Sexta-feira, 12 de Outubro de 2012

De Alvalade à Madre de Deus em vista aérea

 Prima o benévolo leitor na imagem para ver à lupa. Daqui lá identifica-se o bairro das Estacas, o bairro de S. João de Deus, o Areeiro -- o novo e o velho --, o Alto do Pina, a Picheleira...
 Além da Avenida do Aeroporto, à esq. da linha de cintura, as quintas da N.ª Senhora da Conceição, do Armador, dos Peixinhos, da Maruja, das Conchas, das Conchinhas, da Salgada, o vale de Chelas e o Convento; mais além a da Bela Vista, a do Marquês de Abrantes ou dos Alfinetes; à dir. da linha de cintura, a da Holandesa, do Casal Vistoso ou das Ameias, do Monte do Coxo, das Olaias até ao fio de casas da Calçada da Picheleria -- os montes do Casal Vistoso encobrem a quinta dos Arciprestes na velha Fonte do Louro; os montes do Coxo e das Olaias encobrem a quinta dos Machados [e do Dr. Villaça], cuja casa [desta última] assentava onde é hoje a escola das Olaias e cujo nome estoutro deitou no esquecimento. -- Na orla do Tejo,  Marvila com a Escola Afonso Domingues e a Soc. Nacional de Sabões. A querer sair da metade superior dir. da fotografia a mata e o bairro da Madre de Deus. Isto assim de cór.

Vista aérea de Alvalade ao Tejo
Vista aérea do B.º de Alvalade à Madre de Deus, Lisboa, 195...
Mário de Oliveira. Arquivo Fotográfico da C.M.L..


Ah! Faltou dizer a quinta mais antiga: a dos Lagares de El-Rei, na clareira à esquerda.(Adenda às 9h30 da noite.)

Escrito com Bic Laranja às 19:03
Verbete | comentar
6 comentários:
De Carlos Portugal a 12 de Outubro de 2012
Que beleza de cidade se estava a construir, Caro Bic! E a quinta do Casal Vistoso ainda estava de pé, logo à esquerda da Praça do Areeiro...
A casa dos meus Pais já estava habitada, pois tem lençóis a secar no estendal das traseiras (dava para a João XXI). Terá sido portanto após 1951...

Cumprimentos!
De Bic Laranja a 12 de Outubro de 2012
Admirável, realmente. A escala e o desafogo do que se fez comparando com o que se atamanca hoje...
Há-de ser de post 1955; a torre N do Areeiro foi edificada por aí.
Cumpts.
De FD a 13 de Outubro de 2012
Se eu tivesse um desejo para realizar assim de imediato ao nível da cidade de Lisboa, seria sem pensar muito (claro!) a eliminação de todas as marquises e restauração da sua fachada original. Bastava isso para me alegrar ao invés de me entristecer sempre que por ai ando...
De Bic Laranja a 13 de Outubro de 2012
Era melhoria de vulto, concordo. Mas o portuguesinho aprecia tanto cerrar horizontes...
Cumpts.
De eao a 13 de Outubro de 2012
Belo trabalho. Isto é a sua vocação, o seu prazer, como nos ensina. Abstenha-se (dentro do possível) da política.
Abraço do eao
De Bic Laranja a 13 de Outubro de 2012
Agradeço-lhe o que me louva.
Cumpts.

Comentar

Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
21
23
25
26
27
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____