4 comentários:
De Figueiredo a 13 de Maio de 2023
Ao ponto a que chegamos; na Cidade do Porto de 2014 até à presente data urina, fezes, e dejectos vários de Seres-Humanos e animais, têm sido uma constante pelas ruas da Invicta.

Existem investidas no sentido de acabar com os Balneários e Sanitários Públicos, a primeira abordagem é colocar esses espaços fundamentais para a higiene da Cidade e para o alívio dos Citadinos e visitantes, a pagar, ou seja, paga-se para verter umas águas e arrear o calhau em estruturas que já são financiadas pelo Dinheiro Público, depois vem a degradação dos espaços devido a falta de manutenção, e por fim, o encerramento.

No Largo de Mompilher, Cidade do Porto, onde existe um belíssimo quiosque que foi usurpado à sua função - agora serve bebidas, em estilo parolo, e com muito mau ambiente - tem mesmo ao seu lado uns Sanitários Públicos que se encontram agora ocupados para servir de armazém e copa para lavagens das louças da respectiva empresa que utiliza o Quiosque Japonês para vender bebidas.
De Bic Laranja a 15 de Maio de 2023
Há mais de 100 anos havia um problema de canalização; estava por fazer. Os uronóis tinham a serventia possível, mas a civilização estava em marcha…
Hoje, 100 anos ao depois, há canalização de sobra; do autoclismo à garganta, passando pelo esgôto, o que ela tem é ar a mais. Daí o cheiro!…
Cumpts.
De Percival a 15 de Maio de 2023
Isto sim é caso para se cantar: "Cheira bem, cheira a Lisboa".

"Alegro"? Há umas décadas, os "alegres" eram os gays.
E não é que o urinol é rosa por fora? Será gay ou do PS?
De Bic Laranja a 16 de Maio de 2023
Lisboa é poesia com cheiro.
Os fanchonos subverteram o adjectivo inglês gay, apropriaram-se do arco-íris e em menos de nada chegaram aos meninos.
Toda a gente vê e ninguém faz nada!
Rosa e verde são cores de vergonha.
Cumpts.

Comentar