12 comentários:
De Paulo Cunha Porto a 11 de Março de 2013
Meu Caro Bic,
eis-me a sugerir uma linha de defesa para o juízo (ou falta dele) governamental: como é uma criancice insistir no malfadado acordês, é natural que tenham considerado o conteúdo da página "SÓ PARA ADULTOS".

Abraço
De Bic Laranja a 14 de Março de 2013
Boa explicação, eh eh!
Cumpts.
De c a 11 de Março de 2013
Caro Bic Laranja,

Venho, sem vergonha, abusar dos seus préstimos, de caçador minucioso, presumindo que a caçada - disso se trata - lhe agradará.
Li, há pouco tempo, o bechara usar o termo "enaltar" por enaltecer, pressupondo o verbo enaltação. Corri a ver a abonação, que encontrei no Houaiss. Achei pouco e não me esclarecia quanto à origem portuguesa. "Googlando", encontrei a fonte: O diccionario do Cândido de Figueiredo de 1913 e a abonação de Camilo, em Narcóticos, II, pg 246. E aí é que está o problema: não encontro, nem as buscas me devolvem

Cândido: enaltar v. t. O mesmo que
enaltecer. Cf. Camillo,
Narcot ,II, 246
http://pt.scribd.com/doc/51527367/Novo-Diccionario-da-Lingua-Portuguesa-Candido-de-Figueiredo-1913

Não encontrei aqui (vol. I) http://archive.org/details/narcoticos01castuoft
nem aqui, na página 246 do II volume:
http://archive.org/stream/narcoticos02cast#page/246/mode/2up

Trata-se de uma falsa abonação, ou procurei mal, surgindo, noutra edição (embora, não sendo citada na
abonação, aponte para esta primeira).

Enfim, a coisa exige instinto de caçador, mas seria interessante verificar que fazer fretes aos brasileiros é coisa de há muito, embora pareça estranho uma abonação errada.
De Bic Laranja a 11 de Março de 2013
[...] No teu poema que eu não leio sem ancias de chegar depressa aos cantos suavissimamente apaixonados em que a tua poesia se inalta para onde, quando havia Deus, se dizia que se evolavam as lagrimas da afflicção.
Camillo, Narcoticos , II, Porto, Clavel , 1882, p. 245.

Isto de brincar às reformas ortográficas dá nisto. Neste caso, não bastou mudarem o nome de baptismo ao autor, tiveram de lhe corrigir a obra.
Cumpts.
De c. a 11 de Março de 2013
Nestas coisas, ou se tem faro de perdigueiro ou não.
Muito obrigado!
De [s.n.] a 13 de Março de 2013
O texto explicativo de João Guisan de Seixas é de superior qualidade. Demonstra por A+B os completos disparates vertidos no AO90.
Este inominável Acordo deveria encher de vergonha quem o concebeu porque não só se trata de um ultraje à língua portuguesa e aos seus muitos milhões de falantes, mas também de uma insolência a toda a prova perante os mesmos milhões que a honram e respeitam tanto quanto a mãe-pátria.
Maria
De Bic Laranja a 13 de Março de 2013
Não envorgonha quem no concebeu porque não é gente capaz de ter vergonha.
Cumpts.
De mujahedin a 13 de Março de 2013
Caro Bic,

a ligação sob «parecer em nome da Universidade de Coimbra» parece apontar para coisa nenhuma!

Teria muito interesse em ler o dito "parecer". Ficaria grato se pudesse corrigir a coisa...
De Bic Laranja a 13 de Março de 2013
Aqui.
É escusado procurar pelo nome de Carlos Reis, v. por ele o da Fac. de Letras da Universidade de Coimbra.
Cumpts.
De mujahedin a 14 de Março de 2013
Obrigado!
De mujahedin a 14 de Março de 2013
Que coisa tão pobrezinha...

Mesmo descontando a opinião defendida, o texto é ridículo de pobre. Ainda mais porque arvora a chancela da UC sob o título de "Parecer".

Enviei email ao Reitor da UC, alertando para o caso. Veremos o que diz. Se tiver interesse, darei notícia aqui.
De Bic Laranja a 14 de Março de 2013
Muito obrigado. Tenho o maior interesse. Cuido que os leitores que por cá passarem também.
Cumpts.

Comentar