10 comentários:
De [s.n.] a 17 de Dezembro de 2016
Não tem a ver com o tema. Recebeu o meu email enviado ontem?
Maria
De Bic Laranja a 17 de Dezembro de 2016
Não recebi.
De [s.n.] a 18 de Dezembro de 2016
Pois, não me admiro. Deixo-lhe por este meio o que quis informar por email. Passa-se qualquer coisa de muito esquisito com o servidor que nem sequer consigo perceber lá muito bem. Se puder responda-me para este novo endereço electrónico que fui forçada a criar, só para me dizer se tentou contactar-me para o anterior e-mail, se calhar não. Porque se o fez não recebi nada. Inacreditàvelmente o Google apagou-me todos os e-mails e outros dados que me faziam falta, sem me pedir autorização e o pior é que não consigo recuperá-los! Este facto parece-me muito estranho, além de o considerar absolutamente inadmissível.
Maria
De Luis a 20 de Dezembro de 2016
Comeco a nao ter vontade de por os pes nessa canto da Iberia.

O Minho e o Douro Litoral vistos do aviao sao as zonas mais desordenadas que conheco na Europa. Onde havia carvalhos no seculo XIX ha agora eucaliptos e acacias. Nao conheco nada assim no Velho Continente.

As casas tradicionais deram lugar a mamarrachos. Os alemaes dizem que os portugueses sao como os turcos. Vivem em apartamentos.

Tudo o que vejo me fere o espirito. Os matagais de eucalipto dispersos na paisagem. Os mamarrachos. As marquises, os aluminios, os toldos e as cadeiras de plastico, os platanos destruidos com podas radicais, os sobreiros a morrer no Alentejo com uma praga importada. As casas devolutas, as fabricas em ruinas. Chamam ao Porto a Detroit da Europa.

So faltava mexerem na Lingua, fizeram no criminosamente na Primeira Republica e agora vao faze lo de novo.

Desde a derrota de D. Miguel que esta forca estranha destroi Portugal.

Peco desculpa pelos erros mas o teclado e ingles.
De Bic Laranja a 21 de Dezembro de 2016
Desde que acabou, Portugal anda assim: a saque. Tudo o que refere serve à descrição do saque.
Salvo com o idioma.
Isso é prostituição.
Mas…
Feliz Natal!
De fty a 22 de Dezembro de 2016
E, apenas para saber, quando é que acabou Portugal?
Em 1580, em 1834, em...
De Bic Laranja a 23 de Dezembro de 2016
1974.
De JPG a 22 de Dezembro de 2016
Não é "apenas" a Língua, peço desculpa pela insistência. Cavalgando o AO90 e "ao abrigo" da suposta "uniformização" que o dito propagandeia assiste-se já a uma campanha, metódica, sistemática e altamente peofissionalizada, de apagamento da História e da Cultura, de qualquer resquício, em suma, daquilo a que dantes se chamava Portugal.

A "língua universal" de Malaca, Cavaco, Santana, Sócrates e demais mercenários não consiste em "apenas" eliminar umas quantas "consoantes mudas", não é "só" a "adoção" da norma ortográfica brasileira. Pelo contrário, isso é que é apenas a face mais espectacular e evidente de uma operação incomensuravelmente mais vasta, abrangente e sinistra: erradicar, eliminar, exterminar toda e qualquer marca histórica portuguesa, seja o que for que de cultural, patrimonial e identitário sequer "cheire" a português.

O AO90 não implica "só" a abolição de uma "classe" lexical informática (CHCP 860), abrange também todos os sistemas de indexação, pesquisa e dicionarização electrónica. Veja-se, por exemplo, o que sucedeu a todas as entradas da Wikipedia portuguesa (evidentemente, já erradicada): foram substituídas por equivalentes brasileiros (p.ex., a ilustração de "palácio" era o de Belém, agora só lá está o do Planalto). O Google ou qualquer outro "motor de busca" devolve hoje apenas resultados brasileiros à cabeça e apresenta como erro qualquer critério de pesquisa em Português-padrão.

Os nossos jovens (e outros parvalhões não tão jovens como isso) já vão macaqueando as expressões idiomáticas brasileiras e até as (básicas, primitivas) construções frásicas daquela banda.

E assim por diante.

Até a arquitectura em Portugal já vai perdendo o C...

http://cedilha.net/ap53/?p=4635
De Bic Laranja a 24 de Dezembro de 2016
Tem razão. O aborto gráfico é somente um dos pratos do prostíbulo em que Portugal se tornou, onde o crioulo entremeado de «amaricano» saloio segue livremente o seu curso.
Um país deveras perdido; uma nação cega e órfã totalmente à deriva.
A «arquitectura» é outra representação da curteza de vistas que povoa o prostíbulo. Até nas casas de putas do Conde de Abranhos havia melhor decoração e gosto, não sei se me entende...
Paupérrima pobreza de chancela oficial, esta. Que miséria de regime, p.q.p.!
De Bic Laranja a 24 de Dezembro de 2016
Vostos de feliz Natal e melhor ano novo.
Abraço!

Comentar