Domingo, 7 de Fevereiro de 2016

Do homicídio a preceito

« O manifesto defende que o Estado laico deve libertar a lei de normas alicerçadas em fundamentos confessionais e permitir a possibilidade de, a pedido do próprio, antecipar ou abreviar a morte de doentes em grande sofrimento e sem esperança de cura

 A vida é feita de cuidados mil, sem cura, pois descamba sem remédio na morte. Antecipe-se por conseguinte a solução final dessa gente que, morrendo de pena, no-lo descobre. Segue-se a lista primária de doentes em grande sofrimento e sem esperança de cura.

 Adelino Gomes, Aldina Duarte, Alexandre Quintanilha, Álvaro Beleza, Ana Drago, Ana Gomes, Ana Luísa Amaral, Ana Matos Pires, Ana Zanatti, Anabela Mota Ribeiro, André Freire, António Canastreiro Franco, António Pedro Vasconcelos, António Pinho Vargas, António Sampaio da Nóvoa, Boaventura Sousa Santos, Capicua, Carlos Alberto Moniz, Catarina Portas, Clara Ferreira Alves, Cláudio Torres, Constantino Sakellarides, Cristina Sampaio, Daniel Oliveira, Diana Andringa, Dulce Salzedas, Elisa Ferreira, Fausto, Fernanda Lapa, Fernando Alves, Fernando Rosas, Fernando Tordo, Francisco Crespo, Francisco George, Francisco Louçã, Francisco Mangas, Francisco Teixeira da Mota, Helder Costa, Helena Roseta, Heloísa Apolónia, Henrique Sousa, Isabel Medina, Isabel Moreira, Isabel Ruivo, Jaime Teixeira Mendes, Joana Lopes, João Goulão, João Lourenço, João Ribeiro Santos, João Semedo, Jorge Espírito Santo, Jorge Leite, Jorge Palma, Jorge Sequeiros, Jorge Torgal, Jose A. Carvalho Teixeira, José Gameiro, José Jorge Letria, José Júdice, José Manuel Boavida, José Manuel Mendes, José Manuel Pureza, José Pacheco Pereira, José Vítor Malheiros, Júlio Machado Vaz, Laura Ferreira dos Santos, Lucília Galha, Luís Cília, Luís Filipe Costa, Luís Moita, Machado Caetano, Mamede Carvalho, Manuel Loff, Manuel Luís Goucha, Manuel Pizarro, Maria Antónia Almeida Santos, Maria Filomena Mónica, Maria Irene Ramalho, Maria Teresa Horta, Mariana Mortágua, Mário Crespo, Mário Nogueira, Marisa Matias, Miguel Esteves Cardoso, Miguel Guedes, Nuno Artur Silva, Nuno Saraiva, Octávio Cunha, Olga Roriz, Paula Teixeira da Cruz, Paulo Magalhães, Pedro Abrunhosa, Pedro Campos, Pedro Ponce, Pilar del Rio Saramago, Raquel Freire, Raquel Varela, Ricardo Sá Fernandes, Richard Zimler, Rogério Alves, Rosalvo de Almeida, Rosário Gama, Rui Rio, Rui Tavares, Rui Zink, Sérgio Godinho, Sobrinho Simões, Tatiana Marques,Teresa Pizarro Beleza, Tó Zé Brito, Vasco Lourenço, Viriato Soromenho Marques.

 Considerai quantos deles são directa ou indirectamente amesendados do Estado laico e da poupança que trarão ao orçamento, para já não falar do ambiente.

Director-Geral de Saúde em prova de alheiras (A. Miranda, in «Público»


(Citações da Esquerda.net; Director-Geral de Saúde, por A. Miranda in Público.)

Escrito com Bic Laranja às 11:52
Verbete | comentar
20 comentários:
De zazie a 7 de Fevereiro de 2016
Há coisas que me ultrapassam. Não entendo que raio de apelo sentimental pode ter matar pessoas.

Mas, vendo quem adere e até por conhecidos, há um denominador comum- o materialismo no lugar do divino.

Em nome dessa fezada nem pensam duas vezes e vá de transformar os médicos em carrascos.
De Bic Laranja a 7 de Fevereiro de 2016
Gente auto e mùtuamente divinizada. Tomam-se por deuses, faróis de gente de que se apregoam iguais.
Uns democratas.
Médicos a matar é o corolário da esquizofrenia em que a Civilização deveio.
Cumpts.
De Simão a 7 de Fevereiro de 2016
http://henricartoon.pt/tag/sociedade

:-)

Há aí nomes (bem conhecido) do PPD/PSD!

:-)
De Bic Laranja a 7 de Fevereiro de 2016
Só vejo homicidas latentes.
Cumpts.
De Bic Laranja a 8 de Fevereiro de 2016
Esse Enrique cartom tem certo espírito, reconheço, mas deixa a desejar em mestria caricatural (pouco mais que medíocre). Mediocridade consonante com a pressa que teve em mutilar o Português nos seus desenhos sofríveis.
Um acordita de fraco mérito.
Cumpts.
De ainda a 8 de Fevereiro de 2016
É absurdo falar em “direito à morte” (como seria absurdo falar em “direito à doença”), porque o direito tem sempre por objecto um bem na perspectiva da realização humana pessoal.
A morte não é nunca, em si mesma um bem, pois todos os bens terrenos pressupõem a vida e nunca a morte.
O “direito à morte” seria ainda mais contraditório do que uma escravidão legitimada pelo consentimento da vítima. A liberdade não pode servir para se anular a si própria. Até Stuart Mill rejeitava a renúncia à liberdade em nome da liberdade: «o princípio de liberdade não pode exigir que se seja livre de deixar de o ser».
A Constituição portuguesa, mais do que consagrar o direito à vida, consagra a inviolabilidade da vida humana como um princípio e um valor objectivos (artigo 24º, nº 1: A vida humana é inviolável).

Depois, o cão-de-água a enfardar alheiras; certificadas?
De Bic Laranja a 8 de Fevereiro de 2016
Direito à morte de morrer ou direito à morte de matar?
É que de morrer não há como prescindir dele, e é antes fatalidade e não direito nenhum, porque basta estar vivo. Agora matar...
Cumpts.
De Bic Laranja a 8 de Fevereiro de 2016
Assim o piruças as prove, estão certificadas as alheiras.
Cumpts.
De zazie a 8 de Fevereiro de 2016
Estas coisas incomodam-me pela cobardia que implicam. Nunca é uma ajuda olhos nos olhos, é um descartar de responsabilidades para cima de comissões de bata branca.

Mas, como já percebi que avança por toda a parte e até já há eutanásia para crianças e jovens deprimidos, acho que é estar atento ao lobby médico.

E dou uma dica de um grupo que também me incomoda: A associação de Alzheimer- a principal que foi criada por médicos e que serve para impingirem remédios caríssimos que não servem para nada.

Eles já andam por lá a militar e a entregar a doentes o Testamento Vital.

Eu tomo conta de uma familiar que já vai nos 96 anos e que tem alzheimer. E posso garantir que tem gosto pela vida e está fina, desde que deixou de tomar qualquer remédio. Esses dramas em nome da "qualidade de vida" são treta e, se formos por aí, estou como o caro Bic Laranja, estes também já não têm cura.
De Bic Laranja a 8 de Fevereiro de 2016
Isto é a estupidez militante em acção pegada a uma valente chico-espertice. O trabalhinho sujo fica para os outros. Médicos, imagine-se!...
Cumpts.
De [s.n.] a 9 de Fevereiro de 2016
Vamos ter calma, então?
Nosso Senhor não vai permitir,Valdemar uma coisa desta.
Valdemar Queiroz
De Bic Laranja a 9 de Fevereiro de 2016
A Cristandade está moribunda. Seja o que Deus quiser.
Cumpts.
De PiErre a 9 de Fevereiro de 2016
Então, e o juramento de Hipócrates? É banido?
De Bic Laranja a 9 de Fevereiro de 2016
É contrário ao «direito à morte»... induzida.
Cumpts.
De zazie a 9 de Fevereiro de 2016
Já tinha sido com a obrigatoriedade dos médicos praticarem aborto.

São os "direitos de saída". Estão muito preocupados com as saídas solidárias.
De Bic Laranja a 9 de Fevereiro de 2016
Pois. Antecipa heranças é dá menos trabalho. Como não ter meninos. Salvos os cua-dotados.

Cumpts.
De Dimitri a 10 de Fevereiro de 2016
"A Constituição portuguesa, mais do que consagrar o direito à vida, consagra a inviolabilidade da vida humana como um princípio e um valor objectivos (artigo 24º, nº 1: A vida humana é inviolável)."

Treta, se a vida humana fosse inviolável, não havia pena de morte em Portugal como há com o aborto por pedido, utilizado como meio contraceptivo!

Cúerências de Esquerda.
De Bic Laranja a 10 de Fevereiro de 2016
Sim. Na prática é isso. Mais ou menos como irrevogável.
Cumpts.
De [s.n.] a 11 de Fevereiro de 2016
O que este projecto-lei (ou o que raio lhe chamam) que a esquerda bem pensante quer levar por diante (mas, atenção, nada de consultar o povo português através de um referendo..., isso é que não, é muito perigoso, claro que é, os promotores desta monstruosidade já sabiam qual a resposta que obteriam do dito povo, a esquerdalhada fala muito do povo e o povo é quem mais ordena, pois, pois..., mas só para o que lhe convém) devia ter como mote era "recusa absoluta a uma morte indigna", que é o que uma esquerda diminuta e sem expressão eleitoral quer impôr a todos os portugueses e não 'o direito a uma morte digna', porque de digna não tem nada, antes pelo contrário. Trata-se sim de uma indignidade do mais abjecto e cruel só passível de ter sido engendrada por mentes doentes ou, para ser mais precisa, por espíritos malígnos que à vida humana ligam peva e se for adiante estaremos perante um autêntico crime público de dimensões catastróficas.

Que os portugueses se unam (caramba!, nós somos uns bons milhões e contràriamente a esta reles politicagem que nos atormenta o coração e a alma, ainda vamos estando, por enquanto..., sãos de espírito) e organizem uma manifestação (melhor, todas as que forem necessárias) para calar de vez estes seres demoníacos, que foram coveiros da Pátria e agora querem ser coveiros dos portugueses sem sequer os consultarem. E é bom que a esquerda unida não esqueça, somos dez milhões nesta parcela de Portugal, mas existem mais cinco ou seis milhões lá por fora. E que Deus me perdoe, mas aos que pugnam para que este projecto vergonhoso seja levado à Ass. da Rep. para ser aprovado por maioria (pois é, como a esquerda tem lá a maioria dos deputados, obtida aliás através de falcatruas eleitorais e acordos obscuros e muito suspeitos com os parceiros da mesma igualha, é disso que se valem) é a quem deveria ser imposto o direito a uma morte, qualquer que fosse a idade de cada um e o método a aplicar, conquanto fosse eficaz, de modo a que todos estes malvados desaparecessem do mapa para sempre. Para os portugueses poderem finalmente viver em paz nesta Terra.
Maria
De Bic Laranja a 14 de Fevereiro de 2016
É gente demente. Incuravel e furiosa. Está em todo lado, tomou conta de tudo. Já nada disto leva emenda, temo bem.
Cumpts.

Comentar

Setembro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
17
19
21
23
26
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____