Domingo, 13 de Janeiro de 2013

Espectáculo de variedades


Dusty Springfield - The Look of Love
(1973)

Escrito com Bic Laranja às 22:05
Verbete | comentar
13 comentários:
De [s.n.] a 14 de Janeiro de 2013
Mais uma gracinha da menina muito querida dos ingleses, com um nome um tanto estranho... "campo primaveril coberto de pó...":)) Ela tinha melhores canções, ainda assim. Pelo menos duas cujos títulos não me recordo, foram êxitos enormes na altura.
Maria
De Bic Laranja a 14 de Janeiro de 2013
:)
Um cabeça meia frágil, ao que consta. Esta agora tem a vantagem de não maçar; é só um excertozinho. A melhor é filha do prègador. Tenho-a para aqui no no blogo.
Cumpts.
De [s.n.] a 15 de Janeiro de 2013
:)Mas 'a filha do pregador' é o título duma canção dela?! Não tinha ideia. Ou sou eu a perceber tudo ao contrário?
Maria
De Bic Laranja a 15 de Janeiro de 2013
Por acaso diz que é «filho do prègador», mas a ideia fugiu-me para a filha... Filho do prègador, pois.
De [s.n.] a 16 de Janeiro de 2013
Fui espreitar e é boazita. Mas há uma ou duas, que ainda hei-de descobrir, que foram grandes êxitos.

E, com todo o respeito, "pregador" não leva nenhum acento, grave ou agudo. Achei estranho porque não o ia colocar mas vi que o colocou. Por isso fui certificar-me. Estava certa. O que nos alerta para abrir a vogal "e" em discurso oral, é o sinal diacrítico que está entre parêntesis junto a este vocábulo:)
Maria
De Bic Laranja a 16 de Janeiro de 2013
Talvez esta seja uma.

Não leva. Pu-lo por capricho. E por não vir a haver dúvidas de que era à linhagem dum pregador e não dum pregador, há-de entender...
A propósito, sabe porque é o timbre do «e» em pregador (è) aberto?

Cumpts.
De [s.n.] a 16 de Janeiro de 2013
Desculpe só agora responder, mas perdi (ou melhor, ganhei) um bom bocado de tempo a comentar no Estado Sentido. A seguir fui jantar:)

A canção é mesmo essa que colocou! E há outra qualquer que teve êxito idêntico. Uma delas - ou se calhar duas - ganhou o Festival da Eurovisão, acho eu.

Quanto à sua interrogação, não há mistério. "Pregador", com "e" aberto é aquele que prega em Igrejas ou faz pregações (aqui também se abre o "e" e também não é acentuado), orador, etc., abre-se a primeira sílaba para se diferenciar do homógrafo e também substantivo "pregador", neste caso o homem que prega pregos, por exemplo em sapatos e/ou fixa-os noutros objectos.
Maria

De Bic Laranja a 18 de Janeiro de 2013
É certo. Mas a causa do tal «e» e ser aberto tem mais que se lhe diga...
:)
Cumpts.
De [s.n.] a 19 de Janeiro de 2013
Desculpe, mas não estou a ver em quê:) É exactamente o que acontece com inúmeras palavras homógrafas na língua portuguesa. Por exemplo: "este" (pronome demonstrativo) e "Este" ponto Cardeal, se não houvesse alteração fonética entre ambas (como porventura fazem os brasileiros) estaríamos a cometer uma gafe linguística.

Já agora, talvez me possa esclarecer algo que me incomoda ouvir desde há vários anos.

Sempre (se) disse (e li) que "corrector" é aquele que trabalha na a Bolsa - o "c" que antecede o "t" está lá justamente para abrir a vogal anterior.
Porém, os apátridas que viraram a nossa língua do avesso, resolveram alterar a fonética do vocábulo ao retirar-lhe o "c" e pronunciando sistemàticamente a palavra com o "e" fechado, o que na minha modesta opinião praticam um erro fonético crasso. Claro que ao retirar-lhe o "c", a vogal aberta que o antecede terá de passar obrigatòriamente a fechada, com as devidas excepções à regra como é o caso. Mas afinal é isto que os políticos mais desejam para que (confundindo as pessoas que ao ouvirem tantos disparates repetidos, fiquem na dúvida se estão certas ou erradas e por insistência, habituação e cansaço, acabem por adoptá-los) chupistas e ignorantes como o Sócrates e muitos outros aparentados - embora inacreditàvelmente quase todos se tenham alcandorado aos mais altos cargos políticos e sociais do País e continuem a fazê-lo - passem despercebidos, apesar de um léxico inaceitável, no meio da multidão sistémica em que chafurdam. Deste modo os 'grandes literatos' do sistema matam dois coelhos de uma só cajadada.

Qual é a sua opinião? Estarei errada? Não me parece.
Maria

Obs.: Não me interessa nada que 'corretor' seja um mediador em compras e vendas; e 'corrector' aquele que corrige. Eu aprendi que corrector (com o "e" bem aberto e para isso tem que anteceder duas consoantes) era a pessoa que negociava acções na Bolsa e é assim que continuo a dizer e a escrever.
A menos que seja uma excepção à regra e esta é uma hipótese válida, se pronuncie a vogal "e" em 'corretor' de modo bem audível, ainda que sem o "c" antes do "t", por uma questão de elegância linguística, uma vez que pronunciar 'corretor' com o "e" quase mudo, além da pronúncia ser feia ao máximo, parece estarmos a dizer "corredor"... No sentido oposto e pela mesma razão, ainda que pareça estranho porque se foge à regra, em "aborto" fecha-se o "o" e o mesmo se faz no seu plural "abortos"; o mesmo acontece em "acordo" e "acordos", embora, se adoptadas as regras gramaticais aplicadas à fonética, se devesse abrir a vogal "o" em ambos os vocábulos, porque antecedem duas consoantes.

O motivo por que não se abrem as vogais nos vocábulos acima: acórdo/acórdos e abórto/abórtos, primeiro porque é uma fonética errada e depois porque soa tremendamente mal ao ouvido (e mesmo assim há quem o faça nas várias televisões - jornalistas, comentadores e convidados...) São as tais excepções à regra, que as há em todas as línguas. Paradoxalmente em "Aeroporto" e "Aeroportos" ambos os vocábulos possuem as sílabas tónicas precedidas de duas consoantes e não obstante fecha-se o "o" quando o substantivo está no singular e abre-se no plural. Isto acontece porque pronunciar "Aeropôrtos" com o "o" fechado (no plural) é extremamente deselegante e agride os tímpanos.

Voltando ao "corrector", por alguma razão (e escapa-me o motivo de ter havido troca de significado nos dois vocábulos, facto que não acontecia há tinta anos, mas calcula-se porquê) sempre se pronunciou e escreveu deste modo quando designando um corrector da Bolsa e não como o escrevem e designam os gloriosos democratas que desde Abril nos têm vindo a abastardar a língua. E não consta que os antigos ministros, funcionários da Bolsa, intelectuais, escritores, jornalistas e portugueses em geral, cometessem erros fonéticos e/ou linguísticos (e nem sequer os merceeiros com a terceira classe os cometiam) ou que fossem ignorantes..., antes p'lo contrário.



De Bic Laranja a 20 de Janeiro de 2013
Diz-me a 1.ª ed. do Aulete (1881) que «corretor» é forma derivada de «correr»; a pronúncia é indicada sem abrir o «e».
Faz sentido. Os agentes corretores fazem correr . Na prática são como corredores a passar de ordens de compra e venda. Do cansaço (de)corre-lhes uma comi$$ãozinha: a corretagem.
...
A metafonia do português faz com que o feminino ou o plural de palavras de duas sílabas em «o» (porto / porta / portos / ortas) mude o timbre do «ô» em «ó». As excepções têm de ser aprendidas de cor (cór). Nem sei eu se há vocabulário que as ensine todas. Sei que «abôrtos» «acôrdos» e «esgôtos» são excepções.
Cumpts.
De [s.n.] a 25 de Janeiro de 2013
Afinal a Dusty adoptou como nome artístico o do grupo musical a que havia pertencido..., o que não deixa de continuar a ser estranho, dado seu significado um tanto superficial, para dizer o mínimo. Por estas alturas parece que os ingleses começavam a adoptar o hábito norte-americano que já vinha de longe, de dar nomes a pessoas, animais e coisas em geral, do mais estranho e mesmo ridículo que imaginar se possa. Só um exemplo, mas há milhares deles. Havia uma actriz dos anos sessenta/setenta que se chamava "Terça-feira Weld"! Lindo, não haja dúvidas.
Maria
De Marcos Pinho de Escobar a 15 de Janeiro de 2013
Boa! A discoteca do Bic é de primeira! Óptima recordação.
Abraço amigo.
De Bic Laranja a 16 de Janeiro de 2013
Obrigado!
Cumpts.

Comentar

Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
21
23
25
26
27
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____