3 comentários:
De [s.n.] a 13 de Setembro de 2013
Que lindo espectáculo de ginástica. E que bem terá feito física e mentalmente esta prática tão saudável àqueles jovens e a todos os que se lhes seguiram, bem como àqueles que continuaram a exercê-la desde então até ao presente, tudo graças a este grande Clube. E pensar que esta e outras modalidades desportivas, praticadas nesta altura a céu aberto, foram o embrião daquele que viria a tornar-se no Grande Sporting Clube de Portugal - nome pelo qual era para ter sido baptizado. O Visconde, dono daqueles imensos e valiosos terrenos, foi um grande português e um acérrimo sportinguista. A ele e ao seu adorado neto José se deve a fundação deste fabuloso clube. Neto que perseguiu os mesmos nobres valores do seu querido Avô, dando-lhes continuidade.

--------
Por acaso tem ideia do nome dos proprietários da moradia a que se refere e que se vê ao fundo da foto, da qual infelizmente só as paredes exteriores resistiram ao camartelo? Pergunto, porque me parece ser a que pertenceu a uns nossos conhecidos, mas não tenho a certeza.
Maria
De Bic Laranja a 15 de Setembro de 2013
Pois agora a philanthropia parece que se acabou. O que há é gymnastica de sofá (ou de café) e compra e venda de saltimbancos para entreter.

O prémio Valmor de 1912 na Alameda das Linhas de Torres, 22, foi dum Sr. José Carreira de Souza, de que não sei dizer mais.

Cumpts.
De [s.n.] a 15 de Setembro de 2013
Vou tentar saber através de um meu familiar qual o nome dos proprietários aí pelos anos 60/70 e creio que mesmo 50 e porventura 40.

Mas, nem de propósito, não havia um decreto-lei que proíbia o derrube dos Prémios Valmor e que fazia parte do regulamento desde que estes foram instituídos?...
E ob. p'la resposta:)
Maria

Comentar