Terça-feira, 31 de Janeiro de 2017

Informação estragada

« Alguns dos feridos estão em estado muito grave, o que poderia alterar o balanço final de vítimas do ataque deste domingo a um centro islâmico no Canadá. Ao final do dia, quando mais de cinquenta pessoas estavam reunidas para uma última oração numa mesquita no sudeste do Quebeque, dois homens armados entraram no edifício e dispararam sobre os fiéis. Seis pessoas morreram no local. As autoridades detiveram dois suspeitos, um na mesquita e outro a poucos quilómetros. Não foram reveladas as identidades dos atacantes nem por que razão decidiram disparar sobre quem estava no centro. O chefe do governo do Quebeque anunciou a organização esta segunda-feira de marchas de protesto contra a violência e de apoio à comunidade muçulmana que vive na região. A polícia diz que não há outros suspeitos ligados a este ataque que o primeiro-ministro classificou como um atentado terrorista é um acto de cobardia contra inocentes. Justin Trudeau lembrou que o país que lidera não discrimina ninguém por razões religiosas e reforçou a ideia anunciada no sábado em resposta à decisão dos Estados Unidos de fechar as fronteiras a quem viaja de alguns países muçulmanos, que todos os que fogem da guerra, da pobreza e da perseguição serão bem vindos no Canadá.»

 A sociedade industrial de concentrados S.I.C. abriu o seu telejornal jornal P.J. (leia-se pejota) ontem ao almôço com esta notícia chocante. Os sublinhados são meus e realçam a linguagem directa e sem rodeios posta na notícia. O contraste entre atacantes e inocentes declara ao telespectador o lado bom e do lado mau do caso. O dó das vítimas justifica toda a solidariedade com os muçulmanos e o ódio aos que os atacam. A chamada dos Estados Unidos ao caso serve para lhe colar o odioso — habilidadezinhas nada subtis do vulgar jornalismo, para condicionar o juízo ao telespectador. 

 Torno ao caso do padre de Ruão. A notícia da S.I.C., então, não falou em ataque nem atacantes. Foi «sequestro» e os «raptores» eram «dois homens armados com facas». O padre degolado «morreu», passivamente, talvez porque «tinha um golpe na garganta». E Hollande diz que disse que o Daesh foi «o responsável», enquanto o Trudeau classificou sem peias nenhumas o ataque de agora como «atentado terrorista».

  Informar é deformar em função das vitimas.

(Jornalistas e imagens da S.I.C.-Noticias.)

Escrito com Bic Laranja às 22:00
Verbete | comentar
19 comentários:
De André Sousa a 31 de Janeiro de 2017
Há muito que não me ouvem a "comentar"... é um facto (!), hoje e depois de já ter lido alguns "posts" em que se fala da S.I.C., resolvi dar a minha opinião.

Não tenho qualquer tipo de ligação à mesma, acrescento, mas tem sido frequente definir a Sociedade Independente de Comunicação como "sociedade industrial de concentrados"... pergunto... porquê??

Que tal mencionar o nome do(a) jornalista que escreveu a peça em causa??
O objectivo é criticar a forma como o texto foi redigido, certo (?) então mencione que há um jornalista (ou talvez não!) da Sociedade Independente de Comunicação que fez um trabalho diferente do que gosta, ou está habituado... mas por falar em hábito... pergunto... qual o seu canal de eleição (?) que (outras) designações arranjou para as restantes siglas dos canais concorrentes (?) fiquei curioso!

Cumprimentos a todos... que comecem as hostilidades!
André
De Bic Laranja a 1 de Fevereiro de 2017
Ó benévolo leitor! Podia elaborar aqui sobre enlatados de «informação», concentrados de «politicamente correcto», tudo quanto a indústria do «jornalismo» produz e distribui nos canais da «comunicação» pelo insondável da agenda me(R)diatica...
(Já está à venda o concentrado da eutanásia, depois dos do aborto e do casamento aberrante.)
Perda de tempo. Se do que vai escrito e do modo de escrever a mensagem se não percebe e a «opinião» que recebo é uma «interrogação» meia irónica a pedir explicações duma metáfora com o nome do canal (o agravo, sim, foi percebido) e quando há metáforas suficientes no argumento noticiado para estimular os neurónios.
Perda de tempo.

Que acha V. da doutrinação em (de)forma de notícias?
Está doutrinado. Não nota.

Cumpts.
De muja a 1 de Fevereiro de 2017
Já bem vê o que encaramos...
De Bic Laranja a 1 de Fevereiro de 2017
Sim. Mas poucos notam.
Cumpts.
De André Sousa a 1 de Fevereiro de 2017

É de louvar...!
Retórica ele tem!
Tempo também... já percebi!
Talvez reformado... provavelmente... ou a caminho disso!
O que você talvez não tenha percebido, ou melhor, não percebeu mesmo, pois a vontade de colocar (já nem digo escrever) tanta palavra no seu bloquinho de notas digital faz com que não queira entender a mensagem... enfim!

Vou voltar a escrever, pode ser que desta esteja mais atento... :

"Que tal mencionar o nome do(a) jornalista que escreveu a peça em causa??
O objectivo é criticar a forma como o texto foi redigido, certo (?) então mencione que há um jornalista (ou talvez não!) da Sociedade Independente de Comunicação que fez um trabalho diferente do que gosta, ou está habituado..."

Vou traduzir para que não perca muito (mais) tempo... que tal mencionar o jornalista que escreveu o texto (?) sim, criticar o Sr. ou Sra., isso sim!
Não defendo, nem quero defender estações de televisão... mas se quero falar sobre alguma coisa, refiro-me à pessoa (!) isso sim... é ser inteligente (!) porque não o faz (?) menciona o nome da pessoa em causa, elabora o seu "textinho" todo "bonitinho" e envia para quem de direito na estação que refere... isso sim... é inteligente (!) e sim... já o fiz, a vários jornalistas... e sim... dá dores de cabeça, como jornalistas que são vão "puxar os seus coelhos da cartola", mas ao menos não me escondi num sítio da internet onde posso escrever o que quero à espera que alguém veja... envie a carta e confronte o jornalista, seja inteligente!

A terminar... só lhe dou razão numa coisa... na forma como o jornalismo é feito em Portugal... ou será da sociedade (?) você se não vê a "sociedade industrial de concentrados", das duas uma... ou critica o canal do correia da manhã, mas no fundo passa os pelo jornal para ver as "gordas" e é um consumidor desse tipo de notícias... ou... (espero eu!) vê o bloco informativo das 21h na RTP2, eu falo por mim...

Que continuem as hostilidades...

Cumprimentos,
André
De Bic Laranja a 1 de Fevereiro de 2017
De retórica o prezado André não fica a dever nada.
O que o aflige (em modo telegráfico; intervalo de almoço em dia laboral):
O(a) jornalista não sei, por isso não pude indicar. Mas dei a ref.ª — «A sociedade industrial de concentrados S.I.C. abriu o seu telejornal jornal P.J. (leia-se pejota) ontem [30/1/16] ao almôço com esta notícia» &c.
Passou-lhe, é o que se pode dizer.
Cumpts.
De Joe Bernard a 1 de Fevereiro de 2017
SIC??? Enganou-se. É SHIT mesmo!!!
De André Sousa a 1 de Fevereiro de 2017
E pronto...
Voltámos a Pavlov... o que dizer!

Igualmente na minha pausa para refeição de um turno de trabalho, tentarei ser breve!

O texto está bonito - admito (!) - as (demais) respostas de possíveis leitores vão ser curtas - devem estar a ver a TVI ou o CMTV, um clássico de quem critica a Sociedade Independente de Comunicação - mas vamos tentar (vá... tentar!) perceber o que lhe estou a dizer...

Eu li o texto na íntegra... o que apenas lhe estou a tentar dizer (parece que mais ninguém entende) é que deve expressar a sua opinião (para ser simpático na palavra a usar) com o jornalista que escreveu (ou escrevem, uma vez que diz respeito a toda a S.I.C.) a(s) notícia(s).

Os trocadilhos são fantásticos... admito... mas faça o seguinte... utilize o seu dom (escrever bem é um dom!) e envie o seu texto à pessoa em causam isto se há alguma coisa que o incomode!

Nas críticas que faço a jornalistas - e já tenho um "cv" largo! - tenho o cuidado de me dirigir directamente à pessoa... mais... ao jornalista, ao director de informação e a todos a equipa que tem responsabilidade na gestão de conteúdo - poderei explicar essa hierarquia, se assim o desejar!

Da mesma forma que não me passou parte do texto que escreveu... faça o seguinte... vai ver que não custa muito... no final de cada bloco informativo aparecem umas letrinhas a passar, chama-se "ficha técnica" (para simplificar a designação que lhe explico), pesquise os nomes e envie as suas críticas...

Aproveitando para responder ao Sr. Joe Bernard - e já agora Caro Bic Laranja, dou-lhe a "deixa" - penso que tal palavra não deveria ser utilizada... das duas uma, ou o Caro Bic Laranja arranja um conjunto de palavras que se adequem a cada letra - como foi criativo com a S.I.C. pode ser que saia alguma da cartola - ou então o Caro Joe Bernard tem a sua televisão sintonizada ao contrário, primeiro a TVI (parece que a Sra. Teresa Guilherme já saiu da antena... você já não tem com que se entreter) para não falar do "fantástico" canal de televisão do grupo Cofina.

Fantástico, fantástico era... ouvir o comentário do Inspector Japp... isso é que era (!) o que é feito do próprio?

Caro Bic Laranja, com sorte, tenho uma resposta sua através do telefone móvel... acabou a sua refeição, está a beber um café e comenta com o seu colega de almoço "Estas pessoas não têm mais nada que fazer!"

Da minha parte, permita-me ajudar (se precisar) com a hierarquia de um canal de televisão - departamento de informação.

Cumprimentos,
André Sousa
De [s.n.] a 1 de Fevereiro de 2017
Comentários e opiniões à parte (em que não entro), só
quero dizer que a SIC faliu.
Há muito tempo.
Era uma empresa de concentrados, vulgo Fábrica de tomates como dizia o povo, sediada na vila de Azinhaga do Ribatejo (Golegã)
Cumprimentos.
M.António
De André Sousa a 1 de Fevereiro de 2017
Ahahah!
Caro M. António, fantástico!
Na década de 80, sim!
Concordo, não vale a pena "comentários e opiniões", você está correcto, bem que querem (queriam) reabilitar o espaço... a ver vamos...!

No que toca a este texto... é a outra Sociedade, aquela que abriu uns anos depois!

Obrigado pelos cumprimentos e por ter escrito a palavra por completo!
Aproveito o momento para lhe dizer que também se pode escrever "cumpts"... modernices... eles aqui usam muito... eu gosto da palavra completa!

Cumprimentos,
André Sousa
De [s.n.] a 3 de Fevereiro de 2017
Olhe, ainda bem que coloca a foto destas duas encomendas. O Rodrigo é insuportável como locutor, é sobranceiro, arrogante, antipático, ignorante. Resumindo, ele é uma nulidade como jornalista(?) e pior ainda como locutor das notícias.

A Clara Sousa é uma vaidosona que mete nojo (devia ir para Hollywood para poder exteriorizar o vampismo de que padece e dá mostras), tem a mania que é a mais bela mulher de Portugal e a mais bela e competenete(?) de todos as jornalistas e locutoras de todas as televisões do mundo e quer-me parecer, aliás tenho quase a certeza, que a superioridade e erudição que ela tenta demonstrar ao ler as notícias e também e principalmente ao interrogar os convidados, que tudo o que diz está a ser-lhe soprado pelo auricular e caso não o seja, então estará a ler disfarçadamente pelo monitor à sua frente, é evidente que longe da vista dos telespectadores ou porventura é ajudada das duas maneiras. Esta rapariga devia deixar a locução/jornalismo e ir representar para as novelas ou filmes, porque esta é sem dúvida a arte para a qual tem jeito e que devia ter escolhido como profissão. Nesta teria sucesso...


Quanto ao seu tema e à argumentação que teceu sobre o mesmo, estou plenamente de acordo.
Maria
De André Sousa a 4 de Fevereiro de 2017
Oh Maria...
Apenas por curiosidade, uma vez que já expressei o meu gosto informativo neste conjunto de "posts", pergunto... que bloco informativo vê (?)... em que canal (?) com tantos argumentos (cada um tem o direito à sua opinião), conte-nos lá!
Cumprimentos,
André Sousa
De Bic Laranja a 4 de Fevereiro de 2017
A imagem é usada pela sociedade industrial de concentrados S.I.C. para se ilustrar. Só por isso a chamei: por ilustração. As figuras em apreço não as aprecio nem as deixo de apreciar. Não me interessam — a Clara em tempos não sabia dizer Brandeburgo; não se instruiu por desventura a ouvir Bach... — Da locução ou jornalismo serve o exemplo.
Pois bem, a estes ilustrativos ou nos mais que aparecem, havemos agora de ter de aturar de tudo pela casa (ou blogo) a dentro, sob pena de ferrete censório.
Deus nos dê paciência!
De Bic Laranja a 5 de Fevereiro de 2017
... estes ilustrativos ou os mais Sousas que aparecem...
De André Sousa a 5 de Fevereiro de 2017
Caro Bic...
Fico contente que Deus dê paciência (ou lhe dê paciência) para os ilustrativos e os Sousas que aparecem...
No que me toca, compreendo o seu ponto de vista... alguém que chega e contraria (uma vez por outra) a sua opinião... é uma chatice!

Estou indeciso... de várias uma (deixo que seja você a escolher):
- você escreve alguma coisa e todos concordam - tem sido a norma, basta ler mais do que um textinho seu - o que me leva a dizer que você deveria ter sido político... de um regime antigo (ou apenas com alguns anos!),porque todos temos que concordar com a sua ideia!
- as pessoas que passam pelo seu blog são sempre as mesmas e como tal estão habituadas (e concordam)... excelente, conseguiu a sua audiência.
- você tem dificuldades em aceitar críticas, leia-se comentários - tenho ideia que será por aqui!
- quando criou este sítio nunca imaginou que houvesse alguém a escrever (responder) e como tal poderia expressar todo e qualquer sentimento.

... ou... (acabo de me lembrar de mais "um" Sousa)

- no fundo, no fundo... você falava de uma figura conhecida (e representativa) de todos os Portugueses que também tem o mesmo apelido... era isso não era, eu sabia!

É uma questão de hábito... se há exposição de ideias há quem fale delas e quem as contrarie... ou isso ou realmente vivemos num regime em que nos limitam a opinião!
Aproveite a altura!
Esteja contente que haja quem leia o que escreve (!) caso contrário seria apenas o seu diário... e se assim fosse... talvez fosse melhor ter ficado em folhas de papel, guardadas na sua secretária - diga-me por favor que a secretária tem os pés em forma de "pata de leão"... à antiga!

A terminar... (finalmente!)
O seu sítio tem 80% de coisas boas... podemos recordar (através de fotografias), podemos ler (textos bem escritos, admiro!), podemos "não ficar" chateados pois sabemos que vai ser uma vista agradável!

Caro Bic Laranja... terei todo o gosto em deixar de comentar os seus textos... basta dizer!
Você torna-se escriba de todos os que o seguem... menos um, simples!

Caro Bic Laranja... cumprimentos,
André Sousa


De Bic Laranja a 5 de Fevereiro de 2017
Li-o sumariamente e para acabar já.
V. entende que o blogo é uma assembleia. Pois não é. Escusa de pregar democracias em casa particular, ainda mais insinuando velada acusação de fascismo. Não se aplica. O poder aqui é meu e discricionário. Ler o que publico ou não ler é consigo. Publicar-lhe as opiniões é comigo.
Chame-lhe censura e eu digo-lhe critério editorial.
De Bic Laranja a 5 de Fevereiro de 2017
Há gente sem sentido do limite...
O critério editorial rejeitou o último comentário.
De [s.n.] a 5 de Fevereiro de 2017
A "gente" diz...:
Afinal você censura... sem critério editorial!
Eu digo... é uma pena (!)... os mais velhos (ainda) do que eu diriam... que tristeza!
É uma posição... você escreve (o que quer!) e faz muito bem... !
As canetas BIC LARANJA também escreviam a azul não era... se calhar o nome deveria ser BIC AZUL...!
Até uma próxima!

Comentar

Setembro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
17
19
21
23
26
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____