12 comentários:
De Bic Laranja a 23 de Agosto de 2013
Sei lá!
Elle escrevia de sua maneira. Os da 1.ª República reviraram-lhe até o nome. Outros a seguir revolveram-lhe os textos e vê-se não fica por aqui. Deve ser alguma doença modernaça; hiperactividade...
Se ler eu Dickens em inglês, é igual da primeira à última edição. Se o ler em português deve aparecer de tudo, até «pénis»...
Cumpts.
De Inspector Jaap a 24 de Agosto de 2013
Quanto a Camilo:
Essa rapaziada é mesmo assim: tocar de mudar tudo, sem nexo nem fundamento nem objectivo; é a mudança pela mudança e pronto um destes dias vamos ter que comprar um qualquer dicionário de tupi/Português para conseguir ler a nata das letras portuguesas; que vacuidade!

Quanto a essa pobre alma, quiçá emigrante em terras de S.M. e que à falta de pratos para lavar no restaurante, se deitou a “tradutora”:
Sabe que fiquei sem fala? Isto não me deveria acontecer, mas, acontece, pronto!
É, seguramente, desta massa (bruta) que é feito esse “escol” cultural dos acorditas; que raio de mediocridade!
Cumpts
De Inspector Jaap a 24 de Agosto de 2013
Ainda: essa criaturinha deve ter futuro assegurado a traduzir as obras de Camilo para acordês.
De Bic Laranja a 25 de Agosto de 2013
Não tem porque o vocabulário de Camillo era vastíssimo e consulta a dicionários não há-de ser com ela.
Cumpts.

Comentar