3 comentários:
De Inspector Jaap a 22 de Agosto de 2013
Este comentário aplica-se aos verbetes anteriores do mesmo tema.
Estamos a analisar um tudólogo » que, coitado, justificou o ordenado de testa-de-ferro neste suculento naco de estéril prosa. Este «espécimen» já se interrogou por que razão é que o Império Colonial Português sobreviveu aos das grandes potências europeias? Resposta: porque nós NÃO éramos como os ingleses, belgas, franceses e alemães, para já não falar nos italianos, como as fotos documentam; com todos os nossos defeitos, tratávamos os autóctones muito mais humanamente do que os atrás citados e, por isso mesmo, é que as nossas colónias foram as últimas a desaparecer, e em que circunstâncias…
Mas teremos mesmo que aturar esta cáfila, e por quanto mais tempo? Apre!
Cumpts
De Bic Laranja a 25 de Agosto de 2013
O «Público» tem uma agenda. E estes articuleiros andam todos engajados.
...
Há quem se interrogue lá na Porta da Loja por que raio financia o merceeiro-mor aquilo. Está exactamente no 'cargo': qualquer-coisa-mor é de nomeação régia, tem tença do poder reinante, mesmo nas piores republiquetas.
Eis para que serve o «Público» mai-la sua propaganda: para pagar favores e subsídios à Situação.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 28 de Agosto de 2013
Ora aí está; curto, grosso e preciso!
Cumpts

Comentar