Domingo, 27 de Novembro de 2016

Fôsse isto um país

 Demitiu-se o empregado da Caixa Geral dos Depósitos com a função de administrador da sua particular declaração de rendimento. Perdeu o govêrno a oportunidade de o pôr na rua.
 Fôsse êle um govêrno.

História de Portugal (contracapa), Agência Portuguesa de Revistas

História de Portugal (contracapa), Agência Portuguesa de Revistas. Ilustr. de Carlos Alberto.
In blogo de B.D.

Escrito com Bic Laranja às 20:29
Verbete | comentar
7 comentários:
De Joe Bernard a 28 de Novembro de 2016
Será que esta palhaçada aconteceu porque estamos perto do natal???
De Bic Laranja a 28 de Novembro de 2016
Aconteceu porque estamos sem rei nem roque.
Uns tratantes de alto coturno predispostos a remunerações obscenas e pretendendo sigilo da riqueza pessoal escudados em lei cozinhada à sua medida?! E demitem-se, ofendidos com uma lei que lhe finalmente cerceia o abuso de não quererem ser escrutinados antes e depois do tacho.
Como chega um Estado propagandeado de Direito a contemporizar uma miséria moral destas não me pergunte. O que sempre digo é que só se vê disto num país a saque por gente reles e sem escrúpulos. Como não foram logo despedidos por quem os contratou define tudo.
Cumpts.
De [s.n.] a 30 de Novembro de 2016
E o reles carácter de quem os contratou define o baixíssimo calibre dos contratados...
:)Maria
De [s.n.] a 1 de Dezembro de 2016
Ao contrário do que o texto indicia, penso que, finalmente um governo encontrou um 'gestor' que gere a sua fortuna e não se vende ao engodo de salário obsceno, não esconde a sua fortuna antes considera a 'honra' da palavra dada mais importante que 'salários'
Apesar da 'gestão', enquanto ciência, não colocar qualquer Moral nos seus vértices,e a 'visão do sistema económico liberal' aniquilar qualquer possibilidade de associação entre remuneração e contexto social ou local do exercício da função. - Esse é antes o primado dos sistemas Marxistas/Comunistas - a palhaçada transformou-se em "assunto" mesmo entre as elites do pensamento liberal totalitário
A Moral morreu, ficou moribunda em pleno séc. XVIII e extinta no séc. XIX. E 'Obscenidade' é, hoje, uma simples figura de estilo. Ao contrário da opinião por vós expressa, julgo que temos aqui um raro exemplo de Homem de Bem, não porque esconda o seu património, pois que isso é cousa fácil de fazer nestes Reinos, mas porque considera a 'palavra' um valor superior a uma remuneração choruda.
São muitos os de remunerações chorudas, muitos os de funções obscenas,maior o número dos que pagam para esconder tostões e não raros os pagam para fazer desaparecer milhões... Contam-se os que compreendem o significado e o VALOR MORAL da PALAVRA
Tal não surpreende: a moral morreu e com ela o 'Homem'.
De Bic Laranja a 1 de Dezembro de 2016
Que gere a sua fortuna nao duvido. Ninguém duvida. Quanto à palavra, à honra e à moral está muito bem. Sòmente sucede que um homem honrado nunca se sujeitaria a aleivosias destas de tratantes sem palavra. Nem se daria com gente assim, decerto, mais a mais possuindo meios de fortuna que lhe dão independência.
Portanto, ou é um entre iguais ou tem rabos de palha, que, é bom dever, dá no mesmo.
Cumpts.
De [s.n.] a 1 de Dezembro de 2016
Pois, como é bom de ver, excelente gestor o homem é! Duvido que se dê com "esta gente", tanto assim é que não deu. Poderá, simplesmente, não tendo rabo de palha, como os demais, não ter o 'bom gosto' de ver os seus bens publicados em Jornal da República, o que não indicia que os não tenha declarados no lugar próprio.
Quando miúdo dir-lhe-ia BOA MALHA, mas muito ao lado.
Se os 'rabos de palha' ardessem estaríamos haveríamos de ter bombeiros que apagassem o Fogo, literalmente
De Bic Laranja a 2 de Dezembro de 2016
Ao lado é o bom gosto ante a lei. Como sabe não dispõe ela em função dele. Ou da sua falta. É outra malha.
Ficamos conversados.

Comentar

Novembro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
15
16
21
26
28
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____