, está devoluto; firme mas devoluto. E uma beleza que é.
Cumpts.
De [s.n.] a 28 de Julho de 2012
Conhece aquele mimo de moradia, transição Arte Nova pra Art et Decô, que, descendo a Av. Álvaro Pais, entrando na 5 de Outubro e virando imediatamente à direita, situa-se à nossa direita quase logo a seguir? É um completo assombro! De uma beleza que não tem explicação. Os proprietários têm-na (tinham-na, há pelo menos um ano ou por aí) extremamente bem cuidada. Ela é de tal modo bonita que aqui há uns anos não resisti e tirei-lhe uma fotografia.
Será que é possível encontrá-la no Google, para saber mais um pouco da sua história (o nome, por exemplo) e quem a mandou construir? Calculo que tenha sido lá pelos anos 20 do século passado. Agradeço a quem souber que mo diga, por favor.
Maria
De Bic Laranja a 29 de Julho de 2012
Conheço. Moradia António Maria Bravo. É propriedade particular e monumento classificado. Vejo-a fechada sempre que ali passo. Diz que foi mandada fazer por um certo Félix Ribeiro Lopes. Passou à posse de António Diogo Bravo em 52. Mutilaram-na das duas garagens no mesmo estilo há não muito; ajardinaram ao depois o terraplano que restou e não se perdeu muito porque se desafrontou o alçado lateral da casa. As garagens não eram do projecto original (cuido que era o lugar dumas capoeiras...).
A história casa está bem documentada no arquivo da antiga D.G.E.M.N.; só faltam as memórias de família para ganhar vida.
Cumpts.
De [s.n.] a 29 de Julho de 2012
Muito agradecida pela informação e pela ligação que me deixou:) Vou já pesquisar a história desta moradia única. Sempre que lá passava frequentemente e já vão alguns anos, o aspecto geral era impecável. Também reparei, numa dessas alturas, que do lado direito da fachada havia um pequeno(?) jardim muito bem cuidado, que provàvelmente substituiu uma das garagens a que se refere.
Será porque foi/é prémio Valmor que ainda não lhe caiu em cima o infamante camartelo? Hummm..., deve ser de certeza.

Parabéns aos proprietários - parece que permaneceu sempre na mesma família - pela conservação daquela peça de joalharia em tamanho gigante.

(Tive conhecimento de que é prémio Valmor pela preciosa informação do comentador José, que li ontem mas já demasiado tarde para lhe responder. O que vou fazer depois de dar uma olhadela à história da moradia).
Maria

p.s.: Saberá porque me interesso tanto por este tipo de edifícios, particularmente se do séc. dezoito mas também Arte Nova? Claro que sabe. Sobre a minha paixão pela Arte Nova em todas as suas facetas, falar-lhe-ei qualquer dia:)
De Bic Laranja a 31 de Agosto de 2017
... «terrapleno», digo.
De Alain Bick a 7 de Junho de 2017
fui colaborador e Amigo do Sr ADB,
fundador do Instituto Luso-Fármaco e de outras empresas em Portugal, Espanha e Itália.
empreendedor fabuloso e pessoa de fino trato. tal como os descendentes.
nunca o esquecerei
De Bic Laranja a 9 de Junho de 2017
Fica o testemunho. Que lhe agradeço.
Cumpts.
De João Monteiro a 29 de Agosto de 2017
Nunca conheci o meu tio-avô mas agradeço a suas palavras - é sempre bom ouvir falar bem da sua pessoa. Infelizmente a casa já não se encontra na família nos dias de hoje. Cumprimentos
De José a 28 de Julho de 2012
Cara Maria, é a esta moradia que se refere?

http://ulisses.cm-lisboa.pt/data/002/008/index.php?ml=4&x=0032.xml

Foi Prémio Valmor no ano de 1929, tendo sido projectada pelo Arquitecto Pardal Monteiro -

http://premiosvalmor.blogspot.pt/2005/11/19201929.html
De [s.n.] a 30 de Julho de 2012
José, muito obrigada pela informação que me forneceu sobre esta moradia, que foi prémio Valmor com todo o merecimento, mas que eu desconhecia por completo. Devo dizer que não fiquei nada admirada, antes pelo contrário.
Só agora estou a responder ao seu comentário por ter perdido horas, literalmente, a ler tudo sobre "todos" os prémios Valmor - a moradia em causa incluída, claro está - de cujas duas ligações o ilustre administrador desta casa (que, tal como eu, tem o saudável hábito escrever com esferográfica Bic Laranja:)), teve a amabilidade de igualmente me ceder.
Maria
De [s.n.] a 1 de Agosto de 2012
Se bem entendi as suas palavras, esta moradia está à venda? Será possível? Se não é indiscrição como é que teve conhecimento desse facto?
Depois dir-lhe-ei porque pergunto.
Maria
De [s.n.] a 3 de Agosto de 2012
Não faça caso da minha pergunta:), claro que é óbvio o motivo. Já estou como uma amiga minha holandesa que quando diz inadvertidamente algo fora do contexto, acrescenta logo "Don't pay attention, I'm senile!" Não é o meu caso (nem o dela) felizmente! Longe disso. Trata-se de pura distracção:))

Não passo por essa zona da cidade de Lisboa há anos, mas tenho que lá ir um dia destes propositadamente para ver essa moradia, lá isso tenho.
Maria
De Bic Laranja a 3 de Agosto de 2012
:) Desculpe-me andar distraído...
Deve ter decaído mas não na devem ter podido demolir por estar classificada. Tinha anúncio de venda para escritórios -- logo moradia já se lhe não pode chamar. -- Cuido que ninguém lhe pegasse pelo preço. Temo que se desiluda se for ali por ela. Está abafada pelas cérceas circundantes e pelo buliço infernal da cidade. Não é nada como em fotografia mais antiga.
Cumpts.
De Mário a 1 de Setembro de 2017
Boa noite
Não lhe chamaria propriamente moradia.
Foi construída como prédio de rendimento, com pisos independentes.
Reformulados dois pisos pelo próprio Pardal Monteiro, como duplex ( r/c e 1o andar). Teve obras de redecoração- creio que pelo Lucien Donnat- em meados do século XX mas o último andar, mantido independente, conservou os estuques nas sobreportas, os frisos de azulejos aos quadrados pretos r brancos da cozinha e outros pormenores.
Manteve-se assim até há cerca de um ou dois anos, quando o fui visitar ( estava à venda pela sothebys).
Cumprimentos
M.
De Bic Laranja a 2 de Setembro de 2017
Informação preciosa.
Obrigado!

Comentar

Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
21
23
25
26
27
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____