Terça-feira, 18 de Junho de 2013

Alto do Pina, 1972

Alto do Pina, Lisboa (Rui Trancoso, 1972)

 Acha-se esta publicada no Portugal Velho com um título meio sensacional, meio esquerdóide: A Vida num Bairro de Lata, Lisboa, 1972. -- Não ocorreu porem-lhe bairro de lata com vistas 5 estrelas, já que até deitava vista para o Sheraton? -- Havia de ser ironia refinada de mais, cuido. Ou de certo andarão as vistas mais fixas na lata do que nas estrelas...
 Depois, lendo lá os comentários, entrevejo desnorte e palpites de subúrbio que não dão para localizar a cena senão num lugar-comum: o Terceiro Mundo. Do vulgar achismo palpitante tiro sòmente que os horizontes são bem mais curtos na classe média hodierna do que no dito bairro de lata lisboeta em 1972. Pelo meio daquele alvedrio de subúrbio sempre escapa alguém secamente a atinar com o Norte: Rua Barão [de] Sabrosa.
 A final sempre era bairro, sim. Popular, não de lata. Se falamos de condições para a gente habitar, procurai o lugar no séc. XXI, a ver se lá mora hoje alguém em melhores condições do que no tempo do Terceiro Mundo.

Rua Barão de Sabrosa, 75-79, Alto do Pina (A. J. Ferandes, 1967)
Rua Barão de Sabrosa, 75-79, Alto do Pina, 1967.

 


Fotografias: Rui Trancoso (Portugal Velho) e Augusto de Jesus Fernandes (Arquivo Fotográfico da C.M.L.).

Escrito com Bic Laranja às 23:05
Verbete | comentar
11 comentários:
De MCV a 19 de Junho de 2013
Coisa estranha. Diria a minha cabeça que não seria possível os dois edifícios - Imaviz e Sheraton - serem vistos desta forma. Parecendo que um mostra o alçado nascente* e outro o alçado norte*, lado a lado.
Mas é. Há uma ilusão de óptica qualquer ditada pela distância que o torna possível.

Abraço

* com as devidas tolerâncias
De Bic Laranja a 19 de Junho de 2013
Um ângulo para mim habitual, de modo que me nunca fez espécie.
Cumpts.
De MCV a 19 de Junho de 2013
Remete esta nossa troca de impressões para um livro:
"A imagem da cidade" de Kevin Lynch.
Eu não diria, visto "daqui" que aquelas duas fachadas fazem entre si um ângulo recto. Antes me parecem paralelas.
(também vi ontem o actual panorama no Google Street View)
Abraço
De Bic Laranja a 22 de Junho de 2013
Compreendo. E é-me possível agora ver essas fachadas paralelas. Antes a sugestão da vista só o hábito de ver 'daqui'. Vistas curtas, se me entende...
:)
Cumpts.
De MCV a 22 de Junho de 2013
Olhares diferentes, de pessoas diferentes, com experiências diferentes.
Eu é que estaria equivocado se insistisse no paralelismo das fachadas.
É uma tomada de vistas curiosa.
Hei-de medir o ângulo que o olhar da lente faz com cada um dos alçados. Diz-me que é tirada passando aquele portão para dentro.
Abraço
De Bic Laranja a 28 de Julho de 2013
Tudo indica que sim.
Cumpts.
De Pedro Rodrigues a 19 de Junho de 2013
Mas será mesmo a dita Rua Barão de Sabrosa?? vendo no google esta rua nada parece com o que se vê na foto... e as habitações da rua parecem construções bem anteriores a 1972!! e também no google nao se vê á distancia o torre do " 5 Estrelas" ..... não será outra rua ... outro Bairro??
De Pedro Rodrigues a 19 de Junho de 2013
Já descobri ao certo a mesma perspectiva da imagem agora na actualidade!! sim... é na dita Rua Barão de Sabrosa.... mas num descampado que tem uns automóveis estacionados ... vê se bem as torres ao longe...
De Bic Laranja a 22 de Junho de 2013
Descobriu um mirante mais acima. Bom trabalho.
Cumpts.
De josé a 19 de Junho de 2013
O sítio a que se refere deve ser certamente a "Quinta da Argolinha".
No fim dos anos 50, princípio dos 60, os habitantes das barracas entre a Praça Paiva Couceiro e o convento das Comendadeiras foram para terrenos entre a Barão de Saborosa e a Picheleira.
Foi um despejo colectivo da CML (O brigadeiro entrou em funções).
Se me recordo bem tinha um acesso pela rua do Sol a Chelas.
Apanhando o autocarro n° 11 vindo de Sapadores para a Picheleira nem se via nada desse bairro de lata que finalmente era equivalente ao outro.
Cumprimentos
José

De Bic Laranja a 22 de Junho de 2013
A quinta que tinha acesso pela Rua do Sol a Chelas era a Curraleira. A cena aqui é o n.º 75 da Barão de Sabrosa, cujas traseiras são sobranceiras à Rua do Actor Vale.
Mas já me deu essa novidade das barracas na Paiva Couceiro.
Cumpts.

Comentar

Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
21
23
25
26
27
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____