Quinta-feira, 29 de Dezembro de 2016

Da ordem de certas coisas

  Este caso de partir a mãe um dia a seguir à filha lembrou-me do Peyroteo, de quando era eu pequeno.
 Quando faleceu a mãe do Lampan, do Tintim e do Peyroteo, o Peyroteo não se conformou. No funeral ouviram-no, ao Peyroteo, dizer — «A minha mãe está a chamar-me. Ela está a chamar-me.» — Isto ouvi eu a minha mãe contar também de ouvir contar, depois, porque não éramos chegados nem fomos ao funeral. Mas lembra-me da história...
 Lembra-me agora do Peyroteo que se dava bem connosco, meúdos [miúdos] lá da rua. Era hábil a jogar o pião: impressionou-nos ao Zèzinho da D.ª Joana e a mim, uma vez que nos quis mostrar como se jogava o pião e o vimos lançá-lo ao ar sôbre a cabeça e apanhá-lo também no ar, com a palma da mão e o pião sempre a girar. Com o Peyroteo, pião lançado não ia chão. Quis aprender eu a habilidade e ainda tentei; algumas vezes consegui, mas com pouco jeito receava apanhar com o pião na mona. O Zèzinho nem nunca tentou.
 Pois quando o Peyroteo lhe morreu a mãe e se pôs naquilo de o ela estar a chamar, passados um dia ou dois ia ele na motorizada, teve um acidente e morreu. Lembrei-me disto e ocorreu-me se não foi aquilo agora a filha a chamar a mãe... Que se há-de pensar?...

  Enfim!... Não é isto grande história, mas ajuda, quanto [quando] mais não seja, a calcar ali o S. Barreirinhas mais para o fundo.

Jogo do pião, Lisboa (F. Cunha, s.d.)
Jogo do pião, Lisboa, [s.d.]
Ferreira da Cunha, in archivo photographico da C.M.L.

 

(Revisto em 29 às10h20.)

Escrito com Bic Laranja às 16:49
Verbete | comentar
6 comentários:
De Albino Matos a 29 de Dezembro de 2016
Intenção de ajudar: notei duas gralhas (meúdos>miúdos e quanto mais não seja> quando mais...
Cumps
De Bic Laranja a 30 de Dezembro de 2016
Correcto.
Obrigado e anno bom!
De [s.n.] a 29 de Dezembro de 2016
Fui ver a foto e achei uma graça. Os miúdos descalços é que era pena, mas creio ter sido uma coisa natural nos bairros pobres das cidades e mais ainda nas vilas e aldeias, naturalmente. Mas nada de espantar. Lá fora, nos países super desenvolvidos, Inglaterra, Estados Unidos, etc., também os havia e não poucos, nos séculos passados, particularmente na periferia das grandes cidades e mesmo nestas, assim como nas cidades e vilas da província e, claro, nos bairros degradados das Capitais destes países.

Desculpe introduzir um tema diferente, aliás abordado anteriormente, ao qual estou para voltar há que tempos e nunca mais o fazia. É superior a mim. Aqui vai:)

Como toda a gente lê este excelente e didáctico espaço, vamos lá ver se através destas notas as seguintes criaturas tomam consciência do que representam para o público que as vê e ouve e lhes paga o ordenado (é bom que se lembrem deste facto!) e aos quais devem o máximo respeito pela função que desempenham.

A Conceição Queiróz insiste em apareceer nos telejornais com a carapinha rústica que a caracteriza e que não larga nem por nada. Eu só vejo os telejornais sobretudo na TVI, mas também dou uma olhadela nos outros canais. Torna-se-me insuportável ver aquela rapariga porque o seu aspecto, além de extremamente deselegante para o cargo televisivo que ocupa, não há meio de se capacitar da imagem feia que projecta, muita feia mesmo. Como já havia escrito, ela pensa estar a actuar numa novela ou coisa que o valha e julga estar linda... Se julga isso e é o que parece, está erradíssima. Cada vez que ela aparece à minha frente... mudo de canal. Ah, já me esquecia, a sua fonética continua péssima. Um só ex.: em vez de EUROS ela persiste em dizer ÉROS!!! Parece ser amiga do director do canal e que quer colocá-la no lugar da Judite Sousa a ler os telejornais!! Que horror! A Judite já está há tempo demasiado nos telejornais, além de que continua a pentear-se e a vestir-se terrìvelmente mal..., mas apesar disso sempre é um bocadinho melhor que a outra.

Há uma rapariga que aparece num anúncio sobre uma Trivago a cada 5 minutos, às vezes a cada minuto, em TODOS os canais e mesmo no intervalo dos telejornais!!, ela fala numa qualquer vantagem a quem contactar essa agência. É um suplício ter que ouvir esta rapariga, que não tem culpa nenhuma, a anunciar a mesma treta a todo o instante. Já não se aguenta! O anterior anúncio desta Trivago era bem mais conseguido e até tinha graça, com a excepção do chinês que não tinha nenhuma piada nem fazia lá falta alguma. Se não for muita maçada, peço aos senhores da Trivago que retirem depressinha o irritante anúncio do ar e de caminho levem a pobre rapariga e reponham o anúncio anterior e verão que muito mais atenção os telespectadores lhe prestarão.

A Dina Aguiar continua com dificuldade em respirar ao ler as notícias regionais. Há uns tempos colocaram-na nesta função mais para o fim da tarde (para passar despercebida?), agora cada vez aparece mais cedo e até a meio da manhã e da tarde... Já aqui o afirmei, esta antiga locutora, que foi para a RTP com uma cunha do Joaquim Letria... (ela própria o revelou), sempre teve má dicção - houve telespectadores que há muitos anos se queixaram do mesmo defeito, eu li isso algures - ela engole o final das frases e mesmo certas palavras mal se ouvem. Vê-se que ela faz um esforço para disfarçar o problema quie tem nas cordas vocais e anda a fazê-lo há dezenas de anos..., contudo nunca conseguiu. As suas frases são quase sussurradas!, o que convenhamos não é normal nem se admite numa apresentadora de notícias televisivas. Mas o pior é que ela já passou o prazo de validade há muito tempo, como soe dizer-se. Está demasiado velha e gorda para aparecer aler as notícias e na televisão a imagem é tudo, como todas elas e eles sabem ou deviam saber. Caramba!, será que o director de informação não repara na sua falta de ar ao articular as frases? Caro que sim, mas como entrou na RTP por cunha do situacionista J.Letria, está tudo dito. Ela que me desculpe mas já não se aguenta. Não necessitam despedí-la mas por favor (tal como a Queiróz) tansfiram-na para outro seviço, pois devem ter lá muitas vagas a preencher para gente com cunhas... como aconteceu à Dina e de certezinha a muitas e muitos mais.
Maria
De Bic Laranja a 30 de Dezembro de 2016
Era natural andarem descalços, sim. Mas aculturados como estamos nem no entendemos bem nessa perspectiva. Fazemos maior caso e, não era caso para tanto.
Cumpts.
De [s.n.] a 31 de Dezembro de 2016
No meu tempo, na ESCOLA PRIMÁRIA, havia alunos assim.
E, apesar disso e do que não se via, eram BONS alunos.
E QUERIAM continuar a estudar, mas...

Hoje,muitos que não souberam ou não quiseram aproveitar as oportunidades que tiveram,fazem questão de dizer ter estudado na "universidade da vida".
Pena não terem vivido nesse tempo para saber como era...
Manel
De [s.n.] a 31 de Dezembro de 2016
Dona Maria,

Irra! A senhora não deixa passar nada...
Mas, ainda assim, deixou de fora outros cromos da nossa
TV... Para a próxima espero que o faça...
Bom Ano.

Comentar

Junho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____