Domingo, 25 de Agosto de 2013

Da falácia contumaz

 No relatório dos intendentes de S. Bento ao caco gráfico aparece a pp. 18-19 (4.2 -- Argumentos favoráveis ao Acordo) que «os defensores [do dito] consideram que há uma mudança linguística (fonética) em curso que tem vindo a ocorrer desde o princípio do séc. XX, evidente na forma como certas pessoas ainda articulam consoantes mudas e outras não. A dupla grafia agora admitida poderá vir a desaparecer.»

 Este parágrafo, só por si dava um tratado. Se fosse sério.

 Primeiro, a única defensora que alguma vez vi propor este argumento foi uma Helena Topa Valentim num artiguelho no Público em 19/2/2012 (cf. «Uma Helena tola no Público»).

 Depois, se há mais defensores, desconheço. Duvido, mas pode haver. Seria interessante sabermos deles para conhecermos em que se baseia a sua tese de que há uma mudança linguística (fonética) em curso -- não uma de devir lento e indefinido como é das leis do uso natural da linguagem, mas antes uma bem definida cujo rumo inequívoco é a síncope de consoantes dos grupos cç, ct, pç, pt, e mais alguns por aí que possam vir a calhar...
 Uma afirmação daquelas, pois, é duma barbaridade capciosa.

  •  Qual o corpus científico em que se baseia?
  •  Qual o âmbito humano, geográfico e histórico da recolha?
  •  Qual o método de estudo dos dados recolhidos que concluiu ser evidente [a] forma como certas pessoas ainda articulam consoantes mudas e outras não? [ E daí a poder-se acabar com elas...]

  E naquela inquestionada evidência quais afinal são os vocábulos ou famílias de vocábulos em que as ditas consoantes mudas

  1. nunca se articularam?
  2. se articularam, mas deixaram de articular-se, e/ou vice-versa?
  3. sempre se articularam?

 E onde, a que povos, quando e, se possível, como, sucederam tão evidentes fenómenos de mudança linguística (fonética)?

 Pois bem, enquanto o inventário dessa apregoada mudança não for dado a conhecer estamos perante publicidade enganosa, ou reles ciganice, como com maior propriedade se diria antes de tanta mudança em curso.
 O respaldo no relatório dos srs. deputados duma particular excrescência intelectual da activista de caprichos fracturantes Helena Topa, mai-la generalização operada com ele no remate do ponto 4.2 -- Argumentos favoráveis ao Acordo é artifício de propaganda. Não tem validade científica, procura só inculcar subliminarmente no leitor, como verdadeira, uma ideia de que não há uma chispa de prova. Uma contumaz falácia dos poderes políticos que regem Portugal.

Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico -- LEIA!    ASSINE!     DIVULGUE!

(Imagem da I.L.C. contra o Acordo Ortográfico.)

(Revisto às 9h10 da noite.)

 

Adenda em 21/III/15:

Caro responsável pela autoria deste post,
Sou Helena Topa Valentim. Um amigo, numa busca que fez procura de algo referente a mim, descobriu este seu texto e aí menção ao meu nome. Alertou-me e, com espanto, constato que o senhor se terá equivocado. Nunca me pronunciei publicamente em nenhum artigo do Público relativamente ao A.O. e acontece que, exactamente em virtude da minha formação e desempenho profissional, tenho uma posição crítica em relação ao mesmo. Sei o que se terá passado para que tenha incorrido nesta confusão: o artigo que refere é da autoria de Helena Topa, uma prima minha, mas não meu. Agradeço, por isso, que, por esta razão, elimine este
post. Peço-lho por favor e agradeço muito a sua compreensão.
Cordialmente. 

(Helena Topa Valentim)

Escrito com Bic Laranja às 15:36
Verbete | comentar
7 comentários:
De [s.n.] a 25 de Agosto de 2013 às 21:52
Excelente constatação dos factos. E uma crítica igualmente rigorosa e inteligente, como sempre aliás. Nunca será demais repisar estes argumentos válidos em defesa da lindíssima língua portuguesa. Abaixo os abastardadores da nossa língua. Parabéns mais uma vez.
Maria

:)- mailos:))
De Bic Laranja a 25 de Agosto de 2013 às 22:11
Generosa, como habitual.
Obrigado!
:)
De Inspector Jaap a 28 de Agosto de 2013 às 14:25
Subscrevo inteiramente!
Cumpts
De Inspector Jaap a 28 de Agosto de 2013 às 14:34
Um assombro de exposição; acrescento eu: onde é que essas alimárias colocam palavras do género, homem, humidade e afins? O que é que estas consoantes mudas têm a menos em relação aquelas (para já)* que foram o alvo da sanha persecutória desta cambada? Gostava de ver a cara do malacaca e “su muchacha” a explicar isto.
Isto mais parece um manicómio gigante ou, em alternativa, um lupanar intelectual em que tudo se vende. Que nojo!
Cumpts, caro Bic e que nunca a pena lhe doa, pois seria mesmo uma pena!
*= cheira-me que os feitores de além-atlântico se estão a preparar para não ficarem por aqui; a ver vamos, mas que a coisa fede, lá isso fede.
De Bic Laranja a 29 de Agosto de 2013 às 13:17
Nos trópicos não se gera português; só crioulo.
Cumpts.
De helena topa valentim a 21 de Março de 2015 às 00:29
Caro responsável pela autoria deste post,
Sou Helena Topa Valentim. Um amigo, numa busca que fez procura de algo referente a mim, descobriu este seu texto e aí menção ao meu nome. Alertou-me e, com espanto, constato que se o senhor se terá equivocado. Nunca me pronunciei publicamente em nenhum artigo do Público relativamente ao AO e acontece que, exactamente em virtude da minha formação e desepenho profissional, tenho uma posição crítica em relacção ao mesmo. Sei o que se terá passado para que tenha incorrido nesta confusão: o artigo que refere é da autoria de Helena Topa, uma prima minha, mas não meu. Agradeço, por isso, que, por esta razão, elimine este post. Peço-lho por favor e agradeço muito a sua compreensão. Cordialmente.
De Bic Laranja a 21 de Março de 2015 às 09:55
Se bem entendo, a Helena Topa é a autora do escrito no Público. Pessoa diferente da Helena Topa Valentim que me corrige neste engano.
Não imaginei que pudesse haver duas helenas topa. Lamento o equívoco e agradeço-lhe eu a compreensão do engano.
Não eliminarei o verbete mas revê-lo-ei nos termo da devida verdade.
Muito obrigado do esclarecimento.

Comentar

Junho 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Caminhos de Ferro Vale Fumaça
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Ultramar

arquivo

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

RSS

____