4 comentários:
De Paulo Cunha Porto a 26 de Outubro de 2012
Meu Caro Bic,
estas simplificações para promoção de iletrados dão sempre mau resultado. Na América do Norte uns iluminados dos anos 1960`s também inventaram umas máquinas de votar, porque os analfabetos seriam incapazes de desenhar uma cruz, apesar de sempre me terem dito que é a maneira como eles conseguem assinar. Depois deu no que deu, na Florida, há uns 12 anos, com os próprios beneficiários a queixarem-se do resultado da votação mecânica.
E li que, na eleição em curso, uma dessas maravilhas até dava como preferido o candidato oposto ao da tecla que o eleitor premira. «Erro de calibração», desculparam-se os responsáveis...
Transpondo para o prontuário, vejo-me, realmente, com mais vontade de ser espetador (com força, em local que doa) dessa gente, do que permanecer espectador.

Abraço
De Bic Laranja a 27 de Outubro de 2012
Fôssemos todos bandarilheiros assim!...
Cumpts.
De João Amorim a 30 de Outubro de 2012
Caro BIC

Excelente apontamento. É com imenso prazer que leio os almanaques do início do século e a prosa tardo-oitocentista. A ortografia era diferente, pois era, mas mais divertida e estimulante.
De Bic Laranja a 30 de Outubro de 2012
A orthographia do tempo do Eça era, sim.
Obrigado!

Comentar