8 comentários:
De Mandarinia a 15 de Novembro de 2016
Essa reportagem merecia o prémio "ignóbil" do jornalismo. "Alguém fala português?" ... As poucas palavras desconexas que conseguiam articular não davam para entrevistas. "Há quanto tempo espera pelo papel? Há sete mais." Mas a menina não desistia: "Os portugueses recebem bem os emigrantes?" "Os portugueses recebem bem os emigrantes?"
Enquanto isso um português "do Partido Nacional Renovador" tinha a cara colada ao chão e era algemado e travado por 5/6(?) polícias. Os números eram esclarecedores "cerca de 1200 emigrantes e 60 do Partido Nacional Renovador". Desisti de ver. Ainda bem.
De Bic Laranja a 15 de Novembro de 2016
Vimos o mesmo. O enjoo é igual.
Só me pergunto: que tropa é esta de moiros que povoam frutarias atrás de frutarias, tanta vez às moscas, abertas a horas e a desoras? Que tropa é esta? Que falta faziam? Que negócio se alimenta com eles e que esconde no meio de tanta fruta?
É isso que me não explicam.
Como me não explicam como são todos mancebos, só homens, sem mulheres nem família.
O que diabo é isto?

Cumpts.
De [s.n.] a 18 de Novembro de 2016
Concordo. É muito estranho. Frutarias (acho que a fruta é para disfarçar o que vende mesmo é o álcool) e lojas de telemóveis. Esses mancebos vão comprar o que vendem nessas lojas a outros super ou hipermercados. No Pingo Doce da minha zona já todos fogem deles quando vão para a caixa.
O caro Bic já tentou pedir factura nestas "frutarias"? Não há papel, não imprime, blá, blá. Mas o que importa é que se receba bem.

De Bic Laranja a 21 de Novembro de 2016
O que importaria era saber que espécie de tráfico de gente é este e que esperam os portugueses ser daqui a duas ou três gerações?
De José Leite a 15 de Novembro de 2016
Caro "BIc"

Quando vi o título deste livro, tive a sensação que tinha cá em casa um livro com mesmo nome.
Fui à procura e realmente tenho a 2ª edição deste livro. Foi comprada pelo meu falecido pai em 1962, na Papelaria e Livraria Rossio, de Joaquim António da Fonseca, em Alcobaça.
Curiosidades desta vida ...
Cumprimentos

José Leite
De Bic Laranja a 15 de Novembro de 2016
Prezado José Leite,
Comprei-o agora, na 14.ª ed. de que dou imagem. Ainda o não li. Conserve o que tem. Livros deste teor tendem a sumir-se, eu me parece. Incomodam. Não vê V.? 14 edições e não se acham mais que uns poucos à venda por preços que não são pechincha.
Há qualquer mistério nisto que não se explica. Ou explica?...
São outras curiosidades.
Cumpts.
De Mandarinia a 18 de Novembro de 2016
Há algum tempo comprei um livro intitulado "Memórias de um inspector da Pide". Ao pagar o alfarrabista disse-me "Não mostre o que leva aí".
De Bic Laranja a 21 de Novembro de 2016
Heresia! Isso dá direito a ferrete de fâchista e auto de fé democrático.
Não é tão bela a libardade?
Cumpts.

Comentar