Quarta-feira, 14 de Dezembro de 2016

Qui mores hominum multorum vidit et urbes



  O professor Artur Anselmo Soares deu uma entrevista ao Nuno Pacheco («Para nós o normal é o respeito pelas ortografias nacionais», Público, 12/XII/16)  em que anuncia para Janeiro, por conta da Academia das Sciencias, uns «Subsídios para Aperfeiçoamento do Acordo Ortográfico».
 Antes de mais, subsídios para o «Acordo Ortográfico» são tão precisos como o próprio «Acordo». O que nasce torto, tarde ou nunca se endireita, diz o adágio. De modo que aperfeiçoar uma aberração daquelas tem o mesmo nexo de se pegar num troço de matéria fecal sólida pelo lado mais limpo. Erradicar a bosta é a única solução.
 O prof. Artur Anselmo parece-me bem intencionado mas meio perdido (ou talvez não...) Em tempos ouvi-lhe o desespero ante os deputedos duma comichão para lamentar que se entreteve uns meses a fazer ponto-cruz sobre o esterco cagalhográfico metido a ferros no Diário do governo por um ministro da República lacaio de Sócrates; contou gravemente o prof. Anselmo, então, que o ministro da área cultural no [XVII.º] governo ameaçou inclusive o presidente da Academia das Sciências [prof. Adriano Moreira] de extinguir a Academia — sim, sim, de extinguir a Academia! — pelo facto de ela não estar ao lado do governo nessa matéria.
 Foi uma notícia que nenhum jornal quis dar...
 Naquele auto-intitulado «grupo de trabalho» da Assembleia também não fizeram caso. Não estavam lá para isso.

 Custa que a Academia haja chegado a isto. Qualquer ignorante atrevido ou estrangeiro que balbucie lusofonês em crioulo tem autoridade na língua portuguesa.
 A Academia das Sciencias de Lisboa não.
 O que se nota da Academia nota-se no seu presidente.
 O seu tom desesperado então era a impotência ante a desgraça a falar. O seu tom melífluo agora é como uma rolha numa torrente de lama.
 Na entrevista ao «Público» tanto diz o certo como o desdiz. Sempre a bem do outro. É desesperante.
 Diz que «os angolanos têm todo o direito de escrever kwanza com k e com w». — E até de escrever cuanza em cubano, digo eu. — Os portugueses e a sua Academia das Sciencias parecem porém não ter direitos, porque, afirma, «para as situações dúbias só com uma reunião interacadémica — porque não há outra maneira de fazer as coisas.»
 Interacadémica é mais conversa com os imortais da A.B.L.?!...—  Para lhes dizer que os angolanos têm todo o direito de escrever cuanza com k e com w?!...
 Diz ainda que «há crianças que desde o primeiro ano seguem as normas do acordo». Omite um pormaior: há muitas mais «crianças» que desde a primeira classe seguem as normas do acordo de 1945.
 A Academia acha que não pode nada e teme querer poder o que seja. Arrenega-se. Pois para que serve? Sciente disto se mostra o prof. Artur Anselmo, cheio de pruridos, a lidar com luvas de pelica a bosta «ortográfica» que empesta Portugal e ilhas.

  Pois bem, anuncia: «o que vai ser apresentado é uma proposta no sentido de seguirmos a ordem alfabética de 1945, mas assinalando em bold (antigamente dizia-se negrito, ou normando) aquilo que foi alterado. Portanto, teremos concepção com o p em bold.  [Pois! Em bold...]  A pessoa quer saber como escreve hoje e vai lá.»
 Vai lá, vai...
 Cheira-me que estes subsídios são a vil Academia das Sciencias a estribar-se no mercado com uma no cravo outra na ferradura quanto ao imbecil «Acordo». Não anuncia, pois, ela por meio deles um novo dicionario para 2018?!...
 Subsídios destes dizem-se vulgarmente agora marketing. Antigamente dizia-se apregoar o peixe. Podre.

 

————
Retrato do II.º Duque de Lafões em C.M.L.

Escrito com Bic Laranja às 19:35
Verbete | comentar
10 comentários:
De [s.n.] a 17 de Dezembro de 2016
Não tem a ver com o tema. Recebeu o meu email enviado ontem?
Maria
De Bic Laranja a 17 de Dezembro de 2016
Não recebi.
De [s.n.] a 18 de Dezembro de 2016
Pois, não me admiro. Deixo-lhe por este meio o que quis informar por email. Passa-se qualquer coisa de muito esquisito com o servidor que nem sequer consigo perceber lá muito bem. Se puder responda-me para este novo endereço electrónico que fui forçada a criar, só para me dizer se tentou contactar-me para o anterior e-mail, se calhar não. Porque se o fez não recebi nada. Inacreditàvelmente o Google apagou-me todos os e-mails e outros dados que me faziam falta, sem me pedir autorização e o pior é que não consigo recuperá-los! Este facto parece-me muito estranho, além de o considerar absolutamente inadmissível.
Maria
De Luis a 20 de Dezembro de 2016
Comeco a nao ter vontade de por os pes nessa canto da Iberia.

O Minho e o Douro Litoral vistos do aviao sao as zonas mais desordenadas que conheco na Europa. Onde havia carvalhos no seculo XIX ha agora eucaliptos e acacias. Nao conheco nada assim no Velho Continente.

As casas tradicionais deram lugar a mamarrachos. Os alemaes dizem que os portugueses sao como os turcos. Vivem em apartamentos.

Tudo o que vejo me fere o espirito. Os matagais de eucalipto dispersos na paisagem. Os mamarrachos. As marquises, os aluminios, os toldos e as cadeiras de plastico, os platanos destruidos com podas radicais, os sobreiros a morrer no Alentejo com uma praga importada. As casas devolutas, as fabricas em ruinas. Chamam ao Porto a Detroit da Europa.

So faltava mexerem na Lingua, fizeram no criminosamente na Primeira Republica e agora vao faze lo de novo.

Desde a derrota de D. Miguel que esta forca estranha destroi Portugal.

Peco desculpa pelos erros mas o teclado e ingles.
De Bic Laranja a 21 de Dezembro de 2016
Desde que acabou, Portugal anda assim: a saque. Tudo o que refere serve à descrição do saque.
Salvo com o idioma.
Isso é prostituição.
Mas…
Feliz Natal!
De fty a 22 de Dezembro de 2016
E, apenas para saber, quando é que acabou Portugal?
Em 1580, em 1834, em...
De Bic Laranja a 23 de Dezembro de 2016
1974.
De JPG a 22 de Dezembro de 2016
Não é "apenas" a Língua, peço desculpa pela insistência. Cavalgando o AO90 e "ao abrigo" da suposta "uniformização" que o dito propagandeia assiste-se já a uma campanha, metódica, sistemática e altamente peofissionalizada, de apagamento da História e da Cultura, de qualquer resquício, em suma, daquilo a que dantes se chamava Portugal.

A "língua universal" de Malaca, Cavaco, Santana, Sócrates e demais mercenários não consiste em "apenas" eliminar umas quantas "consoantes mudas", não é "só" a "adoção" da norma ortográfica brasileira. Pelo contrário, isso é que é apenas a face mais espectacular e evidente de uma operação incomensuravelmente mais vasta, abrangente e sinistra: erradicar, eliminar, exterminar toda e qualquer marca histórica portuguesa, seja o que for que de cultural, patrimonial e identitário sequer "cheire" a português.

O AO90 não implica "só" a abolição de uma "classe" lexical informática (CHCP 860), abrange também todos os sistemas de indexação, pesquisa e dicionarização electrónica. Veja-se, por exemplo, o que sucedeu a todas as entradas da Wikipedia portuguesa (evidentemente, já erradicada): foram substituídas por equivalentes brasileiros (p.ex., a ilustração de "palácio" era o de Belém, agora só lá está o do Planalto). O Google ou qualquer outro "motor de busca" devolve hoje apenas resultados brasileiros à cabeça e apresenta como erro qualquer critério de pesquisa em Português-padrão.

Os nossos jovens (e outros parvalhões não tão jovens como isso) já vão macaqueando as expressões idiomáticas brasileiras e até as (básicas, primitivas) construções frásicas daquela banda.

E assim por diante.

Até a arquitectura em Portugal já vai perdendo o C...

http://cedilha.net/ap53/?p=4635
De Bic Laranja a 24 de Dezembro de 2016
Tem razão. O aborto gráfico é somente um dos pratos do prostíbulo em que Portugal se tornou, onde o crioulo entremeado de «amaricano» saloio segue livremente o seu curso.
Um país deveras perdido; uma nação cega e órfã totalmente à deriva.
A «arquitectura» é outra representação da curteza de vistas que povoa o prostíbulo. Até nas casas de putas do Conde de Abranhos havia melhor decoração e gosto, não sei se me entende...
Paupérrima pobreza de chancela oficial, esta. Que miséria de regime, p.q.p.!
De Bic Laranja a 24 de Dezembro de 2016
Vostos de feliz Natal e melhor ano novo.
Abraço!

Comentar

Junho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____