2 comentários:
De [s.n.] a 18 de Abril de 2015 às 21:26
Olhe, observo estas fotos lindas e refiro-me sobretudo às desta época, mas não só, que volta e meia aqui vai colocando e fico deliciada com tudo o que nelas vejo. O desenho e o traçado impecável das avenidas e dos passeios; o dos próprios edifícios, não sendo embora do melhor que se poderia ter feito na altura, eles são não obstante dignos o suficiente para serem apreciados (e então se os colocarmos lado a lado com a porcaria que desde há trinta ou vinte anos se tem vindo ininterruptamente a edificar, minha Nossa Senhora!, não há comparação que lhes possa valer...) não agredindo a visão de quem os contempla e enquadrando-se mais ou menos bem no espaço em redor e com resultados satisfatórios para os fins a que se destinavam.

Bem, então aqueles pequenos blocos circulares de pedra - com postes d'iluminação naturalmente neles colocados para os sinaleiros poderem regularizar o trânsito em segurança - construídos com precisão milimétrica a meio do piso e no início de cada uma das cinco Avenidas a desembocar na Rotunda, são de uma beleza visual realmente rara.

Parabéns por publicar fotografias tão belas. Tempos, como os retratados, que, por variadíssimas razões entre as quais se detecta, mesmo para quem não os vivei, reinar uma paz social e uma segurança incomparáveis, uma ausência total de violência e um respeito absoluto pelos bens públicos em geral e pela autoridade e pelos mais velhos em particular, tantas saudades têm forçosamente que deixar.
De Bic Laranja a 19 de Abril de 2015 às 22:20
Realmente as pequenas ilhas marcavam o eixo das radiais, serviam de guia ao automobilista e tinham um efeito estético muito artístico.
Os edifícios eram outro mimo. O bom gosto da época era o mais das vezes enobrecido por materiais e acabamentos de primeira (aqueles dois prédios de rendimento, sempre mal apreciados se comparados com os palacetes, no lado da Braamcamp tinham jardins de Inverno).
Hoje é só sucata.
Cumpts.

Comentar