9 comentários:
De Figueiredo a 26 de Maio de 2024
Perceber, perceberam, só que não lhes interessa, o ilegítimo, criminoso, corrupto, e antidemocrático regime liberal/maçónico imposto pelo golpe de Estado da OTAN em 25 de Abril de 1974, está a perder o domínio da narrativa e esse artigo publicado na revista é a prova disso mesmo, do desespero em que se encontram.

No entanto até é bom, porque faz com que os Portugueses comecem por si próprios a ler aquilo que o Presidente do Conselho, Marcello Caetano, escreveu.
De Bic Laranja a 26 de Maio de 2024
Não sei que diga. Passam o tempo a denegrir o Estado Novo. Se é má fé, crendice religiosa, simples burrice ou tudo misturado, certo é que podiam tentar ser menos broncos. Mas que fazer, não são capazes de mais.
Cumpts.
De [s.n.] a 27 de Maio de 2024
Figueiredo, e você a dar-lhe.
A Constituição de 1976 não tinha de ir a votos por ter sido feita por os eleitos em eleições gerais. A de 1933 teve aprovação em plebiscito por ter sido feita por quem não tinha sido eleito para o efeito.
Esse ponto de vista do golpe de estado em 25 de Abril de 1974 feito pela pelo regime liberal/maçónico e a OTAN é um ponte de viste daqueles que levaram um grande "baile" por não ter havido tumultos e mortos nas ruas.
Cumpts.
De Figueiredo a 27 de Maio de 2024
Você não está a perceber, e fá-lo por ignorância ou então é mal intencionado(a), a Constituição de 1976 é ilegítima, não foi votada pelos Portugueses, surge como imposição após o golpe de Estado da OTAN em 25 de Abril de 1974, ao contrário da Constituição de 1933 que nasce após a Revolução Nacional do 28 de Maio de 1926 e foi devidamente sufragada pelos Portugueses.

O que o(a) deixa em pânico é a verdade, o facto da Constituição de 1933 e o Estado Novo terem sido legitimados pelos Portugueses através do voto, na sequência de uma Revolução sem sangue a 28 de Maio de 1926.

Se não houve «...tumultos e mortos nas ruas...» como refere, agradeça a Marcello Caetano e aos Militares, o primeiro por não ter dado ordem para bombardear os militares traidores à Pátria e vassalos da OTAN que executavam o golpe de Estado, e aos segundos por terem respeitado a cadeia de comando e não agiram por iniciativa própria.

O seu problema – para além da verdade – é conviver mal com a democracia e tem uma ideia deturpada da mesma, é na sua óptica um sistema de iluminados, os «...eleitos...» como refere, que decidem redigir uma constituição e nem sequer a submetem ao voto do Povo para que seja sufragada e com isso legitimada; até na República Bolivariana da Venezuela (RBV) a Constituição desse País foi votada pelos Venezuelanos.
De [s.n.] a 27 de Maio de 2024
Figueiredo, a Constituição de 1976 foi feita por quem o povo elegeu nas eleições realizadas para o efeito em 25 de Abril de 1975, as Eleições para a Constituinte.
Esqueça essa da OTAN, assim como a ordem e bombardeamento se não havia ninguém para cumprir a ordem.
Cumpts.
De Figueiredo a 27 de Maio de 2024
Uma constituição após ser redigida tem de ser submetida ao sufrágio dos cidadãos, os Portugueses elegeram um grupo de indivíduos a quem delegaram funções para redigir uma constituição, o que é diferente.

Em democracia vota-se, leva-se ao escrutínio popular, que depois irá legitimar ou não o que é proposto.

Você não tem argumentos, é mentiroso(a), faz revisionismo histórico, em desespero para fazer valer a sua narrativa que não corresponde à realidade, lembre-se que a Constituição de 1976 nasce de um golpe de Estado levado a cabo pela OTAN em 25 de Abril de 1974, nem sequer foi votada, é ilegítima, ao contrário da Constituição de 1933 e o Estado Novo que foi devidamente sufragada pelos Portugueses e legitimado, ambos fruto da Revolução Nacional de 28 de Maio de 1926 e do voto.
De [s.n.] a 27 de Maio de 2024
Figueiredo, seja você o verdadeiro que quiser ser.
O 28 de Maio de 1926 foi uma revolução e o 25 de Abril de 1974 foi um golpe de estado da OTAN que nada teve de revolucionário.
E prontus, como diria o outro, vá chamar mentiroso ao D. Pedro e não respeite seja o que for incluindo recebimentos de valores monetários por ser tudo ilegal.
Cumpts.

De Figueiredo a 27 de Maio de 2024
Está a ver como você não tem argumentos.
De [s.n.] a 27 de Maio de 2024
O único argumento que posso ter é que tudo o que é feito em Portugal é ilegal.
E estamos todos lixados por causa dos acordos assinados com o estrangeiro.
A não ser que alguém diga 'não seja ridículo'.

Comentar