12 comentários:
De MCV a 13 de Junho de 2014 às 06:42
Chincha já no meu tempo e na minha zona suburbana e saloia era um dos termos.
Haveria de estar espalhado um pouco por todo o lado.
Quanto à origem...
Abraço
De Bic Laranja a 13 de Junho de 2014 às 11:45
Usava-se noutros bairros, portanto.
Cumpts.
De Pedro Jaime a 13 de Junho de 2014 às 22:34
catchumbo tem mais pinta
De Bic Laranja a 13 de Junho de 2014 às 23:12
Não tem nada.

Abraço.
De [s.n.] a 16 de Junho de 2014 às 15:09
...exactamente, sempre a conheci por chincha ou pelo nome cientifico de cá-de-chumbo! e muitas vezes no verão ao fim de semana havia uma jogatana ou uns centros no relvado da Alameda... até aparecer a bófia!
De Bic Laranja a 16 de Junho de 2014 às 17:11
Confirma-se o uso noutros bairros, pois.
Cumpts.
De ASeverino a 17 de Junho de 2014 às 13:54
E não é que fiquei ontem a saber que o Fábio Coentrão (discípulo de JJ no português) não era médico...
De Bic Laranja a 17 de Junho de 2014 às 17:51
Discípulo do J.J.?
Cumpts.
De ASeverino a 17 de Junho de 2014 às 19:12
O tal dos pinates " (Jorge Jesus-treinador do Benfica) .

Mas ao menos louve-se-lhe o baile que deu ao treinador inglês quando, em Inglaterra, este arrogante treinador do Tottenham se apressava para se pôr de escadote a gozar com o portuguesinho só que este felizmente não se pôs de cócoras como, se calhar a maioria dos "media" (é assim que agora se diz imprensa, não é...) mas dizia eu como a maioria dos jornalistas queria, tanto assim que ficaram logo todos indignados com a atitude "carroceira" (palavras deles) do JJ
De Bic Laranja a 17 de Junho de 2014 às 22:34
Confesso que me nem ocorreu o óbvio. Devo estar mais envelhecido do que pareço.
Agradeço-lhe a aclaração (muito melhor que dizer-se «esclarecimento», hem!) e louvo-lhe a fina ironia sobre essa língua de pau que escorre das melhores cabeças destes tempos.
E sim senhor, louve-se J.J. (o moderno) por manter vivos os pergaminhos dos velhos cocheiros e saber meter na ordem as bestas.
Quanto à não medicina do coentrão depreendo que seja descoberta dalgum jornalista, não...?

Cumpts.
De ASeverino a 17 de Junho de 2014 às 23:52
Declarações do Coentrão no final do jogo contra a Alemanha, quando saiu lesionado e os restantes mais tarde humilhados: senti uma coisa, uma coisa na perna, mas não sou médico, é coméudigo não sou médico...

Daí eu ter salientado que não era preciso ele dizer, não acha meu caro amigo?

A propósito da expulsão do brasilênho Pepe, que muitos jornalistas da praça acharam exagerada, mesmo depois deste ter pregado uma cabeçada no seu adversário: é que um gajo quando é rufia da favela é rufia da favela mesmo que se desloque de Porshes.
De Bic Laranja a 18 de Junho de 2014 às 12:10
Foi bom ele ter dito porque assim ficamos aclarados; nunca se sabe quantos não passearem numa dessas nas universidades socrático-rélvicas...
O que eu perco por perder os campeonaatos de martraquilhos.
Cumpts.

Comentar