10 comentários:
De Marcos Pinho de Escobar a 23 de Maio de 2016
Assim é que se faz!
Abr.
De CapCréus a 23 de Maio de 2016
E o "activities" ter o "C" já estamos com muita sorte.
De Bic Laranja a 28 de Maio de 2016
Verdade.

Cumpts.
De Bic Laranja a 28 de Maio de 2016
Sem trégua contra quem desfaz.
Cumpts.
De gato a 23 de Maio de 2016
Atividades sem anais
De Bic Laranja a 28 de Maio de 2016
Melhor: actividades semanaes.
Melhor fôra ainda nunca mixturar anno com o fundo das costas...
Há males que vêm de muito longe, já.
Cumpts.
De [s.n.] a 24 de Maio de 2016
Ouvi há pouco na TVI-24, às 15.35 e já em repetição, a locutora proferir em directo, mas também e por várias vezes em off "... levarem as crianças a assinarem..." (um documento qualquer relativo à sua opinião quanto à responsabilidade parental). Ora esta frase/oração deve ser redigida ou pronunciada oralmente de duas maneiras possíveis: "levarem as crianças a assinar..." ou "levar as crianças a assinarem". Salvo raríssimas excepções que confirmam a regra e aqui não é o caso, não se conjugam dois verbos/predicados numa mesma oração, um deles tem que permanecer obrigatòriamente no infinitivo.
Maria

Nota: Mas há mais destes atropelos ao português (e alguns mais graves) nas televisões e nos jornais. Hei-de voltar a eles neste oportuno e didáctico espaço, o indicado por excelência para dirimir casos que tais.
De Bic Laranja a 28 de Maio de 2016
Responsabilidade «parental»? Aqui está outra das boas — suculenta até! Qual é o parente? O irmão, o tio, o avô, a madrinha, a madrasta? — É que se fossem os pais a responsabilidade não seria senão paternal.
Não saímos disto. Está tudo entregue a ignorantes.
Cumpts.
De [s.n.] a 24 de Maio de 2016
Ainda sobre as meninas locutoras das televisões. Estava mesmo agora a dar uma vista d'olhos pelas notícias da RTP-3 e não posso deixar de mencionar um pormenor descabido da parte da rapariga que está de serviço. É uma Estela qualquer coisa, que desde tempos imemoriais tem a mania de tapar um dos olhos com o cabelo. Ela julga que é a Verónica Lake portuguesa. É feio e deselegante dizer as notícias com metade da cara tapada. Ela é estrábica, é certo, mas não tem que tapar quase totalmente esse olho para tentar disfarçar o pequeno defeito. Aliás o facto de tapar pràticamente o olho direito com a madeixa implica que tal penteado lhe dificulte a leitura (no monitor) e acentue ainda mais o defeito. Não consigo vê-la por mais de alguns minutos. Ela que se mentalize que não é actriz nem está a actuar/representar num filme, novela ou peça de teatro.

Quanto à Rita Rodrigues da TVI, continua a franzir a testa a cada palavra proferida, como que a querer convencer-nos à força de algo em que não estamos nadinha interessados. Significa que não tem uma postura objectiva. Queremos simplesmente ouvir a transmissão das notícias de modo imparcial e não a ser convencidos de qualquer coisa que naquelas possa estar implícito. Ou não olho para a televisão enquanto a rapariga fala, limitando-me somente a ouvir as notícias ou mudo de canal até aparecer outra/o colega que a substitua na tarefa.
De Bic Laranja a 28 de Maio de 2016
Bom, a Radiotelevisão brasileira acho que é isto... Os outros não ficam atrás.
Cumpts.

Comentar