De [s.n.] a 5 de Dezembro de 2016
Desculpe sair do tema, deste maravilhoso Horizontes da Memória que ainda não fui rever, mas irei de certeza absoluta.

Estou para falar de um assunto que me incomodou imenso e que aconteceu há várias semanas, mas por um motivo ou outro acabei por não o fazer. Vai hoje.

Sintonizei por mero acaso, no rádio do carro, a Antena 3, coisa que nunca faço, só ouço CD's, mas fi-lo porque o meu CD estava bloqueado. Nisto dou comigo a ouvir um cretino de um Bruno Nogueira, com voz de gozo e tom de parvo, a troçar vergonhosamente de uma psicóloga de apelido Vilaça por esta ter dito numa estação de rádio ou escrito num artigo de jornal ou revista, que comparava o problema físico/mental dos homossexuais com o dos drogados. Não conheço a senhora nem nunca a vi, mas tendo a concordar com a opinião da senhora após esta ter mencionado os problemas de ordem psíquica que afectam estes doentes, porque de doença efectivamente se trata, isto segundo a opinião de médicos conceituados já lá vão muitas décadas, para não dizer séculos. Embora os que defendem o contrário e os próprios em primeiro lugar, claro..., afirmem a pés juntos que não senhor, que os homossexuais (e já agora os bi e os trans) são pessoas completamente normais e iguais a todos os hetero..., contrariando a opinião estabelecida por uma série de investigadores e cientistas ao longo dos últimos séculos.

Nem imagina o modo abaixo de cão como aquele ordinário, Bruno, classificou a senhora e em directo. E repetiu várias vezes as ofensas. E com um tom de voz que mais parecia um carroceiro ou um estivador das docas a falar. E como é que ninguém o interrompeu? Neste regime estão todos feitos uns com os outros, são todos situacionistas. Uma verdadeira vergonha. Se aquele estúpido não se sabe comportar com a educação exigida quando se tem um microfone à frente do nariz, é muito bem feito que fique sem trabalho, pelo menos até ter emenda. Como actor não vale nada e ainda menos vale como humorista, mas o estúpido pensa ser o supra-sumo dos humoristas de Portugal e porventura de todo o Continente. Desconfio que é ele quem 'escreve' os textos e as 'piadas' que debita, nota-se pela péssima qualidade dos mesmos. Mas como ele é um defensor estrénuo dos homossexuais, está sempre safo, mesmo como péssimo humorista trabalho nunca lhe faltará.

Eu, no lugar da psicóloga, movia-lhe um processo. Ele insultou-a não só como pessoa mas também como profissional. Este homem mancha irremediàvelmente a profissão. Ele que escolha outra, há por aí muitos restaurantes a necessitar de criados.

A apologia dos homossexuais no nosso país, é igual à que se processa em Espanha e na realidade em todas as democracias do mundo, com o incentivo da esquerda e extrema esquerda, who else? Com pouco ou nenhum talento, vêmo-los por todo o lado..., então no cinema, nas televisões e no rádio é uma verdadeira festa. Em Espanha são gozados ao máximo e isto desde há décadas.
Exemplos por cá? Há dezenas deles, mas apenas deixo quatro por serem os mais insuportáveis de se verem e ouvirem: o incompetentíssimo, mariquíssimo e parvíssimo Carlos Malato, ainda bem que deixou a apresentação de concursos; o cretiníssimo, parvalhãozíssimo e homossexual declarado e gabando-se disso, o absolutamente insuportável Manuel L. Goucha, que se acha um portento como apresentador e debitador de piadas (sem a mínima graça) e é mau, mau, além de ter um aspecto físico e feições horríveis, sobretudo para quem é visto pelo público cuja imagem agradável, elegante e mesmo bonita (deles e delas), projectada, além de pessoa competente, educada e nada irritante, é de suma importância. Este Goucha ainda tem outro defeito imperdoável (de que sofrem todos os comunistas e ele já afirmou por diversas vezes sê-lo e ser também anti-católico, como convém para ter lugar assegurado numa qualquer televisão, no caso a TVI que não o larga desde há trinta(?) anos!!!) que denuncia o seu mau carácter, tem uma inveja indisfarçável da colega e competente Cristina Ferreira desde sempre, só mete nojo. Este é outro 'apresentador' que devia desaparecer das televisões para sempre.

O Alvim e o Markl, não sendo maricons que se saiba,
são muito maus apresentadores e têm a mania que são muito engraçados mas não têm a mínima piada e também são perfeitamente dispensáveis.
Maria
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.