25 comentários:
De Orlando Braga a 16 de Janeiro de 2015
“Brademburgo” brada aos céus!
De Bic Laranja a 17 de Janeiro de 2015
Não lêem nada.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015
Pois se não sabem escrever - ele agora há uma máquina que faz esse (lindo) serviço pelo seu (deles) cérebro - com o quer o caro Bic que saibam ler???? E logo com acento circunflexo, para piorar ainda mais as coisas...Cumpts
De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015
Caro Orlando, não sei mesmo por que razão: então antes de «p» ou «b» não se coloca um «m»?Cumpts
De Orlando Braga a 18 de Janeiro de 2015
Ora bem: vamos ver:

Em alemão, escreve-se “Brandenburg”, que é o nome lá do sítio.

Note-se que, no alemão, não se aplica o “m” antes do “b” e/ou do “p”.

Também em alemão escreve-se “Brandenburger Tor”, que não é “porta” nem “portas”, mas antes significa “portão”. Portanto, traduzido à letra seria “Portão de Brandenburgo”.

Porém, eu estou de acordo com Winston Churchill: “Tenho do direito de escrever os nomes estrangeiros da maneira que eu quiser”.

Por isso, se no prontuário está “Brandeburgo”, é porque está bem escrito.
De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015
Caríssimo Orlando: era apenas um chiste; é que estas alimárias raciocinam «à regra e ao esquadro»! Mas agradeço a sua benevolência; o humor às vezes tem destas coisas :)
Cumpts
De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015
E claro que Brandeburgo é que está bem escrito; isso é pacífico, pelo menos para que sabe algum a coisa.
Cumpts.
De ghtf a 17 de Janeiro de 2015
Cá por casa sempre ouvir dizer "Portas de Bradenburgo - nunca porta, ou portão.
De Bic Laranja a 17 de Janeiro de 2015
É Brandeburgo.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015
Mas é «portas» no plural, ou estarei enganado?
Cumpts
De Bic Laranja a 18 de Janeiro de 2015
Em português, portas, naturalmente.
Cumpts.
De ghtf a 24 de Janeiro de 2015
Sempre ouvi dizer com o som en Portas de Bradenburgo - por quem falava alemão - que dantes mesmo quem ia para ciências aprendia.
De Bic Laranja a 24 de Janeiro de 2015
Bem vejo.
Quem falava alemão, falava alemão. Em português dizemos Brandeburgo.
Cumpts. :)
De Joe Bernard a 17 de Janeiro de 2015
Já nada me admira na iliteracia e ignorância dos "doutores" da comunicação social.
De Bic Laranja a 17 de Janeiro de 2015
Pois são licenciados? Têm licença para começar a aprender.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015
Sabe que tenho saudades do tempo em que se gozava com o cauteleiro, culturalmente ao nível destes patetas das luminárias, quando este, já alegrete, dizia:
- O fado é qu'induca e o vinho é qu'instrói!
Todavia convém não esquecer que estamos a falar da «geração mais bem preparada de sempre», catancho!
Cumpts
De gato a 18 de Janeiro de 2015
Há 50 anos eu ouvia: O fado é qu'induca e o vinho é qu'instruca.

Abraços
De Bic Laranja a 18 de Janeiro de 2015
Velhos tempos em que se dizia «quem não trabuca não manduca». Vamos lá agora com o rendimento mínimo do Guterres...
Cumpts.
De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015
Mudança gramaticalmente menor: quem não trabuca é que manduca!
Cumpts
De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015
Melhor ainda!
Cumpts
De Bic Laranja a 18 de Janeiro de 2015
A geração mais preparada de sempre, que evoluiu do vinho para a litrosa...
Cumpts.
De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015
Ora aí tem!
Cumpts
De Real a 17 de Janeiro de 2015
Os senhores «Relvado e 44» também são licenciados, logo nada me espanta...
De Bic Laranja a 18 de Janeiro de 2015
Bom argumento.
Cumpts.
De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015
Neste caso, se calhar, ele é mais licenciosos!
Cumpts

Comentar