7 comentários:
De Mario a 13 de Fevereiro de 2013
Muito bem respondido Bic Laranja. Este processo de "reorganização" está muito pouco organizado. Um familiar meu que infelizmente tem de frequentar o medico de família com alguma frequência (1 vez por mês pelo menos), recebeu esta semana essa mesma carta.

Cumprimentos,
Mario
De Bic Laranja a 13 de Fevereiro de 2013
São duma eficiência impressionante, não são?
Cumpts.
De Marcos Pinho de Escobar a 13 de Fevereiro de 2013
Parabéns Caro Amigo! Autêntico Lidador da Língua Portuguesa! Se os portugueses seguissem o exemplo do Amigo, garanto que o "acordês" já estaria no contentor do lixo.
Abraço.
De Bic Laranja a 13 de Fevereiro de 2013
Os portugueses até hão-de fazer melhor do que eu. Os inertes não são portugueses.
Cumpts.
De Costa a 14 de Fevereiro de 2013
Tanto gostava de o acompanhar nessa manfestação de fé nos portugueses. Infelizmente, de um povo que não lê (porque isso é basicamente uma perda de tempo, para "intelectuais", tão logo ultrapassa as revistas de resumo de telenovelas e os jornais ditos desportivos ou de sangue), que resume o acto de escrever à pratica da assinatura - com ingénua caligrafia de instrução primária (os que ainda a fizeram nos tempos em que dava digna preparação, ainda que "primária"), se requerida, num qualquer papel para uma consulta médica ou a obtenção de um subsídio, e que por estes tempos se vê largamente reduzido à sobrevivência, não o posso fazer.

Haja a tal nossa "seleção" (assim grafada em camisolas que esses portugueses exibem orgulhosos!) e as doses cavalares de futebol, novelas e restante entretenimento embrutecedor. Isso é o que interessa. Quanto ao aborto ortográfico, pois se até vem simplificar (pensam eles e assim lhes é estremecidamente servido pelo Poder)!... E mais, vem - como eles acreditam - aproximar-nos da escrita brasileira!

Ora haverá não-brasileiro que mais esforçadamente queira ser brasileiro do que um português médio?

Nós seremos Velhos do Restelo, única referência minimamente erudita (e não tanto por seu mérito, na circunstância, antes por demérito de quem a cita) que conseguem papaguear e, ainda por cima, pervertendo-lhe completamente o significado.

E assim continuaremos. Lutando a nossa guerra. Que bem receio perdida.

Costa
De Joe Bernard a 14 de Fevereiro de 2013
A D O R E I ! ! !
Muito bem.
Mais uma vez... de acordo consigo.
Parabéns.
De gato a 2 de Abril de 2013
No Diário da República nº 193, de 6a-feira 23 de Agosto de 1991, vem a ultima novidade LEGAL sobre como escrever.

Decreto do Presidente da República nº 43/91

Abraço do eao

Comentar