8 comentários:
De Valdemar Silva a 28 de Setembro de 2017
Coitadas das doces piscas. Os tractores tiraram-lhe toda a alegria de viver, do mesmo se queixam os burros.
Do mesmo não se queixam os primos das piscas, que isto de ser tauru bravo é outra raça. Estes, todos continuam contentes nas lezírias, embora um pouco nervosos mas sempre sorridentes, com o desejo estampado na cara de serem encabrestados e seguirem para uma boa corrida. Sempre com a alegria estampada e esperando uns belos curtos e outros compridos espetados no lombo, como se tratasse de festinhas carinhosas, mais uns pares de bandarilhas e outras caricias para gáudio deles próprios e se mais houvesse mais eles se deliciavam à espera do estoque final. Que grande alegria um tauru deve sentir, afinal ele nasceu para isto. Coitado, cada um nasce para o que nasce. Bem podia ter sido escolhido, pela sua raça/bravura, só para procriação.
(Constou-se, no tempo em que os animais falavam, que o tauru teria dito ao cavalo dar-lhe gozo correr atrás dele e ser espetado no lombo por ferros bem afiados)
Valdemar Silva
De Bic Laranja a 28 de Setembro de 2017
O seu gosto pela festa brava é manso.
Cumpts.
De Valdemar Silva a 29 de Setembro de 2017
Agora reparo que as piscas são piscos. O Amarelo e o Bonito de canga, só lembraria ao Pastor.
Cumpts.
Valdemar Silva
De Bic Laranja a 29 de Setembro de 2017
Ao archivista da C.M.L., que o Pastor já se nem lembrava onde tinha tirado a fotografia.
Cumpts.

Comentar