Segunda-feira, 15 de Maio de 2023

A Mouraria com portuguêses

 Dizia há dias do eléctrico 6: que a linha de eléctricos n.º 6 teve três versões; e como em 29 de Dezembro de 1950 a sua segunda versão (Restauradores – Gomes Freire) foi extendida à Pr. da Figueira, cuja dita praça fôra demolida no ano anterior. Pois ali vem um 6 dêsse tempo.

Trôço inf. da R. da Palma, Mouraria, c. 1950. J. Benoliel, c. 1950
Trôço inf. da R. da Palma, Mouraria, c. 1950.
Judah Benoliel, in archivo photographico da C.M.L.

 Iam em boa marcha as demolições na baixa Mouraria nêsse tempo também. A antecipar pistas de bicicletas, quiçá…
 Das largas!…
 Ainda havia era muitos portuguêses por ali, porém!…

Escrito com Bic Laranja às 19:04
Verbete | comentar
15 comentários:
De [s.n.] a 15 de Maio de 2023
Esta fotografia faz-me, sempre, confusão.
Então como é que é de c. 1950, e já não existe o Teatro Apolo que foi demolido em 1957 ?
Pois, ao fundo o que vemos é Rua do Martim Moniz (Guia) e não a Rua Fernandes da Fonseca, que o Apolo fazia gaveto.

Cumpts.
De Bic Laranja a 17 de Maio de 2023
Justamente. Êste é o trôço intramuros tomado de S. Domingos e o que V. intui em ver é o trôço extramuros tomado do postigo de S.Vicente à Guia.

Cumpts.
De Figueiredo a 16 de Maio de 2023
As grandes quantidades de Estrangeiros que estão a ser deslocados para Portugal, tem como objectivo substituir os votos em falta dos Portugueses representados pela Abstenção.

Uma situação grave e criminosa, se nada for feito para alterar a Lei Eleitoral de maneira a que os Estrangeiros não possam votar, as Eleições Autárquicas, Legislativas, e Presidenciais, serão uma fraude.

Segundo se consta, os Estrangeiros que estão a ser deslocados para Portugal - um País onde não há trabalho, e até para empregado de balcão se entra por cunha - recebem subsídios e apoio ao arrendamento/habitação, tudo isto pago pela Classe-Média Portuguesa que se encontra empobrecida e no desemprego.
De [s.n.] a 16 de Maio de 2023
Figueiredo
Em Portugal não há trabalho?
Trabalho há, o que falta é mão de obra que tem de ser substituída com mão de obra de estrangeiros.
A Lei Eleitoral é clara quanto ao direito de voto da estrangeiros.
Quer dizer que os legisladores com "objectivo de substituir os votos..." arranjaram um processo maquiavélico de guerras para haver grandes deslocações e assim suprir a "falta do Portugueses representados pela Abstenção" !!!
O que está a acontecer por toda a Europa é o resultado da baixa natalidade do alarmismo dos anos 60/70 do séc.passado com o "com tanta gente vamos morrer de fome" e a guerra por toda a África e Médio Oriente. Os asiáticos desde os anos 50 que têm imigrado para o Reino Unido, assim como outros desde os anos 60, sazonalmente, são contratados pelos países nórdicos para a apanha de frutos silvestres.

Cumpts.
De Figueiredo a 16 de Maio de 2023
«...Trabalho há, o que falta é mão de obra que tem de ser substituída com mão de obra de estrangeiros...»

Você está a mentir e fá-lo por ignorância ou então é mal-intencionado(a), os Portugueses apresentam-se para trabalhar e as empresas não contratam; os Portugueses entregam e enviam currículos durante dias, meses, anos, e não recebem resposta; a maioria dos negócios e empresas privadas em Portugal vivem à custa de subsídios pagos com o dinheiro dos Contribuintes que financia o Orçamento do Estado (OE), pouco ou nada produzem, são mal geridas, possuem desde o topo à base um quadro orgânico com pessoas medíocres e sem perfil para as funções, com uma imensa falta de profissionalismo, mau ambiente, estupidificação, vitimização, inveja, embrutecimento, infantilização, e falta de educação, onde o incumprimento dos Direitos Laborais e do que está escrito na Lei no que toca ao correcto funcionamento das empresas/negócios e as suas especificidades são a regra.

Até 2012, bem ou mal, os Portugueses lá iam arranjando trabalho, havia emprego, só não trabalhava quem não queria, a partir de 2013 o trabalho e a economia em Portugal foram e estão a ser destruídos através das más políticas praticadas pelos Governos do ex-Primeiro-Ministro, Pedro Coelho, e do Sr.º Primeiro-Ministro, António Costa.

«...A Lei Eleitoral é clara quanto ao direito de voto da estrangeiros...»

No que toca às Eleições é preciso alterar a Lei Eleitoral, por forma a impedir que Estrangeiros votem nas Eleições Autárquicas, Legislativas, e Presidenciais; somente os Portugueses de Raça/Sangue – Continentais e das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira – podem ter direito ao Voto, caso contrário estaremos diante de uma fraude eleitoral, com Estrangeiros a votar, cometendo assim ingerência na Política, Processo Eleitoral, e nos Assuntos Internos de Portugal.

Estão a ser deslocadas grandes quantidades de Estrangeiros para o País, com o objectivo de substituir os Votos da Abstenção, que representa a vontade e a maioria dos Portugueses.

«...O que está a acontecer na Europa é o resultado da baixa natalidade...»

A baixa natalidade em Portugal (o que se passa nos outros Países não me interessa nem me diz respeito) deve-se - e isto será uma curtíssima resposta, pois a questão é mais abrangente - às más políticas praticadas pelo regime liberal/maçónico parido em 25 de Abril de 1974, e os seus Governos e demais forças políticas liberais/maçónicas presentes no Parlamento no que toca ao Trabalho e à Economia; sem estabilidade laboral, sem Classe-Média, sem comércio/serviços, sem indústria, pescas, e agro-pecuária, sem planeamento económico e de contratação de trabalhadores, sem intervenção do Estado, sem regulamentação e fiscalização de negócios/empresas privadas, e se não se fortalecer e fizer cumprir os Direitos Laborais e promover a Disciplina tanto para Patrões como para Trabalhadores, é normal e óbvio que não exista um aumento da natalidade.
De [s.n.] a 16 de Maio de 2023
Figueiredo
Apontei o meu ponto de vista, por isso chame mentiroso e ignorante quando se vir ao espelho.
E atenção a essa Raça/Sangue por causa das transfusões de sangue à la mode ou da desculpa de o D. Afonso Henriques ser descendente de franceses, e quanto ao resto faltou o condicionamento industrial.
Que grande confusão a sua, a taxa de natalidade foi baixando com o enriquecimento da população, que começou em meados dos 60.
De Figueiredo a 16 de Maio de 2023
Está a ver como você não tem argumentos.
De [s.n.] a 16 de Maio de 2023
Queria dizer '....quando se vê ao espelho' e '...em meados dos anos 60'.
De Bic Laranja a 16 de Maio de 2023
Factos.
Há multidões de estrangeiros a chegar e a fazerem bicha para se naturalizarem.
O intuito não sei, mas deixa-me em cuidado…
Naturalizados e a poderem votar viciarão as eleições.
Muitos dêles não vejo que se integrem nem que venham a a aculturar-se.
Mais uma vez aqui, não fico descansado…
Vejo que isto tôda a gente vê, mas ninguém faz nada.
Eu próprio não sei que fazer.
Veladamente vou desabafando as penas e os cuidados em que tudo isto me deixa; veladamente, porque a coisa não anda nadinha mesmo de feição para dizê-lo muito em voz alta.
A discussão que se ao depois aqui gerou lembra-me, porém, e com tôda a propriedade, o sexo dos anjos com os turcos às portas de Constantinopla.
Não vejo saída para esta tristeza.
Cumpts.
De [s.n.] a 16 de Maio de 2023
Tem razão.
Mas os estrangeiros com direito a voto, e julgo com dupla nacionalidade há anos, são os brasileiros, que estão a satisfazer as necessidades de mão de obra em muitos sectores de actividade.
O nosso grande problema são os baixos salários, incluindo os indiferenciados na construção civil que vão trabalhar para outros países da UE.
Neste momento, e partir do desagravamento da covid com o encerramento de milhares de empresas, os trabalhadores foram para outras paragens e o país ficou sem mão de obra, que pelo o que se está a ver não regressaram.
Aquela situação do Martim Moniz/Intendente/Alm.Reis com monhés, sikhs e demais gente o Indostão faz confusão por serem escuros sem ser pelo bronzeado da praia, como os estranjas camones alourados que enchem muitas das cidades e vilas do Algarve e até aprendemos línguas para os entender,

Cumpts.
De Bic Laranja a 17 de Maio de 2023
Cuido ser a sua uma explicação simples e algo benévola, para não dizer outra coisa. Não queremos crer em bruxas, é o que é…

Faz-me muita confusão esta gente agora porque é muita, tôda em idade de ir á tropa, e tôda da seita mafoma. Escondem as mulheres (quando as há) e são ainda mais segregários que os chins (que, venho a notar, debandaram das bandas da Mouraria e adjacências — vêem-se muitos menos).
Segregários são e sòmente se vêem em trabalhinhos de assento (vá que os «barbeiros» façam penteados de pé). Posso estar desatento, mas vejo-os só em lojecas de mercearia sempre vazias, em automóveis de aluguer, a cavalo em motorizadas, em bicicletas a pilhas… — Se vejo um ciclomontanhista dando ao pedal pelas ciclovias do culto que para aí plantaram, é português chapado; mata-se a pedalar para salvar o planeta. Se vejo um cavalheiro dêsses à vela com um pé descansado no pedal e outro no ar a estribar-se dalguma queda — e são quaási todos os que se vêem —, é dos novos portuguêses que rolam albardados com uma caixa no lombo a levar almôço ou o que seja a alguèm. Ora eu não entendo que fôssem precisos tantos barbeiros, taxistas nem estafetas cá nesta cidade. Se vir o I.E.F.P. em linha não é isso que lá procuram. De modo que diga-me alguém: — o qu' é qu' é isto?!…
É isso que me ninguém explica.

Cumpts.
De Figueiredo a 17 de Maio de 2023
Antes o esquema era feito com os parolos, que os liberais/maçonaria deslocavam em força para as Grandes Cidades - Porto e Lisboa - como aconteceu após o golpe de Estado da OTAN em 25 de Abril de 1974.

Davam-lhes trabalho ou trabalho de fachada, inseriam-nos no mundo do crime (lavagem de dinheiro, passadores de droga, etc.), ou atribuíam-lhes um subsídio e uma casa num bairro social ou no centro da cidade, em troca tinham/têm de votar nos partidos que se encontram no Parlamento.

Muitos Portuenses, Lisboetas, e suas famílias, tiveram que deixar a sua cidade natal, pois essa cambada de parolos chuléticos chegavam com as costas quentes pelos liberais/maçonaria, e se alguém lhes desse um correctivo tinha problemas com as Forças Policiais e a Justiça, era logo apelidado de fascista e perseguido.

A desertificação dos centros das Cidades de Porto e Lisboa, a isso se deveu, em grande parte.

Hoje, os liberais/maçonaria estão com dificuldade em recrutar gente que trabalhe para eles e alimente o esquema, daí a procura por elementos além-fronteiras.
De Bic Laranja a 17 de Maio de 2023
Êsse engajamento antigo sempre me pareceu uma dinâmica espontãnea, nunca me ocorreu mais que isso. Não descurando o caciquismo eleiçoeiro que remonta a 1820 e é sobejamente conhecido.
Dêste engajamento ser orquestrado, agora, não me resta dúvida. E é de fora. Aquêloutro era doméstico, ou pelo menos parecia, na medida em que era levado a cabo com prata da casa.
Há qualquer coisa com êste mundo que só se explica por conspiração. E bem parece que é ela como as bruxas dos espanhóis. Doutra maneira não se entende.
Cumpts.
De Figueiredo a 17 de Maio de 2023
Nos Estados Unidos da América do Norte (EUA) esse esquema foi e é muito utilizado, por isso constroem-se grandes guetos ou colocavam-nos a viver em grandes prédios.

Este esquema não tem só a ver com votos nas eleições, mas com um leque de actividades mais abrangente de carácter criminoso, e com uma agenda política, económica, e de engenharia social.

Permita-me fazer aqui um parênteses, quando alguém se refere aos parolos, como é óbvio não se está a generalizar ou a referir às nobres, trabalhadoras, e dignas gentes do Interior e das Aldeias de Portugal, mas sim à gentalha parasitária, chulética,incivilizada, invejosa, deformada, estúpida, embrutecida, ignorante, e mal-intencionada, que existe nessas zonas.
De Bic Laranja a 17 de Maio de 2023
Levando o raciocínio por esta lógica, a conclusão última é que a fôrça que norteia tudo é concertada com o poder instituído e, malevolente.
Realmente, do que e dado a vêr, é o que mais e mais parece.
Cumpts.

Comentar

Julho 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Visitante



Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Firefox contra o Acordo Ortográfico
Fugas do meu tinteiro
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Kruzes Kanhoto
Lisboa
Lisboa Actual
Lisboa de Antigamente (pub)
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Meu Bazar de Ideias
Olhar o Tejo
Paixão por Lisboa
Perspectivas(pub)
Planeta dos Macacos (O)
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Julho 2024

Junho 2024

Maio 2024

Abril 2024

Março 2024

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Julho 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.