Terça-feira, 27 de Outubro de 2015

Ideias fixas boiando na espuma dos dias

  A evangelista oficiosa sobre desmandos da P.I.D.E., Irene Pimentel, tem croniqueta à semana na emissora nacional («O fio da meada», Antena 1). Hoje, para não variar, foi sobre o tema que lhe mais ofusca mente: a P.I.D.E.
 Lembrou ela o lamentável esquecimento geral dos 70 anos redondos da sua criação; referiu a antecessora P.V.D.E. sem deixar de dizer que Defesa do Estado era eufemismo para se poderem prender opositores ao regime (e opositores ao regime, digo eu, é eufemismo para comunistas). Mas não se atrasou aos tempos da I.ª República na sua história de polícias políticas, como não se esqueceu de recordar a jusante a D.G.S.; tudo muito contidinho ao Estado Novo...
  Contou, pois, uma história da P.I.D.E. em prosa estudada e bela entoação, povoando-a emocionada de nazis, fascistas, tortura, prisão preventiva (?!...), informadores (morigerou bufos, quiçá, por módico de compostura), intercepção postal, escutas (?!!...), espancamentos, mais torturas com exemplos explicativos e, no caso do Ultramar, serviço de informações (vá lá!...) nas colónias em guerra contra os movimentos de libertação africana. — Dou de barato a insinuação pouco velada de parecer terem sido as colónias à guerra aos movimentos de libertação e não o contrário; registo sòmente movimentos de libertação...
  Do Ultramar estende à Espanha o odioso de últimos (últimos?!) regimes ditatoriais. Portugal metropolitano, ilhas adjacentes e Ultramar ficava-lhe curtinho nas mangas; já o império soviético, Cuba, China &c. &c. faça-lhes bainha à altura do cós porque o rabo, necessàriamente, vem à mostra. — E chega ao clímax da extinção da polícia política no próprio 25 de Abril. — Tem graça esta precisão no próprio 25 de Abril porquanto outros evangelizadores de nomeada difundem nas mesmas tubas radiofónicas que a P.I.D.E. (i.é, a D.G.S.) prendeu e interrogou pessoas em 25 de Abril de 1974 (Jacinto Godinho et al., R.T.P., 25/IV/2014). Deve ter sido mesmo em cima da hora do fecho...
  O sermão tinha — além do alívio excrementício das coriscantes obsessões que lhe sarnam a mente, evidentemente — o fito da colagem à agitprop radiante (a que estrondeia na rádio e radiotelevisão) do momento: pôs Irene Pimentel, portanto, como corolário espirituoso da catequese pideana, dedicatória assaz dedicada aos â-tivistas (é assim que lhe sai, imaginai porquê...) angolanos presos e ao Luaty em particular. Falha-lhe nesta obsessão revolucionária em que se revolve a coçar-se sem freio, a lógica mais elementar: os activistas a quem dedica a arenga da luta libertadora esperneiam contra a opressão dum dos tais movimentos de libertação a quem o santo dia 25 de Abril deu tão liberalmente Angola...

 

(Desmentidos pela perseguição em defesa do Estado revolucionário no Cais do Olhar.)

Escrito com Bic Laranja às 18:06
Verbete | comentar
9 comentários:
De gato a 28 de Outubro de 2015
A inveja é uma das mais firmes características portuguesa. Senão porque atacavam os proprietários dos melhores restaurantes do concelho de cascais.
Inveja! Tão-só...

Abraço
De Bic Laranja a 28 de Outubro de 2015
Ora, porque eram fâchistas, não está bom de ver?....
Cumpts.
De Joe Bernard a 29 de Outubro de 2015
Nem mais!!!
De [s.n.] a 29 de Outubro de 2015
Ainda bem que fala desta escritora(?). Ela é absolutamente execrável tanto como comentadora nos programas televisivos para os quais é convidada, como também nos assuntos que aborda nos livros que escreve. Só escreve (e fala nas televisões) sobre um único tema e só para dizer mal dele. E qual havia de ser senão de Salazer e da P.I.D.E., pois está claro.

Esta senhora sofre duma qualquer psicose que não a abandona. Mas Salazar fez-lhe porventura algum mal? E ela foi algum dia prisioneira política durante o Regime do Estado Novo? Se acaso o foi (subversão?, conspiração? traição à Pátria?) então é de crer que terá sido por muito boa razão.

O ar extremamente antipático como fala e é sempre sobre o seu tema d'eleição (Salazar e a Polícia Política, para variar...) e sobretudo as expressões faciais detestáveis, não conseguindo disfarçar o ódio que lhes subjaz, por detrás de cada frase expelida sobressai um defeito iniludível que não pode ter mais nenhuma outra explicação senão ser consequência directa da sua origem genética e esta nunca mente nem é passível de ser disfarçada. Além do seu próprio apelido que é incontornável e também indesmentível. Com isto está tudo dito.
Maria
De Bic Laranja a 29 de Outubro de 2015
Tem razão! É o fado duma nota só...
Cumpts.
De Joe Bernard a 29 de Outubro de 2015
A S Q U E R O S A ! ! !
De Bic Laranja a 29 de Outubro de 2015
Com todas as letras.
Cumpts.
De José Lima a 30 de Outubro de 2015
Caro Bic

Gabo-lhe a pachorra que demonstra ao ouvir essa tal de Pimentel e outras criaturas quejandas...
De Bic Laranja a 30 de Outubro de 2015
Pois sabe. Se a liberdade de asnear se lhe não sobrepusesse, ilustrariam como ninguém a razão do exame prévio.
Cumpts.

Comentar

Setembro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
17
19
21
23
26
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____