15 comentários:
De Inspector Jaap a 29 de Outubro de 2012
Caramba, que não é todos os dias que se me depara um trecho tão curto com 2 palavras de que desconheço totalmente o significado; mas, como diz o outro, o artista esforça-se, e eu vou tentar a minha sorte:
Alvejo – Será a acção do homem das setas, o setor, ou é miro, em árabe?
Javel – só conheço Jardel, o dos golos; mas, se calhar, é outra coisa: algum dispositivo de máquina de lavrar cérebros, calhando!

Reconhecido fico eu, se algum leitor de aquém ou além-mar tiver a fineza de me esclarecer.
Cumpts
De Bic Laranja a 1 de Novembro de 2012
Eau de javel. Transliteração do francês.
Alvejo há-de ser derivação poética de alvo (branco).
Um poema, estas instruções da máquina cê lavar.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 2 de Novembro de 2012
Justamente :)! E o que mais adiante se verá!
Cumpts
De JPG a 29 de Outubro de 2012
Água de javel é... lixívia! Esta "googlei", é claro, porque não fazia a mais pequena ideia. "Alvejo" presumo que seja "branqueamento". "Alvejar" consta do Houaïss (Pt-Pt) mas não o s.m.

Enfim, de facto mais vale o Google Translate...
De Inspector Jaap a 30 de Outubro de 2012
Com os meus agradecimentos! :)
Quanto ao seu comentário acerca do Google: concordo; ao menos não passa de uma maquineta, assim a modos que de atendedor de chamadas.
Cumpts
De Bic Laranja a 1 de Novembro de 2012
Cheira-me que o tal Guglo é o maior tradutor do Brasil. A somar à presidentona.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 2 de Novembro de 2012
Ah, ah, ah! É isso áí!
Cumpts
De [s.n.] a 31 de Outubro de 2012
A propósito das afirmações e críticas, correctíssimas aliás, desta senhora tradutora, volto a bater na mesma tecla: as pessoas que escrevem em jornais, revistas e que, nas televisões, pontificam na legendagem dos noticiários e reportagens, mais aqueles que traduzem os diálogos de filmes e documentários e um infindável etc., teimam em não conjugar o verbo principal de cada uma ou das várias orações/proposições que podem constituir uma única frase ou parágrafo, quando é por demais sabido que respeitar uma tal regra gramatical é absolutamente obrigatório.

Este inominável crime de lesa-pátria, soma e segue. Os assassinos da língua portuguesa continuam impantes a tratá-la aos pontapés. O mísero estado em que ela se encontra e o fim para que inexoràvelmente caminha, consequência directa do desnorte que rege o respectivo ministério, mais as aviltantes directivas que de lá emanam com força de lei, eis o que esta maralha sem vergonha projectou secretamente há mais de quarenta anos e que, eureka!, uma vez quase alcançado o seu desígnio final - e caso os portugueses de bem não lhes cortem os ímpetos maléficos de imediato - atingirão fatalmente o seu zénite. Estes malditos apátridas que, vindos da estranja, deram à costa com o exclusivo fito de destituir Portugal de todas as suas maiores grandezas, sendo a língua-mãe uma delas, não necessitam apenas de ser desalojados do poder, mas corridos para fora do país com a máxima urgência. O mal político que nos fizeram a somar ao pesado e criminoso fardo económico que nos foi legado e que iremos carregar (e pagar com língua de palmo) sem culpa alguma durante décadas, é, além de gravíssimo, demasiadamente doloroso para ser suportado sequer por mais um dia e muito menos por mais cinco ou dez anos.
Maria
De Inspector Jaap a 1 de Novembro de 2012
Maria, às vezes uma palavra (mesmo repetida) é mais eficaz do que alguns discursos; assim, permito-me comentar o seu comentário só com uma, e, excepcionalmente, estrangeira:
Chapeau!
Calorosos cumprimentos
De [s.n.] a 1 de Novembro de 2012
Agradecimentos redobrados pela sua gentileza.
Maria
De Bic Laranja a 1 de Novembro de 2012
A maralha não projectou nada a não ser delírios. Falta-lhes capacidade pensante para mais. Mas executam bem as ordens rapaces da estranja. -- Viu o Diabo? Diz que o nosso ouro levou sumiço. Bem se vê o que move esta destruição pelo estrangeiro.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 2 de Novembro de 2012
Levou sumiço??? Ai que fino! deve ser uma maneira «culta» de dizer «sumiu», não?
Cumpts
De Bic Laranja a 2 de Novembro de 2012
Por acaso é maneira plebeia. É vernáculo.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 2 de Novembro de 2012
É o que um blogo deste teor tem de bom, entre outras coisas: estamos sempre a aprender; obrigado pela explicação já que eu pensava que isso vinha das feitorias de além-mar!
Cumpts e votos de um óptimo fim-de-semana!
De [s.n.] a 4 de Novembro de 2012
Por motivos diversos ainda não li. Não saí esta semana, mas tenho o jornal guardado na papelaria onde o compro sempre. Sobre o que me diz, não posso crer. Se é de facto verdade, os portugueses devem, têm que, fazer alguma coisa. Insurgir-se é pouco. O ouro pertence ao povo português. Já basta o que o traidor Soares fez a metade dele. Tratou-se de um crime, mais um entre muitos, sem perdão.

Isto só lá vai com uma revolução. Mas uma de verdade, feita por portugueses de lei. Por Patriotas com maiúscula.
Maria

Comentar