14 comentários:
De Inspector Jaap a 13 de Agosto de 2014
Cá por mim, aconselho o mariola a mudar de língua, pois que lhe pode provocar aftas na dita (espero que (ele) perceba o trocadilho)e, por maioria de razão, a mudar de nome, que ainda se sujeita a levar alguma catanada dos que tenta doutrinar com o ódio racial contra os Portugueses.
Cumpts
De Bic Laranja a 14 de Agosto de 2014
Não lhe acontece nada. Está devidamente ungido pelo poder vigente.
Cumpts.
De [s.n.] a 13 de Agosto de 2014
O Bruno no seu melhor, como sempre. Parabéns a ele por este acutilante e não menos brilhante pedaço de prosa.
Maria
De Bic Laranja a 14 de Agosto de 2014
Sim senhora.
Cumpts.
De Costa a 13 de Agosto de 2014
Uma coisa só (ou, enfim, também), é pena: é ver em Angola, e no Jornal de Angola (dando corpo, ainda por cima, a violentíssimos ataques a Portugal e ao governo português, coisa de antigo colonizado repentinamente cheio de dinheiro, perante antigo colonizador falido) o exercício da escrita no mais escorreito e límpido português europeu.

Já por cá, é o que se sabe... Logo seria aos angolanos que caberia defender - ser pelo menos os portadores, com indisfarçado orgulho revanchista - da boa ortografia portuguesa. Diz muito desta gente do rectângulo.

Costa
De Bic Laranja a 14 de Agosto de 2014
Os tratantes do portugalinho são serviçais, meros joguetes, se tanto. Serviram a uns tropicais como logo se agacharão a outros. O caso é que estes outros de Angola os desprezam com tal arrogância que lhes esfregam nos focinhos o próprio idioma. Quere-se maior humilhação? Que gente!...
Cumpts.
De Joe Bernard a 13 de Agosto de 2014
Gostei. Mesmo!
De Bic Laranja a 14 de Agosto de 2014
:)
Cumpts.
De Luís Ferreira a 13 de Agosto de 2014

Até já há um filme:

http://youtu.be/PZUhKL-J83U
De Bic Laranja a 14 de Agosto de 2014
Njinga? E o Agualusa escreve Ginga, mais à maneira colonial. Ah, gingão das letras!... Nobel com ele.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 16 de Agosto de 2014
Para evitar confusões, que disso já temos que chegue, sugiro-lhe respeitosamente que acentue o "é" do "Nobél", não vá o diabo tecê-las.
Cumpts
De Bic Laranja a 17 de Agosto de 2014
Não precisa. O ó é que precisa. Precisaria, que agora já todos lêem exdrùxulamente à amaricana. Amanhãs que cantam hoje, livres do analfabetismo fachista...
Cumpts.
De Mário Antunes a 21 de Agosto de 2014
Se o livro for como a crónica, é uma trampa.
De Bic Laranja a 22 de Agosto de 2014
A ver se nos entendemos: como a crónica, não; como diz a crónica .
Cumpts.

Comentar