Segunda-feira, 28 de Setembro de 2015

De Espanha nem bom vento nem bom casamento

Martí Bas, Front de Victoria i de Libertad (1936)  A alternadeira semanal do Nicolaço — a emissora nacional agora alterna o Nicolaço com uma outra nas Contas do Dia — anunciou esta manhã pràticamente a independência da Catalunha; nem sei, do tom, se a não proclamou mesmo, à revelia de castelões e catalães: — Já nada vai ser como antes! — quereis recado mais peremptório?!... — Nem importa lembrar a revolta da Catalunha de 1640 que levou a que tudo tornasse exactìssimamente a ser como antes (que pena!...) com o fim da monarquia dual, a restauração de Portugal e a subjugação da Catalunha, pois claro. Mas exemplos da História importam só ser contados com o devido jeito. Já lá vamos...
 Ao depois, então, a alernadeira do Nicolaço distribuiu avisos sérios a Madrid e a Bruxelas, que devem cuidar dos sonhos dos povos. — É preciso não deprezar o povo e os sonhos dos cidadãos — e lembrou que há modelos federalistas que podem satisfazer os sonhos das populações...
 Ora bem! Cá está! Já me havia cheirado o velho propósito iberista por via duma federação de nações da Espanha que para aí se aloja nalgumas irmandades. Para isso há-de-se escavacar primeiro o reino de Espanha e derrubar-lhe a monarquia, desbravando assim caminho a uma república federal. O corolário será encavar Portugal na tal federação das espanhas resultante.
 Delírio?
 Algum irmão que assome por aí à soleira da loja e mo desminta enquanto limpa as mãos ao avental.
 Ou algum iniciado arrependido que no-lo confirme.
 O caso com que esta alternadeira do Nicolaço, com seus modelos federalistas de algibeira, bons recados a Madrid sobre os sonhos de autonomia dos povos espanhóis e... sinecura na Lusófona... é que tem currículo muito ajustado a doutrinadora de povos, nomeadamente do português: — A falta de inteligência em gerir os sonhos dos povos pode ser dramática — pelo que, inteligentemente, o Ultramar havia de ter sido descolonizado de mão beijada ao primeiro sopro dos ventos da (pré-)história. — Só não esclareceu, do exemplo dado, se era com abandono e generosa dádiva da gente portuguesa que lá houvesse ou se era em debandada como, em fim, a descolonização exemplar...
 E o caso de ontem com a Catalunha é que, ao contrário do que troa em toda a imprensa portuguesa — e esta jornalista alternadeira disse-o, mas só entredentes (que gozona!) —, os separatistas não tiveram metade sequer dos votos expressos (v. resumo da coisa). Convenço-me da nossa imprensa e da sua agenda doutrinária que os sonhos de autonomia dos povos se hão-de contar também em votos... sonhados.
 Do que se não parece já sonhar em Portugal, porém, é que convulsões em Espanha nunca nos trouxeram cá bom vento. Sei de ser o jornalismo de alternadadeira avesso à História, mas nem precisaria estudá-la; bastava-lhe tão só a noção dela pelo ditado. Pois nem isso.

(Front de victoria i de llibertat!, Marti Bas, 1937, in Loja cartazes de História Social[ista].)

Escrito com Bic Laranja às 21:41
Verbete | comentar
10 comentários:
De muja a 28 de Setembro de 2015
Pois. E se fosse assim, de caminho, ainda os castelões nos poderiam desde logo de levar um pedaço de mar como justa compensação ora! - que a gente até tem muito, enquanto terra tem já pouca e, assim como assim, à cautela era preferível, que os peixes não desencantam condestáveis... (não que se veja grande sinal de surgir por aí algum, mas nunca fiando)
De Bic Laranja a 29 de Setembro de 2015
Sem navios consegue senhorear-se algum mar?
Isto cá não passa duma naviarra de tolos.
Cumpts.
De Bic Laranja a 29 de Setembro de 2015
P.S.: mandei-lhe já dois recados depois da sua resposta do Lince; não nos recebeu?
De gato a 29 de Setembro de 2015
Não acredito que este reizinho filipe e seus conselheiros, cheguem aos tacões do seus antecessores em 1640.
Eles viram logo que Portugal de nada valia, comparado com Catalunya. Veja-se como, agora, eles compraram toda a av da liberdade e logo a venderam.
A revolta da Catalunya, apoiada pelos franceses, foi esmagada.
A nossa, apoiada pelos ingleses, não os fez esforçar, excepto com uma guerra de desgaste económico, durante 40 anos (e levaram porrada), e influências papais para não reconhecer os bragança. O que até fez jeito porque o pilim, em vez de ir para a santa sé, ia para o esforço de guerra.
De Bic Laranja a 30 de Setembro de 2015
Pode parecer...
O menosprezo dos portugueses não abona os penúltimos Habsburgos. Olivares tentava-o e não foi capaz. E como eles, o novo Filipe de Bourbon perderá se se acanhar e não ganhar força.
Havemos de ver.
Cumpts.
De gato a 29 de Setembro de 2015
O lacinho, é a assinatura de um fraco que arma em forte ao usar um adereço made in USA.
Nos meus tempos, Fernando Archer Moreira Paraíso de Pádua (sobrinho de uma Professora Paraíso que era importante no Estado Novo), veio dos EUA com um lacinho — pago pelo Instituto para a Alta Cultura.
O que não o inibiu, no seu acto de doutoramento, de não dizer uma palavra de gratidão ao Professor Eduardo Coelho que lhe tinha proporcionado a aprendizagem nos EUA e caucionar o doutouramento. Antes, optou por dar loas aos outros profs de medicina que não lhe tinham dao um chavo.
Os cobardes são assim.
De Bic Laranja a 30 de Setembro de 2015
Calhando veio dos E.U.A. com avental a compor o lacinho (cheira-me que o mesmo sucedeu ao Delgado). Daí a obediência aos donos de lá.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 2 de Outubro de 2015
Deixe lá, caro Bic, que com esta cáfila não adianta pôr-lhes debaixo do focinho textos com esta categoria literária e de conteúdo; são complicados, não prestam, nem os pudera tragar, como diriam estas raposas, perdão, toupeiras, dos me(r)dia nacionais.
Valha a verdade que, dentro de dias,subitamente e como que por passe de mágica, deixará de se ouvir falar em tal, como já aconteceu com a Grécia e o Syrisa e raio dos "migrantes", donde, daí não virá grande mal ao mundo.
Cumpts
De Bic Laranja a 2 de Outubro de 2015
É. São salpicos da espuma dos dias.
Cumpts.
De Bic Laranja a 2 de Outubro de 2015
Obrigado!

Comentar

Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
21
23
25
26
27
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____